Ano C - Julho 2022 - Evangelho, Santo e Salmo do Dia

 São Galo 01/07

Dia 1º de Julho - Sexta-feira

XIII SEMANA DO TEMPO COMUM* - (Verde – Ofício do Dia)

Antífona de Entrada

Povos todos, aplaudi e aclamai a Deus com brados de alegria (Sl 46,2).

Oração do dia

sejamos envolvidos pelas trevas do erro, mas brilhe em nossas vidas a luz da vossa verdade. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Amós 8,4-6.9-12)

Leitura da profecia de Amós.

8 4 Ouvi isto, vós que engolis o pobre, e fazeis perecer os humildes da terra,

5 dizendo: “Quando passará a lua nova, para vendermos o nosso trigo, e o sábado, para abrirmos os nossos celeiros, diminuindo a medida e aumentando o preço, e falseando a balança para defraudar?

6 (Compraremos os infelizes por dinheiro e os pobres por um par de sandálias.) Venderemos até o refugo do trigo”.

9 “Acontecerá naquele dia - oráculo do Senhor Javé - que farei o sol se pôr ao meio-dia, e encherei a terra de trevas em pleno dia.

10 Converterei vossas festas em luto, e vossos cânticos em elegias fúnebres. Porei o saco em volta de todos os rins, e a navalha em todas as cabeças. E farei (a terra) debulhar-se em pranto, como se chora um filho único, e seu porvir será um dia de amargura.

11 Virão dias - oráculo do Senhor Javé - em que enviarei fome sobre a terra, não uma fome de pão, nem uma sede de água, mas (fome e sede) de ouvir a palavra do Senhor.

12 Andarão errantes de um mar a outro, vaguearão do norte ao oriente; correrão por toda parte buscando a palavra do Senhor, e não a encontrarão”.

Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 118/119

O homem não vive somente de pão,

mas de toda palavra da boca de Deus.

 

Feliz o homem que observa seus preceitos

e de todo o coração procura a Deus!

 

De todo o coração eu vos procuro,

não deixeis que eu abandone a vossa lei!

 

Minha alma se consome o tempo todo

em desejar as vossas justas decisões.

 

Escolhi seguir a trilha da verdade,

diante de mim eu coloquei vossos preceitos.

 

Como anseio pelos vossos mandamentos!

Dai-me a vida, ó Senhor, porque sois justo!

 

Abro a boca e aspiro largamente,

pois estou ávido de vossos mandamentos.

Evangelho (Mateus 9,9-13)

Aleluia, aleluia, aleluia.

Vinde a mim, todos vós que estais cansados, e descanso eu vos darei, diz o Senhor (Mt 11,28).

 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

9 9 Partindo dali, Jesus viu um homem chamado Mateus, que estava sentado no posto do pagamento das taxas. Disse-lhe: “Segue-me”. O homem levantou-se e o seguiu.

10 Como Jesus estivesse à mesa na casa desse homem, numerosos publicanos e pecadores vieram e sentaram-se com ele e seus discípulos.

11 Vendo isto, os fariseus disseram aos discípulos: "Por que come vosso mestre com os publicanos e com os pecadores?"

12 Jesus, ouvindo isto, respondeu-lhes: "Não são os que estão bem que precisam de médico, mas sim os doentes.

13 Ide e aprendei o que significam estas palavras: ‘Eu quero a misericórdia e não o sacrifício’. Eu não vim chamar os justos, mas os pecadores."

Palavra da Salvação.


Sobre as Oferendas

Ó Deus, que nos assegurais os frutos dos vossos sacramentos, concedei que o povo reunido para vos servir corresponda à santidade dos vossos dons. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Bendize, ó minha alma, ao Senhor e todo meu ser, seu santo nome! (Sl 102,1).

Depois da Comunhão

Ó Deus, o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo, que oferecemos em sacrifício e recebemos em comunhão, nos transmitam uma vida nova, para que, unidos a vós pela caridade que não passa, possamos produzir frutos que permaneçam. Por Cristo, nosso Senhor.

Santo do Dia / Comemoração (MISSA VOTIVA SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS (Branco – Missal, pág. 382))

Oração do dia:

Senhor Deus, revesti-nos das virtudes do coração de vosso Filho e inflamai-nos com seu amor, para que, assemelhando-nos a ele, possamos participar da redenção eterna. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

Sobre as oferendas:

Ó Deus, Pai de misericórdia, que na vossa imensa caridade nos destes vosso Filho único, fazei que, formando com ele um só corpo, possamos oferecer-vos um culto digno de vós. Por Cristo, nosso Senhor.

 

Prefácio (Coração de Jesus):

Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos graças, sempre e em todo o lugar, Senhor, Pai Santo, Deus eterno e todo-poderoso, por Cristo, Senhor Nosso. Elevado na cruz, entregou-se por nós com imenso amor. E de seu lado aberto pela lança fez jorrar, com a água e o sangue, os sacramentos da Igreja, para que todos, atraídos ao seu coração, pudessem beber, com perene alegria, na fonte salvadora. Por essa razão, agora e sempre, nós nos unimos à multidão dos anjos e dos santos, cantando (dizendo) a uma só voz:

 

Depois da comunhão:

Tendo participado do vosso sacramento de amor, imploramos, ó Deus, que, conformados ao Cristo na terra, nos associemos no céu à sua glória. Por Cristo, nosso Senhor.




Reflexão sobre o Evangelho:
(01/07/2022 – Mateus 9,9-13) Mais uma vez, o dilema é justiça ou perdão. Para o fariseu, a opção da justiça era muito clara, tão clara que não suportava que Jesus escolhesse o perdão. Teus pecados estão perdoados é a grande notícia de Jesus que deve ser pregada sem cessar. Jesus optou pela misericórdia e, como seus discípulos, devemos fazer o mesmo. Mateus era um cobrador de impostos, desprezado pelas pessoas da sua época, mas que conheceu Jesus e decidiu-se pelo seu seguimento. Mateus tinha sede de Deus e Jesus saciou essa sede. Quando o Mestre chama, não podemos esperar para ter respostas para todas as nossas perguntas, porque adiaríamos ao infinito o seu seguimento. Ao longo do caminho as respostas vão chegando, e também, mais perguntas. O chamado permanece atual: segue-me. Hoje precisamos aprender com Mateus e nos colocarmos no seguimento do Mestre imediatamente e com prontidão. Deus abençoe você! #ParoquiaMissionaria #CatolicoOrante #ParoquiaEvangelizadora #Evangelizar #Discipular #Enviar #PalavradoPadre #PlanoMissionarioePastoral
Reflexão por: Pe. João Manoel Lopes


Outras reflexões sobre o Evangelho:

Reflexão sobre o Evangelho do dia com Dom Cesar Teixeira, bispo diocesano de São José dos Campos, e padres da diocese.

Texto tirado do site Católico Orante: https://www.catolicoorante.com.br/


São Bernardino 02/07

Religioso [1530 – 1616]

Sacerdote da Companhia de Jesus que resplandeceu por caridade e bondade. Rejeitando as honras mundanas, dedicou-se à pastoral dos presos e doentes e ao ministério da palavra e da penitência. Tornou-se um santo padroeiro de uma cidade toda mesmo em vida. 

Jovem dedicado ao estudo e às festas

Bernardino Realino nasceu em Carpi (Modena), em 1 de dezembro de 1530. Filho mais velho de um senhor ao serviço dos tribunais no norte da Itália, Bernardino lança-se com alma aberta e ardente na vida juvenil das Universidades, passando de umas para as outras, sempre dedicadas com a mesma vivacidade e com feliz sucesso à medicina e à literatura, à filosofia e ao direito, feliz companheiro nos círculos estudantis de Modena e parceiros em suas diversões barulhentas.

Companhia de Jesus

Depois de se formar em Direito em Bolonha, em 1556, entrou ao serviço do Marquês Francesco Ferdinando d’Avalos; vice-rei da  Sicília, mudou-se para Nápoles e, em  1564, decidiu tornar-se religioso da Companhia de Jesus. Ele realiza um trabalho apostólico ativo especialmente em Lecce, onde morreu em 2 de julho de 1616 aos 86 anos. As relíquias são mantidas na Igreja do Gesù em Lecce. 

Homilia de canonização

Canonizado em 1947 pelo Papa Pio XII, ele diz: “Tendo partido em uma ladeira tão escorregadia, para onde ele irá? A contenção de sua profunda fé religiosa o manterá à beira do abismo, enquanto um amor honesto cultivado no segredo de seu coração o guarda […] Diante de seus passos, abre-se o caminho brilhante do judiciário, a voz de Deus, que discretamente fala ao seu coração […] você o vê aos trinta e quatro anos apresentando-se ao noviciado em Nápoles […] Bernardino conhece cada vez mais a fugacidade do que o cerca, desprende-se cada vez mais resolutamente de tudo o que passa, riquezas, honras, laços de afeições mesmo legítimas, mas demasiado humanas, para consagrar-se sem reservas Àquele que permanece imutável, Senhor, Inspirador, Governante e Recompensador de todo o bem no meio do fluxo desta vida mortal”. 

A minha oração

“Depois de experimentar o mundo, tu descobristes que o melhor é estar ao lado de Deus. Por isso, ensina-nos a viver com piedade e livrai-nos das tentações e seduções do mundo para que sejamos santos. Que a tua bondade nos ajude a crescer nos estudos sem descuidar da espiritualidade. Amém!”

São Bernardino, rogai por nós!

Outros santos e beatos celebrados em 02 de Julho:

  • Na Via Aurélia, no cemitério de Dâmaso, os santos Processo e Martiniano, mártires. († data inc.)
  • Comemoração dos santos mártires Liberato, abade, Bonifácio, diácono, Servo e Rústico, subdiáconos, Rogato e Sétimo, monges, e Máximo, uma criança, mártires. († 484)
  • Em Tours, na Nêustria, na atual França, Santa Monegundes. († d. 557)
  • Em Winchester, na Inglaterra, São Suitino, bispo. († 862)
  •  Em Sezze, no Lácio, região da Itália, São Lídano, abade e fundador do mosteiro nesta cidade. († 1118)
  • Em Villeneuve, perto de Avinhão, na França, o passamento do Beato Pedro de Luxemburgo, bispo de Metz. († 1387)
  • Em Fabriano, no Piceno, hoje nas Marcas, região da Itália, a comemoração dos beatos João e Pedro Becchétti, presbíteros da Ordem dos Eremitas de Santo Agostinho. († c. 1420/1421)
  • Em Liège, na Bélgica, a Beata Eugénia Joubert, virgem da Congregação da Sagrada Família do Sagrado Coração. († 1904)

Fontes:

  • vatican.va e vaticannews.va
  • Martirológio Romano – liturgia.pt
  • Liturgia das Horas
  • Livro “Relação dos Santos e Beatos da Igreja” – Prof Felipe Aqui [Cléofas 2007]

– Pesquisa e redação: Rafael Vitto – Comunidade Canção Nova

– Produção e edição: Catarina Xavier – Comunidade Canção Nova



Por: CN


Dia 2 de Julho - Sábado

XIII SEMANA DO TEMPO COMUM* (Verde – Ofício do Dia)

Antífona de Entrada

Povos todos, aplaudi e aclamai a Deus com brados de alegria (Sl 46,2).

Oração do dia

Ó Deus, pela vossa graça, nos fizestes filhos da luz. Concedei que não sejamos envolvidos pelas trevas do erro, mas brilhe em nossas vidas a luz da vossa verdade. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Amós 9,11-15)

Leitura do livro de Amós.

9 11 “Naquele dia, levantarei a cabana arruinada de Davi, repararei as suas brechas, levantarei as suas ruínas, e a reconstruirei como nos dias antigos, 12 para que herdem o que resta de Edom, e de todas as nações sobre as quais o meu nome foi invocado – oráculo do Senhor, que executará estas coisas.

13 Eis que vêm dias – oráculo do Senhor – em que seguirão de perto o que planta e o que colhe, o que pisa os cachos e o que semeia; o mosto correrá pelas montanhas, todas as colinas se derreterão.

14 Restaurarei então o meu povo de Israel; reconstruirão as cidades devastadas e as habitarão; plantarão vinhas e beberão o seu vinho, cultivarão pomares e comerão os seus frutos.

15 Implantá-los-ei no seu solo, e não serão mais arrancados da terra que lhes dei” – oráculo do Senhor, teu Deus.

Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 84/85

O Senhor anunciará a paz para o seu povo!

 

Quero ouvir o que o Senhor irá falar:

É a paz que ele vai anunciar;

A paz para o seu povo e seus amigos,

Para os que voltam ao Senhor seu coração.

 

A verdade e o amor se encontrarão,

A justiça e a paz se abraçarão;

Da terra brotará a fidelidade,

E a justiça olhará dos altos céus.

 

O Senhor nos dará tudo o que é bom,

E a nossa terra nos dará suas colheitas;

A justiça andará na sua frente

E a salvação há de seguir os passos seus.

Evangelho (Mateus 9,14-17)

Aleluia, aleluia, aleluia.

Minhas ovelhas escutam minha voz, eu as conheço e elas me seguem (Jo 10,27).

 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

9 14 Então os discípulos de João, dirigindo-se a ele, perguntaram: "Por que jejuamos nós e os fariseus, e os teus discípulos não?"

15 Jesus respondeu: “Podem os amigos do esposo afligir-se enquanto o esposo está com eles? Dias virão em que lhes será tirado o esposo. Então eles jejuarão.

16 Ninguém põe um remendo de pano novo numa veste velha, porque arrancaria uma parte da veste e o rasgão ficaria pior.

17 Não se coloca tampouco vinho novo em odres velhos; do contrário, os odres se rompem, o vinho se derrama e os odres se perdem. Coloca-se, porém, o vinho novo em odres novos, e assim tanto um como outro se conservam”.

Palavra da Salvação.


Sobre as Oferendas

Ó Deus, que nos assegurais os frutos dos vossos sacramentos, concedei que o povo reunido para vos servir corresponda à santidade dos vossos dons. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Bendize, ó minha alma, ao Senhor e todo meu ser, seu santo nome! (Sl 102,1).

Depois da Comunhão

Ó Deus, o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo, que oferecemos em sacrifício e recebemos em comunhão, nos transmitam uma vida nova, para que, unidos a vós pela caridade que não passa, possamos produzir frutos que permaneçam. Por Cristo, nosso Senhor.

Santo do Dia / Comemoração (MISSA – VIGÍLIA - SOLENIDADE DE SÃO PEDRO E SÃO PAULO)

(vermelho, glória, creio, prefácio próprio – ofício da solenidade)

 

Nesta vigília da solenidade de Pedro e Paulo, em comunhão com o bispo de Roma, agradeçamos ao Senhor a vocação e a missão desses dois apóstolos, que pregaram o Evangelho, sem temer as dificuldades, e seguiram com amor o caminho de Jesus.

 

Primeira Leitura: Atos 3,1-10

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

Naqueles dias, 1Pedro e João subiram ao templo para a oração das três horas da tarde. 2Então trouxeram um homem, coxo de nascença, que costumavam colocar todos os dias na porta do templo, chamada Formosa, a fim de que pedisse esmolas aos que entravam. 3Quando viu Pedro e João entrando no templo, o homem pediu uma esmola. 4Os dois olharam bem para ele, e Pedro disse: “Olha para nós!” 5O homem fitou neles o olhar, esperando receber alguma coisa. 6Pedro então lhe disse: “Não tenho ouro nem prata, mas o que tenho eu te dou: em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda!” 7E, pegando-lhe a mão direita, Pedro o levantou. Na mesma hora, os pés e os tornozelos do homem ficaram firmes. 8Então ele deu um pulo, ficou de pé e começou a andar. E entrou no templo junto com Pedro e João, andando, pulando e louvando a Deus. 9O povo todo viu o homem andando e louvando a Deus. 10E reconheceram que era ele o mesmo que pedia esmolas, sentado na porta Formosa do templo. E ficaram admirados e espantados com o que havia acontecido com ele.

Palavra do Senhor.

 

Salmo Responsorial: 18A(19)

Seu som ressoa e se espalha em toda a terra.

 

Os céus proclamam a glória do Senhor,

e o firmamento, a obra de suas mãos;

o dia ao dia transmite essa mensagem,

a noite à noite publica essa notícia.

 

Não são discursos nem frases ou palavras,

nem são vozes que possam ser ouvidas;

seu som ressoa e se espalha em toda a terra,

hega aos confins do universo a sua voz. 

 

Segunda Leitura: Gálatas 1,11-20

Leitura da carta de São Paulo aos Gálatas.

Irmãos, 11asseguro-vos que o Evangelho pregado por mim não é conforme a critérios humanos. 12Com efeito, não o recebi nem aprendi de homem algum, mas por revelação de Jesus Cristo. 13Certamente ouvistes falar como foi outrora a minha conduta no judaísmo, com que excessos perseguia e devastava a Igreja de Deus 14e como progredia no judaísmo mais do que muitos judeus de minha idade, mostrando-me extremamente zeloso das tradições paternas. 15Quando, porém, aquele que me separou desde o ventre materno e me chamou por sua graça 16se dignou revelar-me o seu Filho, para que eu o pregasse entre os pagãos, não consultei carne nem sangue 17nem subi, logo, a Jerusalém para estar com os que eram apóstolos antes de mim. Pelo contrário, parti para a Arábia e, depois, voltei ainda a Damasco. 18Três anos mais tarde, fui a Jerusalém para conhecer Cefas e fiquei com ele quinze dias. 19E não estive com nenhum outro apóstolo, a não ser Tiago, o irmão do Senhor. 20Escrevendo estas coisas, afirmo, diante de Deus, que não estou mentindo.

Palavra do Senhor.

 

Evangelho: João 21,15-19

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Ó Senhor, tu sabes tudo, tu bem sabes que eu te amo! (Jo 21,17)

 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João.

Jesus se manifestou aos seus discípulos 15e, depois de comer com eles, perguntou a Simão Pedro: “Simão, filho de João, tu me amas mais do que estes?” Pedro respondeu: “Sim, Senhor, tu sabes que eu te amo”. Jesus disse: “Apascenta os meus cordeiros”. 16E disse de novo a Pedro: “Simão, filho de João, tu me amas?” Pedro disse: “Sim, Senhor, tu sabes que eu te amo”. Jesus lhe disse: “Apascenta as minhas ovelhas”. 17Pela terceira vez, perguntou a Pedro: “Simão, filho de João, tu me amas?” Pedro ficou triste, porque Jesus perguntou três vezes se ele o amava. Respondeu: “Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que eu te amo”. Jesus disse-lhe: “Apascenta as minhas ovelhas. 18Em verdade, em verdade te digo, quando eras jovem, tu te cingias e ias para onde querias. Quando fores velho, estenderás as mãos e outro te cingirá e te levará para onde não queres ir”. 19Jesus disse isso, significando com que morte Pedro iria glorificar a Deus. E acrescentou: “Segue-me”.

Palavra da salvação.

 

Antífona de entrada:

O apóstolo Pedro, e Paulo, o doutor das nações, nos ensinaram, Senhor, a vossa lei.

 

Oração do dia:

Senhor nosso Deus, concedei-nos os auxílios necessários à salvação pela intercessão dos apóstolos São Pedro e São Paulo, pelos quais destes à vossa Igreja os primeiros benefícios da fé. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

Sobre as oferendas:

Ó Deus, trazemos ao altar as nossas oferendas, alegrando-nos pela festa de São Pedro e São Pulo; certos de que nada merecemos, só de vossa bondade esperamos a salvação. Por Cristo, nosso Senhor.

 

Antífona de comunhão:

Simão, filho de João, tu me amas mais do que estes? Senhor, tu sabes tudo: tu sabes que eu te amo! (Jo 21,15.17)

 

Depois da comunhão:

Fortalecei, ó Deus, com o vosso sacramento os fiéis que iluminastes com o ensinamento dos apóstolos. Por Cristo, nosso Senhor.




Reflexão sobre o Evangelho:
(02/07/2022 – Mateus 9,14-17) Jesus veio até nós para nos transformar por inteiro desde o nosso interior. O Mestre veio para nos salvar e não apenas para manter as estruturas e as tradições, por isso Ele nos ensina a praticar os atos religiosos de coração, e não por obrigação. Os discípulos de Jesus partilharam com Ele de todos os eventos com alegria e submissão à sua vontade e aos seus ensinamentos. A novidade de Jesus rompe com as estruturas antigas que são simbolizadas pela roupa e barril velhos. Jesus não veio reformar, mas mudar radicalmente o nosso modo de pensar e de ver as coisas. O remendo novo em pano velho, assim como o vinho novo em odres velho, significa a mentalidade com que acolhemos os ensinamentos de Jesus. Hoje o Senhor nos convida a termos uma vida nova feita à estatura do homem perfeito Jesus Cristo para assim sermos homens novos para um mundo novo. Deus abençoe você! #ParoquiaMissionaria #CatolicoOrante #ParoquiaEvangelizadora #Evangelizar #Discipular #Enviar #PalavradoPadre #PlanoMissionarioePastoral
Reflexão por: Pe. João Manoel Lopes


Outras reflexões sobre o Evangelho:

Reflexão sobre o Evangelho do dia com Dom Cesar Teixeira, bispo diocesano de São José dos Campos, e padres da diocese.

Textos tirados do site Católico Orante: https://www.catolicoorante.com.br/


São Tomé 03/07

Testemunho Bíblico

Tomé, chamado Dídimo, um dos Doze, não estava com os discípulos quando Jesus apareceu. Os outros discípulos lhe disseram: “Vimos o Senhor!” Mas ele lhes disse: “Se eu não vir as marcas dos pregos em suas mãos, não colocar o meu dedo onde estavam os pregos e não puser a minha mão no seu lado, não acreditarei”. Uma semana mais tarde, os seus discípulos estavam outra vez ali, e Tomé com eles. Apesar de estarem trancadas as portas, Jesus entrou, pôs-se no meio deles e disse: “A Paz esteja com vocês!”. Depois, disse a Tomé: “Coloque o seu dedo aqui; veja as minhas mãos. Estenda a mão e coloque-a no meu lado. Pare de duvidar e acredite”. Disse-lhe Tomé: “Meu Senhor e meu Deus!”. Então Jesus lhe disse: “Você acreditou porque me viu! Felizes os que não viram e acreditarão». (Jo 20,24-29)

Tomé incrédulo? 

Geralmente, quando se fala de São Tomé, começa-se de trás para frente: depois da ressurreição, por não estar presente na aparição de Jesus aos Apóstolos, não acreditou no que lhe disseram. Porém, ninguém tem o direito de pensar que Tomé era uma pessoa tépida ou, pior ainda, um pecador. Era apenas um homem cuja fé profunda ainda devia ser posta à dura prova da vida, que ele não escondia: expôs suas dúvidas e fez a Jesus as perguntas que brotavam do seu coração. Por exemplo: quando Jesus voltou a Betânia, onde seu amigo Lázaro tinha falecido, os discípulos ficaram com medo, porque, na Judeia, o clima não era nada favorável. Ali, Tomé demonstrou não ter medo de nada, a ponto de dizer: “Vamos morrer com Ele”. Durante a Última Ceia também, quando Cristo disse que ia preparar um lugar para todos na Casa do Pai, Tomé ficou desorientado. Por isso, perguntou ao Senhor para onde ia, e qual seria o caminho para chegar lá. Então, Jesus respondeu: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a vida!”.

Incredulidade do Apóstolo como estereótipo

Toda a comunidade dos Apóstolos estava abalada pela morte de Jesus e pelas violências que padeceu. Porém, ao ressuscitar, Jesus apareceu, imediatamente, aos seus discípulos para tranquilizá-los. Tomé não estava lá naquele momento, e por isso não acreditou no que diziam. Talvez, por causa da sua teimosia inata ou por sentir de estar ausente, quis tocar as feridas dos cravos e nas mãos, e no peito de Jesus. Afinal, ele era um homem como todos. Por isso Jesus o satisfez ao voltar oito dias depois. Assim, Tomé acreditou, imediatamente, a ponto de confessar: “Meu Senhor e meu Deus!”, como ninguém jamais havia feito. Por fim, Jesus fez uma promessa, que servia para toda a humanidade, até o fim dos tempos: “Felizes dos que acreditarão sem ter visto”. O Papa São Gregório Magno, meditando essa realidade de São Tomé, diz: “A incredulidade de Tomé não foi um acaso, mas prevista nos planos de Deus. O discípulo, que duvidando da Ressurreição do Mestre, pôs as mãos em Suas chagas, e curou com isso a ferida da nossa incredulidade”.

A missão do discípulo

Sabemos que Tomé não era muito instruído, mas, certamente, compensava esta lacuna pelo imenso amor que sentia por Jesus. Segundo a tradição, o Apóstolo recebeu a missão de evangelizar a Síria e, depois, a cidade de Edessa, da qual partiu para fundar a primeira comunidade cristã na Babilônia, Mesopotâmia, onde permaneceu sete anos. Dalí, embarcou para a Índia. De Muziris, onde já havia comunidade judaica promissora, que se tornou cristã, rapidamente atravessou todo o país até chegar à China, sempre e somente por amor ao Evangelho. Ao voltar à Índia, foi martirizado, transpassado por uma lança, na atual Chennai, em 3 de julho de 72.

A minha oração

“Ó Santo Apóstolo, predileto do Senhor, com tua incredulidade curou a nossa, com tua audácia tocaste no corpo glorioso do Senhor. Ensinai-nos a crer sem precedências e a provar da ressurreição do divino Mestre. Amém!”

São Tomé , rogai por nós!

Outros santos e beatos celebrados em 03 de Julho:

  • Em Laodicéia, hoje Lataquia, na Síria, a comemoração de Santo Anatólio. († s. III)
  • Em Bízia, hoje Wiza, na Turquia, São Memnão, centurião e mártir. († c. s. III)
  • Na Mésia, território atualmente compreendido entre a Roménia e a Bulgária, a comemoração dos santos Marcos e Mociano, mártires. († c. s. IV)
  • Em Altino, na Venécia, hoje no Véneto, região da Itália, Santo Heliodoro, bispo. († s. IV f.-V in.)
  • Em Constantinopla, hoje Istambul, na Turquia, Santo Anatólio, bispo. († 458)
  • Em Roma, junto de São Pedro, São Leão II, papa, que confirmou os decretos do Concílio III de Constantinopla. († 683)
  • Em Toulouse, junto ao rio Garonne, na França, São Raimundo Gayrard, mestre-escola, que, após a morte da esposa, fundou um hospício e, finalmente, foi admitido entre os cónegos da basílica de São Saturnino. († 1118)
  • Em Hung Yen, cidade do Tonquim, hoje no Vietnam, São José Nguyen Dinh Uyen, mártir. († 1838)
  • Em Vinh Long, cidade da Cochinchina, também no atual Vietnam, São Filipe Phan Van Minh, presbítero e mártir. († 1853)
  • Em Fuencarral, atual bairro de Madrid, na Espanha, a Beata Maria Ana Mogas Fondcuberta, virgem, que fundou a Congregação das Irmãs da Mãe do Divino Pastor. († 1886)
  • Num pântano junto de Dongyangtai, perto de Shenxian, no Hebei, província da China, os santos Pedro Zhao Mingzhen e João Baptista Zhao Mingxi, mártires, dois irmãos. († 1900)

Fontes:

  • vatican.va e vaticannews.va
  • Martirológio Romano – liturgia.pt
  • Liturgia das Horas
  • Livro “Relação dos Santos e Beatos da Igreja” – Prof Felipe Aqui [Cléofas 2007]

– Pesquisa e redação: Rafael Vitto – Comunidade Canção Nova

– Produção e edição: Catarina Xavier – Comunidade Canção Nova

 



Por: CN


Dia 3 de Julho - Domingo

SÃO PEDRO E SÃO PAULO (Vermelho, Glória, Creio, Prefácio Próprio – Ofício da Solenidade)

Antífona de Entrada

Eis os santos que, vivendo neste mundo, plantaram a Igreja, regando-a com seu sangue. Beberam do cálice do Senhor e se tornaram amigos de Deus.

Oração do dia

Senhor nosso Deus, concedei-nos os auxílios necessários à salvação pela intercessão dos apóstolos são Pedro e são Paulo, pelos quais destes à vossa Igreja os primeiros benefícios da fé. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Atos 12,1-11)

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

12 1 Por aquele mesmo tempo, o rei Herodes mandou prender alguns membros da Igreja para os maltratar.

2 Assim foi que matou à espada Tiago, irmão de João.

3 Vendo que isto agradava aos judeus, mandou prender Pedro. Eram então os dias dos pães sem fermento.

4 Mandou prendê-lo e lançou-o no cárcere, entregando-o à guarda de quatro grupos, de quatro soldados cada um, com a intenção de apresentá-lo ao povo depois da Páscoa.

5 Pedro estava assim encerrado na prisão, mas a Igreja orava sem cessar por ele a Deus.

6 Ora, quando Herodes estava para o apresentar, naquela mesma noite dormia Pedro entre dois soldados, ligado com duas cadeias. Os guardas, à porta, vigiavam o cárcere.

7 De repente, apresentou-se um anjo do Senhor, e uma luz brilhou no recinto. Tocando no lado de Pedro, o anjo despertou-o: “Levanta-te depressa”, disse ele. Caíram-lhe as cadeias das mãos.

8 O anjo ordenou: “Cinge-te e calça as tuas sandálias”. Ele assim o fez. O anjo acrescentou: “Cobre-te com a tua capa e segue-me”.

9 Pedro saiu e seguiu-o, sem saber se era real o que se fazia por meio do anjo. Julgava estar sonhando.

10 Passaram o primeiro e o segundo postos da guarda. Chegaram ao portão de ferro, que dá para a cidade, o qual se lhes abriu por si mesmo. Saíram e tomaram juntos uma rua. Em seguida, de súbito, o anjo desapareceu.

11 Então Pedro tornou a si e disse: “Agora vejo que o Senhor mandou verdadeiramente o seu anjo e me livrou da mão de Herodes e de tudo o que esperava o povo dos judeus”.

Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 33/34

De todos os temores me livrou o Senhor Deus.

 

Bendirei o Senhor Deus em todo tempo,

seu louvor estará sempre em minha boca.

Minha alma se gloria no Senhor;

que ouçam os humildes e se alegrem!

 

Comigo engrandecei ao Senhor Deus,

exaltemos todos juntos o seu nome!

Todas as vezes que o busquei, ele me ouviu

e de todos os temores me livrou.

 

Contemplai a sua face e alegrai-vos,

e vosso rosto não se cubra de vergonha!

Este infeliz gritou a Deus e foi ouvido,

e o Senhor o libertou de toda angústia.

 

O anjo do Senhor vem acampar

ao redor dos que o temem e os salva.

Provai e vede quão suave é o Senhor!

Feliz o homem que tem nele o seu refúgio!

Leitura (2 Timóteo 4,6-8. 17-18)

Leitura da segunda carta de são Paulo a Timóteo.

4 6 Quanto a mim, estou a ponto de ser imolado e o instante da minha libertação se aproxima.

7 Combati o bom combate, terminei a minha carreira, guardei a fé.

8 Resta-me agora receber a coroa da justiça, que o Senhor, justo Juiz, me dará naquele dia, e não somente a mim, mas a todos aqueles que aguardam com amor a sua aparição.

17 Contudo, o Senhor me assistiu e me deu forças, para que, por meu intermédio, a boa mensagem fosse plenamente anunciada e chegasse aos ouvidos de todos os pagãos. E fui salvo das fauces do leão.

18 O Senhor me salvará de todo mal e me preservará para o seu Reino celestial. A ele a glória por toda a eternidade!

Palavra do Senhor.

Evangelho (Mateus 16,13-19)

Aleluia, aleluia, aleluia.

Tu és Pedro e sobre esta pedra eu irei construir a minha igreja; e as portas do inferno não irão derrotá-la (MT 16,18)

 

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

Naquele tempo, 16 13 chegando ao território de Cesaréia de Filipe, Jesus perguntou a seus discípulos: “No dizer do povo, quem é o Filho do Homem?”

14 Responderam: “Uns dizem que é João Batista; outros, Elias; outros, Jeremias ou um dos profetas”.

15 Disse-lhes Jesus: “E vós quem dizeis que eu sou?”

16 Simão Pedro respondeu: “Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo!”

17 Jesus então lhe disse: “Feliz és, Simão, filho de Jonas, porque não foi a carne nem o sangue que te revelou isto, mas meu Pai que está nos céus.

18 E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela.

19 Eu te darei as chaves do Reino dos céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus”.

Palavra da Salvação.


Sobre as Oferendas

Ó Deus, que a oração de vossos apóstolos acompanhe as oferendas que vos apresentamos para serem consagradas e nos alcance celebramos este sacrifico com o coração voltado para vós. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Pedro disse a Jesus: Tu és o Cristo, Filho de Deus vivo. Jesus lhe respondeu: tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei (MT 16,16.18).

Depois da Comunhão

Concedei-nos, ó Deus, por esta eucaristia, viver de tal modo na vossa Igreja, que, perseverando na fração do pão e na doutrina dos apóstolos, e enraizados no vosso amor, sejamos um só coração e uma só alma. Por Cristo, nosso Senhor.

Santo do Dia / Comemoração (SÃO PEDRO E SÃO PAULO)

A solenidade de são Pedro e de são Paulo é uma das mais antigas da Igreja, sendo anterior até mesmo à comemoração do Natal. Já no século IV havia a tradição de, neste dia, celebrar três missas: a primeira na basílica de São Pedro, no Vaticano; a segunda na basílica de São Paulo Fora dos Muros e a terceira nas catacumbas de São Sebastião, onde as relíquias dos apóstolos ficaram escondidas para fugir da profanação nos tempos difíceis.

 

E mais: depois da Virgem Santíssima e de são João Batista, Pedro e Paulo são os santos que têm mais datas comemorativas no ano litúrgico. Além do tradicional 29 de junho, há: 25 de janeiro, quando celebramos a conversão de São Paulo; 22 de fevereiro, quando temos a festa da cátedra de São Pedro; e 18 de novembro, reservado à dedicação das basílicas de São Pedro e São Paulo.

 

Antigamente, julgava-se que o martírio dos dois apóstolos tinha ocorrido no mesmo dia e ano e que seria a data que hoje comemoramos. Porém o martírio de ambos deve ter ocorrido em ocasiões diferentes, com são Pedro, crucificado de cabeça para baixo, na colina Vaticana e são Paulo, decapitado, nas chamadas Três Fontes. Mas não há certeza quanto ao dia, nem quanto ao ano desses martírios.

 

A morte de Pedro poderia ter ocorrido em 64, ano em que milhares de cristãos foram sacrificados após o incêndio de Roma, enquanto a de Paulo, no ano 67. Mas com certeza o martírio deles aconteceu em Roma, durante a perseguição de Nero.

 

Há outras raízes ainda envolvendo a data. A festa seria a cristianização de um culto pagão a Remo e Rômulo, os mitológicos fundadores pagãos de Roma. São Pedro e são Paulo não fundaram a cidade, mas são considerados os "Pais de Roma". Embora não tenham sido os primeiros a pregar na capital do império, com seu sangue "fundaram" a Roma cristã. Os dois são considerados os pilares que sustentam a Igreja tanto por sua fé e pregação como pelo ardor e zelo missionários, sendo glorificados com a coroa do martírio, no final, como testemunhas do Mestre.

 

São Pedro é o apóstolo que Jesus Cristo escolheu e investiu da dignidade de ser o primeiro papa da Igreja. A ele Jesus disse: "Tu és Pedro e sobre esta pedra fundarei a minha Igreja". São Pedro é o pastor do rebanho santo, é na sua pessoa e nos seus sucessores que temos o sinal visível da unidade e da comunhão na fé e na caridade.

 

São Paulo, que foi arrebatado para o colégio apostólico de Jesus Cristo na estrada de Damasco, como o instrumento eleito para levar o seu nome diante dos povos, é o maior missionário de todos os tempos, o advogado dos pagãos, o "Apóstolo dos Gentios".

 

São Pedro e são Paulo, juntos, fizeram ressoar a mensagem do Evangelho no mundo inteiro e o farão para todo o sempre, porque assim quer o Mestre.




Reflexão sobre o Evangelho:
(03/07/2022 – Mateus 16,13-19) A Igreja foi edificada sobre o testemunho dos apóstolos e com o poder do Espírito Santo, isso lhe dá a certeza de que as portas do inferno nunca poderão vencê-la. Foi pelo poder do Espírito Santo que Pedro identificou Jesus como o Messias, o Filho de Deus, vivo e dele recebeu poder e autoridade para conduzir a Sua Igreja. Pedro é a pedra sobre a qual Jesus edificou a Sua Igreja e lançou os Seus fundamentos. Jesus fez a Pedro uma pergunta fundante sobre quem Ele é. A resposta de Pedro foi fundamental para o passo dado por Jesus. A cada um de nós, o Mestre continua fazendo a pergunta fundante e só conseguimos dar uma resposta verdadeira se nos deixamos conduzir pelo Espírito Santo. O discípulo é aquele que permanece unido ao Mestre e abre-se para fazer a sua vontade. Sejamos discípulos que conhecem, amam e seguem Jesus Cristo em todas as coisas. Deus abençoe você! #ParoquiaMissionaria #CatolicoOrante #ParoquiaEvangelizadora #Evangelizar #Discipular #Enviar #PalavradoPadre #PlanoMissionarioePastoral
Reflexão por: Pe. João Manoel Lopes


Outras reflexões sobre o Evangelho:

Reflexão sobre o Evangelho do dia com Dom Cesar Teixeira, bispo diocesano de São José dos Campos, e padres da diocese.

Textos tirados do site Católico Orante: https://www.catolicoorante.com.br/


Santa Isabel de Portugal 04/07

[1271-1335]

Origens

Nasceu na Espanha no ano de 1271. Pertencia à família real de Aragão, que lhe concedeu uma ótima formação, digna do seguimento de Cristo. Ela foi criada por seu avô, Tiago I, que estava recém-convertido ao cristianismo.

Casamento

Foi entregue em casamento ao rei Diniz, rei de Portugal, com apenas 12 anos de idade, e já dava testemunho de uma esposa cristã, uma mulher de oração e centrada na Eucaristia. Seu matrimônio foi um lugar de humilhação e santificação: ela permaneceu fiel e amável mesmo diante das traições e dificuldades com o esposo.

Era rainha, mas nunca esqueceu que também era irmã dos mais necessitados.

Mulher religiosa e de caridade

Ela ajudou a propagar a grande devoção a Nossa Senhora da Conceição.

Refundou, em 1314, o Mosteiro de Santa Clara de Coimbra; também fundou, em 1321, em Santarém, o Hospital de Nossa Senhora dos Inocentes, voltado para crianças que, por algum motivo, eram abandonadas por suas mães.

Uma de suas últimas obras de caridade talvez tenha sido cuidar do seu próprio esposo. Dom Diniz, que tanto a fez sofrer, agora precisava dos cuidados de Isabel, que se dispôs, quis cuidar dele. Ele ficou doente em 1324, e faleceu no ano seguinte.

Viúva e Clarissa

Então, Isabel deixou a sua condição de viver no palácio como rainha, abdicando seus bens e títulos para receber o hábito no Mosteiro das Clarissas em Coimbra, ingressando na Ordem Terceira Franciscana.

Em 1336, saiu de Coimbra e foi ao encontro de seu filho devido a um novo conflito familiar. Mesmo enferma, conseguiu chegar. Foi acolhida e ouvida por seu filho.

Páscoa

Faleceu no dia 4 de julho de 1336, e foi sepultada no Mosteiro em Coimbra.

Foi canonizada pelo Papa Urbano VIII em 1665.

Padroeira de Portugal

Santa Isabel foi declarada padroeira de Portugal, recebendo do povo o título de “rainha santa da concórdia e da paz”.

A minha oração

“Santa Isabel, fostes uma exímia esposa, mãe, serva, rainha e religiosa porque em tudo se dedicou ao amor a Deus e ao próximo, intercede por nós junto ao Senhor para que também saibamos amar e nos doar à Ele e aos nossos irmãos. Amém!”

Santa Isabel, rogai por nós!

Outros santos e beatos celebrados em 4 de julho:

  •  Na África Setentrional, São Jucundiano, mártir. († data inc.)
  • Em Vatan, atualmente na França, São Laureano, mártir. († s. III/IV)
  • Em Cahors, São Florêncio, bispo, que São Paulino de Nola louva como humilde de coração, forte na graça divina e suave na palavra. († s. V in.)
  • Em Langres, São Valentim, presbítero e eremita. († c. s. V)
  • Em Blangy, também na atual França, Santa Berta, abadessa, que, tendo ingressado com as filhas Gertrudes e Deotila no mosteiro por ela fundado, alguns anos depois viveu como reclusa numa pequena cela. († c. 725)
  • Em Erissos, na Grécia, o passamento de Santo André de Creta, bispo de Gortina, que cantou os louvores de Deus e exaltou a Virgem Mãe de Deus imaculada e elevada ao Céu. († 740)
  • Em Augsburgo, na atual Alemanha, Santo Uldarico ou Ulrico, bispo, ilustre pela sua admirável abstinência, liberalidade e assiduidade às vigílias, que, depois de cinquenta anos de episcopado, morreu nonagenário. († 973)
  • No mosteiro de Hautecombe, atualmente na França, o sepultamento do Beato Bonifácio, bispo, de linhagem régia, que, depois de ter ingressado na Cartuxa, foi eleito para a sede de Belley e finalmente elevado à sede de Cantuária. († 1270)
  • Em Florença, região da Itália, o Beato João de Vespigniano. († s. XIII/XIV)
  • Em Dorchester, na Inglaterra, os beatos mártires João (Conor O’Malley), autoapelidado Cornélio, presbítero pouco tempo antes admitido na Companhia de Jesus, Tomás BosgraveJoão Carey e Patrício Salmon, leigos que ajudaram este sacerdote, todos eles ao mesmo tempo, no reinado de Isabel I, glorificaram a Cristo com o martírio. († 1594)
  • Em York, também na Inglaterra, os beatos mártires Guilherme Andleby, presbítero, Henrique AbbotTomás Warcop e Eduardo Fulthorp, leigos, que foram condenados à morte por causa da sua fidelidade à Igreja. († 1597)
  • Beato Pedro Kibe Kasui,  no Japão, presbítero da Companhia de Jesus, e cento e oitenta e sete companheiros, mártires. († 1603-1639)

Fontes:

  • vatican.va e vaticannews.va
  • Martirológio Romano – liturgia.pt
  • arquisp.org.br

– Produção e edição: Catarina Xavier – Comunidade Canção Nova



Por: CN


Dia 4 de Julho - Segunda-feira

XIV SEMANA DO TEMPO COMUM* (Verde – Ofício do Dia)

Antífona de Entrada

Recebemos, ó Deus, a vossa misericórdia no meio do vosso templo. Vosso louvor se estenda, como o vosso nome, até os confins da terra; toda justiça se encontra em vossas mãos (Sl 47, 10s)

Oração do dia

Ó Deus, que, pela humilhação do vosso Filho, reerguestes o mundo decaído, enchei os vossos filhos e filhas de santa alegria e dai aos que libertastes da escravidão do pecado o gozo das alegrias eternas. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Oseias 2,16-18.21-22)

Oseias 2,16-18.21-22

Leitura da profecia de Oseias.

2 16 “Por isso a atrairei, conduzi-la-ei ao deserto e falar-lhe-ei ao coração.

17 Dar-lhe-ei as suas vinhas e o vale de Acor, como porta de esperança. Aí ela se tornará como no tempo de sua juventude, como nos dias em que subiu da terra do Egito.

18 Naquele dia - diz o Senhor - tu me chamarás: ‘Meu marido’, e não mais: ‘Meu Baal’.

21 Desposar-te-ei para sempre, desposar-te-ei conforme a justiça e o direito, com benevolência e ternura.

22 Desposar-te-ei com fidelidade, e conhecerás o Senhor”.

Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 144/145

Misericórdia e piedade é o Senhor.

 

Todos os dias haverei de bendizer-vos,

hei de louvar o vosso nome para sempre.

Grande é o Senhor e muito digno de louvores,

e ninguém pode medir sua grandeza.

 

Uma idade conta à outra vossas obras

e publica os vossos feitos poderosos;

proclamam todos o esplendor de vossa glória

e divulgam vossas obras portentosas!

 

Narram todos vossas obras poderosas,

e de vossa imensidade todos falam.

eles recordam vosso amor tão grandioso

e exaltam, ó Senhor, vossa justiça.

 

Misericórdia e piedade é o Senhor,

ele é amor, é paciência, é compaixão.

O Senhor é muito bom para com todos,

sua ternura abraça toda criatura.

Evangelho (Mateus 9, 18-26)

Aleluia, aleluia, aleluia.

Jesus Cristo salvador destruiu o mal e a morte; fez brilhar, pelo Evangelho, a luz e a vida imperecíveis (2Tm 1,10).

 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

9 18 Jesus ainda falava, quando se apresentou um chefe da sinagoga. Prostrou-se diante dele e lhe disse: “Senhor, minha filha acaba de morrer. Mas vem, impõe-lhe as mãos e ela viverá”.

19 Jesus levantou-se e o foi seguindo com seus discípulos.

20 Ora, uma mulher atormentada por um fluxo de sangue, havia doze anos, aproximou-se dele por trás e tocou-lhe a orla do manto.

21 Dizia consigo: “Se eu somente tocar na sua vestimenta, serei curada”.

22 Jesus virou-se, viu-a e disse-lhe: “Tem confiança, minha filha, tua fé te salvou”. E a mulher ficou curada instantaneamente.

23 Chegando à casa do chefe da sinagoga, viu Jesus os tocadores de flauta e uma multidão alvoroçada. Disse-lhes:

24 “Retirai-vos, porque a menina não está morta; ela dorme”. Eles, porém, zombavam dele.

25 Tendo saído a multidão, ele entrou, tomou a menina pela mão e ela levantou-se.

26 Esta notícia espalhou-se por toda a região.

Palavra da Salvação.


Sobre as Oferendas

Possamos, ó Deus, ser purificados pela oferenda que vos consagramos; que ela nos leve, cada vez mais, a viver a vido do vosso Reino. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Provai e vede quão suave é o Senhor! Feliz o homem que tem nele o seu refúgio! (Sl 33,9)

Depois da Comunhão

Nós vos pedimos, ó Deus, que, enriquecidos por esta tão grande dádiva, possamos colher os frutos da salvação sem jamais cessar vosso louvor. Por Cristo, nosso Senhor.

Santo do Dia / Comemoração (SANTA ISABEL DE PORTUGAL)

MEMÓRIA FACULTATIVA (Branco – Ofício da Memória)

Isabel nasceu na Espanha, em 1271. Entre seus antepassados estão muitos santos, reis e imperadores. Era filha de Pedro II, rei de Aragão, que, no entanto, era um jovem príncipe quando ela nasceu. Sem querer ocupar-se com a educação da filha, o monarca determinou que fosse cuidada pelo avô, Tiago I, que se convertera ao cristianismo e levava uma vida voltada para a fé. Sorte da pequena futura rainha, que recebeu, então, uma formação perfeita e digna no seguimento de Cristo.

 

Tinha apenas doze anos quando foi pedida em casamento por três príncipes, como nos contos de fadas. Seu pai escolheu o herdeiro do trono de Portugal, dom Dinis. Esse casamento significou para Isabel uma coroa de rainha e uma cruz de martírio, que carregou com humildade e galhardia nos anos seguintes de sua vida.

 

Isabel é tida como uma das rainhas mais belas das cortes espanhola e portuguesa; além disso, possuía uma forte e doce personalidade, era também muito inteligente, culta e diplomata. Ela deu dois filhos ao rei: Constância, que seria no futuro rainha de Castela, e Afonso, herdeiro do trono de Portugal. Mas eram incontáveis as aventuras extraconjugais do rei, tão conhecidas e comentadas que humilhavam profundamente a bondosa rainha perante o mundo inteiro.

 

Ela nunca se manifestava sobre a situação, de nada reclamava e a tudo perdoava, mantendo-se fiel ao casamento em Deus, que fizera. Criou os filhos, inclusive os do rei fora do casamento, dentro dos sinceros preceitos cristãos.

 

Perdeu cedo a filha e o genro, criando ela mesma o neto, também um futuro monarca. Não bastassem essas amarguras familiares, foi vítima das desavenças políticas do marido com parentes, e sobretudo do comportamento de seu filho Afonso, que tinha uma personalidade combativa. Depois, ainda foi caluniada por um cortesão que dela não conseguiu se aproximar. A rainha muito sofreu e muito lutou até provar inocência de forma incontestável.

 

Sua atuação nas disputas internas das cortes de Portugal e Espanha, nos idos dos séculos XIII e XIV, está contida na história dessas cortes como a única voz a pregar a concórdia e conseguir a pacificação entre tantos egos desejosos de poder. Ao mesmo tempo que ocupava o seu tempo ajudando a amenizar as desgraças do povo pobre e as dores dos enfermos abandonados, com a caridade da sua esmola e sua piedade cristã.

 

Ergueu o Mosteiro de Santa Clara de Coimbra para as jovens piedosas da corte, O mosteiro cisterciense de Almoste e o santuário do Espírito Santo em Alenquer. Também fundou, em Santarém, o Hospital dos Inocentes, para crianças cujas mães, por algum motivo, desejavam abandonar. Com suas posses sustentava asilos e creches, hospitais para velhos e doentes, tratando pessoalmente dos leprosos. Sem dúvida foi um perfeito símbolo de paz, do seu tempo.

 

Quando o marido morreu, em 1335, Isabel recolheu-se no mosteiro das clarissas de Coimbra, onde ingressou na Ordem Terceira Franciscana. Antes, porém, abdicou de seu título de nobreza, indo depositar a coroa real no altar de São Tiago de Compostela. Doou toda a sua imensa fortuna pessoal para as suas obras de caridade. Viveu o resto da vida em pobreza voluntária, na oração, piedade e mortificação, atendendo os pobres e doentes, marginalizados.

 

A rainha Isabel de Portugal morreu, em Estremoz, no dia 4 de julho de 1336. Venerada como santa, foi sepultada no Mosteiro de Coimbra e canonizada pelo papa Urbano VIII em 1665. Santa Isabel de Portugal foi declarada padroeira deste país, sendo invocada pelos portugueses como "a rainha santa da concórdia e da paz".

 

ORAÇÃO DO DIA

Ó Deus, autor da paz e da caridade, que destes à santa Isabel de Portugal a graça de reconciliar os desunidos, concedei-nos, por sua intercessão, trabalhar pela paz, para que possamos ser chamados filhos de Deus. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

SOBRE AS OFERENDAS

Recebei, ó Pai, os dons do vosso povo, para que, recordando a imensa misericórdia do vosso Filho, sejamos confirmados no amor a Deus e ao próximo, a exemplo dos vossos santos. Por Cristo, nosso Senhor.

 

DEPOIS DA COMUNHÃO

Tendo participado com alegria do banquete da salvação, nós vos pedimos, ó Pai, que, imitando a caridade de santa Isabel de Portugal, participemos com ela da vossa glória. Por Cristo, nosso Senhor.

 




Reflexão sobre o Evangelho:
(19/07/2022 – Mateus 12,46-50) O que conta para Jesus não são o título da pessoa, a afinidade familiar, os dons que possuímos, hoje poderíamos acrescentar o fato de ser batizado. O que vale para Ele é a intimidade, amizade, com Ele, segui-lo, ser um verdadeiro discípulo, cumprir a vontade do Pai. A vontade do Pai está sempre na linha do amor. Um amor que o leva a cuidar de todas as suas ovelhas, principalmente as que estão separadas do rebanho. Se queremos ser membros da família de Jesus precisamos cumprir com a vontade do Pai, ou seja, trilhar o caminho do amor com todas as consequências de viver tudo relacionado ao amor. As palavras de Jesus para sua mãe são um louvor a ela, porque ninguém entre nós, como Maria, cumpriu a vontade de nosso Pai Celestial. Cumpramos com a vontade de Deus para pertencermos à família de Jesus. Deus abençoe você! #ParoquiaMissionaria #CatolicoOrante #ParoquiaEvangelizadora #Evangelizar #Discipular #Enviar #PalavradoPadre #PlanoMissionarioePastoral
Reflexão por: Pe. João Manoel Lopes


Outras reflexões sobre o Evangelho:

Reflexão sobre o Evangelho do dia com Dom Cesar Teixeira, bispo diocesano de São José dos Campos, e padres da diocese.

Textos tirados do site Católico Orante: https://www.catolicoorante.com.br/


Santo Antônio Maria 05/07

Fundador [1502 – 1539]

Origens

Antônio Maria nasceu em Cremona, no norte da Itália, em 1502, na família Zaccaria, tradicional nobreza italiana. Ao perder o pai muito cedo, teve de sua mãe o grande gesto de amor que consistiu em dedicar-se somente para sua educação e formação.

Medicina

Com apenas dezoito anos, Antônio doou toda a sua herança para sua mãe e foi estudar medicina. Ele fez de sua profissão um apostolado, por isso não cuidava só do corpo de seus pacientes, mas também de suas almas. Ele os tratava todos como irmãos.

Sacerdócio

Chamado por Cristo, ampliou seu apostolado ao ser ordenado sacerdote em 1528 e, dessa forma, pôde testemunhar Jesus e a unidade da Igreja num tempo em que as ciências pagãs e a decadência das ordens religiosas e do clero pediam não uma Reforma Protestante, mas sim uma santidade transformadora.

Fundador

Ele fundou a Congregação dos Clérigos Regulares de São Paulo e, com a ajuda de uma condessa, a Congregação das Angélicas de São Paulo. Criou ainda o Grupo de Casais para os leigos.

Antônio viveu e comunicou vida num dos períodos mais difíceis da Igreja de Cristo.

Páscoa

Depois de muito propagar a devoção a Jesus Eucarístico, foi acometido por uma epidemia, e com 37 anos veio a “dormir” nos braços de sua mãe terrestre e acordar nos braços de sua Mãe Celestial.

Foi canonizado em 1897. É considerado o pioneiro da Pastoral Familiar na história da Igreja.

A minha oração

“Meu Deus, que pela intercessão de Santo Antônio Maria Zaccaria, o senhor possa me conceder a mesma graça que ele recebeu: propagar a devoção a Tua Eucaristia e acordar, após viver uma vida entregue a Ti, nos braços da Virgem Maria! Amém.”

Santo Antônio Maria Zaccaria, rogai por nós!

Outros santos e beatos celebrados em 5 de julho:

  •  Em Réggio Calábria, também na Itália, Santo Estêvão de Niceia, bispo e mártir. († c. 78)
  •  Em Cirene, na Líbia, Santa Ciprila, mártir, que, segundo a tradição, suportou muito tempo em sua mão carvões a arder com incenso, para evitar que, deitando fora as brasas, desse a impressão de que oferecia o incenso aos deuses; depois, crudelissimamente dilacerada, ornada com o próprio sangue partiu deste mundo ao encontro do Esposo († s. IV)
  • Comemoração de Santo Atanásio de Jerusalém, diácono da Igreja da Santa Ressurreição e mártir, assassinado pelo monge herético Teodósio, por ter censurado a sua impiedade e defender o santo Concílio de Calcedónia. († 451/452)
  • Comemoração de São Domécio o Médico, eremita no monte Kurós, na antiga Arménia. († s. V)
  • No monte Admirável, hoje Antakya, na Turquia, Santa Marta, mãe de São Simeão Estilita o Jovem. († 551)
  • No mosteiro de Santa Maria de Terreto, perto de Réggio Calábria, na Itália, São Tomás, abade. († 1000)
  • No Monte Athos, na Grécia, Santo Atanásio, hegúmeno, homem humilde e pacífico, que instituiu na Grande Laura uma forma de vida cenobítica. († c. 1004)
  • Em Wexford, na Irlanda, os beatos Mateus LambertRoberto MeylerEduardo Cheevers Patrício Cavanagh, mártires, que, por causa da sua fidelidade à Igreja Romana e do auxílio prestado aos católicos, foram enforcados e esquartejados. († 1581)
  • Em Oxford, na Inglaterra, os beatos mártires Jorge Nichols e Ricardo Yaxley, presbíteros, Tomás Belson, candidato ao sacerdócio, e Hunfredo Pritchard, que, condenados à morte no tempo da mesma rainha, uns porque eram sacerdotes que entraram na Inglaterra, outros porque lhes prestaram auxílio, sofreram todos o suplício do patíbulo. († 1589)
  • Perto de Huangeryin, província da China, as santas irmãs Teresa Chen Jinxie e Rosa Chen Aixie, virgens e mártires, que, d para salvaguardarem a honra da virgindade e a sua fé cristã, resistiram corajosamente às bárbaras depravações e à feroz crueldade dos perseguidores e foram trespassadas pelos golpes das lanças dos seus verdugos. († 1900)

Fontes:

  • vatican.va e vaticannews.va
  • Martirológio Romano – liturgia.pt
  • arquisp.org.br

– Produção e edição: Catarina Xavier – Comunidade Canção Nova



Por: CN


Dia 5 de Julho - Terça-feira

XIV SEMANA DO TEMPO COMUM* (Verde – Ofício do Dia)

Antífona de Entrada

Recebemos, ó Deus, a vossa misericórdia no meio do vosso templo. Vosso louvor se estenda, como o vosso nome, até os confins da terra; toda a justiça se encontra em vossas mãos (Sl 47,10s).

Oração do dia

Ó Deus, que pela humilhação do vosso Filho reerguestes o mundo decaído, enchei os vossos filhos e filhas de santa alegria e Dai aos que libertastes da escravidão do pecado o gozo das alegrias eternas. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Oseias 8,4-7.11-13)

Leitura da profecia de Oseias.

8 4 “Constituíram reis sem minha aprovação, e chefes sem meu conhecimento. Fizeram para si ídolos de sua prata e de seu ouro, para a sua própria perdição.

5 Rejeito teu bezerro (de ouro), ó Samaria! Minha cólera inflamou-se contra eles. Até quando não poderão eles purificar-se?

6 Porque (esse bezerro) é obra de Israel, foi um artista que o fez; ele não é um deus, será, pois, despedaçado o bezerro de Samaria.

7 Visto que semearam ventos, colherão tempestades; não terão sequer uma espiga, e o grão não dará farinha; e, mesmo que a desse, seria comida pelos estrangeiros.

11 Efraim multiplicou os altares, e seus altares só lhe serviram para pecar.

12 Mesmo que eu lhe escreva todos os preceitos de minha lei, ele a estimará como uma lei estrangeira.

13 Oferecem vítimas em sacrifício e comem-lhes as carnes, mas o Senhor não se compraz nelas. Doravante ele se lembrará da iniquidade deles, e punirá os seus pecados: voltarão para o Egito”.

Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 113B/115

Confia, Israel, no Senhor!

 

É nos céus que está o nosso Deus,

Ele faz tudo aquilo que quer.

São os deuses pagãos ouro e prata,

Todos eles são obras humanas.

 

Te boca e não podem falar,

Têm olhos e não podem ver;

Têm nariz e não podem cheirar,

Tendo ouvidos, não podem ouvir.

 

Têm mãos e não podem pegar,

Têm pés e não podem andar.

Como eles serão seus autores,

Que os fabricam e neles confiam.

 

Confia, Israel, no Senhor.

Ele é teu auxílio e escudo!

Confia, Aarão, no Senhor.

Ele é teu auxílio e escudo!

Evangelho (Mateus 9, 32-38)

Aleluia, aleluia, aleluia.

Eu sou o bom pastor, conheço minhas ovelhas e elas me conhecem, assim fala o Senhor (Jo 10,14).

 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

Naquele tempo, 9 32 apresentaram-lhe um mudo, possuído do demônio.

33 O demônio foi expulso, o mudo falou e a multidão exclamava com admiração: "Jamais se viu algo semelhante em Israel".

34 Os fariseus, porém, diziam: "É pelo príncipe dos demônios que ele expulsa os demônios".

35 Jesus percorria todas as cidades e aldeias. Ensinava nas sinagogas, pregando o Evangelho do Reino e curando todo mal e toda enfermidade.

36 Vendo a multidão, ficou tomado de compaixão, porque estava enfraquecida e abatida como ovelhas sem pastor.

37 Disse, então, aos seus discípulos: "A messe é grande, mas os operários são poucos.

38 Pedi, pois, ao Senhor da messe que envie operários para sua messe".

Palavra da Salvação.


Sobre as Oferendas

Possamos, ó Deus, ser purificados pela oferenda que vos consagramos; que ela nos leve, cada vez mais, a viver a vida do vosso reino. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Provai e vede quão suave é o Senhor! Feliz o homem que tem nele o seu refúgio! (Sl 33,9)

Depois da Comunhão

Nós vos pedimos, ó Deus, que, enriquecidos por essa tão grande dádiva, possamos colher os frutos da salvação sem jamais cessar vosso louvor. Por Cristo, nosso Senhor.

Santo do Dia / Comemoração (SANTO ANTÔNIO M. ZACCARIA)

MEMÓRIA FACULTATIVA (Branco – Ofício da Memória)

 

Antônio Maria nasceu na rica família Zacarias, da tradicional nobreza italiana, na cidade de Cremona, em 1502. Era o filho único de Lázaro e Antonieta, e seu pai morreu quando ele tinha apenas dois anos de idade. Nessa ocasião não faltaram os pretendentes à mão da jovem viúva, que contava com dezoito anos de idade. Mas Antonieta preferiu afastar-se de todos. Tornou-se exemplo de vida austera, séria e voltada para a fé, dedicando-se exclusivamente à educação e formação do filho. E seu empenho ilustra a alma do homem que preparou para o mundo e para a Igreja.

 

Em pouco tempo, Antônio Maria era conhecido por sua inteligência precoce e, ao mesmo tempo, pela disposição à caridade e humildade. Contam os escritos que era comum chegar do colégio sem seu caro manto de lã, pois o deixava sobre os ombros de algum mendigo que estava exposto ao rigor do frio.

 

Ao completar dezoito anos de idade, doou toda sua herança para sua mãe, e foi estudar filosofia em Pávia e medicina em Pádua. Ao contrário dos demais estudantes, que pouco aprendiam e mais se dedicavam à vida de diversões das metrópoles, como em todas as épocas, Antônio Maria usava todo o seu tempo para estudar e meditar. Em vez de vestir-se como fidalgo, preferia as roupas simples e comportava-se com humildade.

 

Depois de formado, exerceu a medicina junto ao povo, cuidando principalmente dos que não tinham recursos. Conta a tradição que, além de curar os males do corpo, ele confortava as tristezas da alma de seus pobres pacientes.

 

Distribuía os remédios científicos juntamente com o conforto, a esperança e a paz de espírito. Finalmente, sua espiritualidade venceu a ciência e, em 1528, Antônio Maria ordenou-se sacerdote.

 

Com as bênçãos da mãe, que ficou feliz, mas sozinha, ele foi exercer seu apostolado em Milão. Ali, na companhia de Tiago Morigia e Bartolomeu Ferrari, fundou a Congregação dos Clérigos Regulares de São Paulo, cujos membros ficaram conhecidos como "barnabitas", pois a primeira Casa da Ordem foi erguida ao lado da igreja de São Barnabé, em Milão. Depois, com apoio da condessa de Guastalla, Ludovica Torelli, fundou também a Congregação feminina das Angélicas de São Paulo e criou o Grupo de Casais, para os leigos. Toda a sua Obra se voltou à reforma do clero e dos leigos, reaproximando-os dos legítimos preceitos cristãos.

 

Tendo como modelo são Paulo, era também um devoto extremado da santa eucaristia. Foi o padre Antônio Maria que instituiu as "quarenta horas de adoração ao Santíssimo Sacramento", e também o soar dos sinos às quinze horas para indicar a Paixão de Jesus na cruz.

 

Durante uma de suas numerosas missões de oração e pregação que efetuava na Itália meridional, foi acometido pela epidemia que se alastrava na região. Não tinha ainda completado os trinta e sete anos de idade quando isto aconteceu. Como médico que era, sabia que a morte se aproximava, voltou então para os braços da dedicada mãe Antonieta.

 

Ele morreu, sob o teto da mesma casa onde nasceu, em 5 de julho de 1539, e foi canonizado em 1897. Tendo em vista a criação do Grupo de Casais, santo Antônio Maria Zacarias é considerado o pioneiro da Pastoral Familiar na história da Igreja.

ORAÇÃO DO DIA

Concedei-nos, ó Deus, aquele incomparável conhecimento de Jesus Cristo que destes ao apóstolo são Paulo e inspirou Santo Antônio Maria Zacarias ao anunciar constantemente em vossa Igreja a palavra da salvação. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

SOBRE AS OFERENDAS

Sejam aceitos por vós, ó Deus, os frutos do nosso trabalho que trazemos ao vosso altar em honra de Santo Antônio Maria Zacaria e concedei que, livres da avidez dos bens terrenos, tenhamos em vós a única riqueza. Por Cristo, nosso Senhor.

 

DEPOIS DA COMUNHÃO

Ó Deus, pela força deste sacramento, conduzi-nos constantemente no vosso amor, a exemplo de Santo Antônio Maria Zacaria, e completai, até a vinda de Cristo, a obra que começastes em nós. Por Cristo, nosso Senhor.

 




Reflexão sobre o Evangelho:
(05/07/2022 – Mateus 9,32-38) Hoje o Senhor insiste conosco sobre o poder da oração. Antes de curar os enfermos, Jesus orou; antes de pregar, ele se retirou para orar. A oração para Ele é a arma fundamental para enfrentar as dificuldades da vida. É por isso que Ele encoraja seus discípulos para orarem, pedirem ao Senhor que envie muitos trabalhadores à sua messe para estender o Reino de Deus. O Senhor quer que tenhamos um compromisso firme de oração pelas vocações. Com o apoio da oração nos tornamos mensageiros da verdade onde quer que exerçamos nossa profissão: no meio das pessoas ao nosso redor, em nossa família, com nossos amigos. Sejamos testemunhas autênticas de Jesus e trabalhemos pelo Reino de Deus e Ele estará conosco até o fim do mundo. Sejamos orantes suplicando ao Senhor da messe que envie santas e generosas vocações à sua Igreja. Deus abençoe você! #ParoquiaMissionaria #CatolicoOrante #ParoquiaEvangelizadora #Evangelizar #Discipular #Enviar #PalavradoPadre #PlanoMissionarioePastoral
Reflexão por: Pe. João Manoel Lopes


Outras reflexões sobre o Evangelho:

Reflexão sobre o Evangelho do dia com Dom Cesar Teixeira, bispo diocesano de São José dos Campos, e padres da diocese.

Textos tirados do site Católico Orante: https://www.catolicoorante.com.br/


Santa Maria Goretti 06/07

[1890-1902]

A Igreja, neste dia, celebra a virgem e mártir que encantou e continua enriquecendo os cristãos com seu testemunho de ‘sim’ à Deus e ‘não’ ao pecado.

Origens

Nasceu em Corinaldo, centro da Itália, no ano de 1890. Era de família pobre, numerosa e camponesa, mas muito temente a Deus.

Com a morte do pai, Maria Goretti, com os seus, foram morar num local perto de Roma, sob o mesmo teto de uma família composta por um pai viúvo e dois filhos, sendo um deles Alessandro.

“É pecado!”

Aconteceu que este jovem, por várias vezes, tentou seduzir Goretti, que ficava em casa para cuidar dos irmãozinhos. E por ser uma menina temente a Deus, sua resposta era cheia de maturidade: “Não, não, Deus não quer; é pecado!”

Martírio pela pureza

Santa Maria Goretti, certa vez, estava em casa e em oração, por isso quando o jovem, que era de maior estatura e idade, tentou novamente seduzi-la, Goretti resistiu com mais um grande não.

A resposta de Alessandro foram 14 facadas, enquanto da parte de Goretti, percebemos a santidade na confidência à sua mãe: “Sim, o perdoo… Lá no céu, rogarei para que ele se arrependa… Quero que ele esteja junto comigo na glória eterna”.

Conversão

O martírio desta adolescente de apenas 12 anos foi a causa da conversão do jovem assassino, que, depois de sair da cadeia, esteve com as 400 mil pessoas, na Praça de São Pedro, na ocasião da canonização dessa santa, e ao lado da mãe dela, que o perdoou também.

Santa Maria Goretti manteve-se pura e santa por causa do seu amor a Deus, por isso reina na glória com Cristo.

Beatificação e canonização

Sua beatificação foi celebrada, no dia 27 de abril de 1947, por Papa Pio XII. E em 24 de junho de 1950, o mesmo celebrou a canonização da santa. Sua festa é celebrada no dia 6 de julho. Santa Maria Goretti é tida como a santa da castidade, da juventude, das vítimas de estupro, da pureza de coração e do perdão. É representada segurando lírios, que simbolizam sua pureza, e com vestes brancas, sinal de sua virgindade.

A minha oração

“Santa Maria Goretti, interceda por mim junto a Deus para que eu possa ser também casta e pura, de corpo, mente e coração! Que eu não tema entregar a minha vida por amor a Deus! Amém!”

Santa Maria Goretti, rogai por nós!

Outros santos e beatos celebrados em 6 de julho:

  • Em Nicomédia, hoje na Turquia, Santa Ciríaca, virgem e mártir. († s. III/IV)
  • Em Fiésole,  hoje na Toscana,  São Rómulo, diácono, que é considerado como o primeiro mártir celebrado desta cidade. († data inc)
  • No Egito, São Sisos o Grande, eremita, singularmente insigne no exercício da vida monástica. († c. 429)
  • Na Escócia, a comemoração de São Paládio, bispo, que, enviado da cidade de Roma à Irlanda, aí morreu no tempo em que São Germano de Auxerre combatia os erros de Pelágio entre os Bretões. († 432)
  • No território de Armagh, na Irlanda, Santa Monena, abadessa do mosteiro de Killeevy por ela fundado. († 517)
  • Junto ao rio Reno, na atual Alemanha, São Goar, presbítero, natural da Aquitânia, que fundou um hospício e um oratório para receber os peregrinos e ajudá-los na salvação das suas almas. († s. VI)
  • No território de Condat, junto ao maciço do Jura, na Borgonha, hoje na França, São Justo, monge. († data inc.)
  • Em Londres, na Inglaterra, São Tomás Moro, que é comemorado no dia 22 de Junho, juntamente com São João Fischer. († 1535)
  • Também em Londres, o Beato Tomás Alfield, presbítero e mártir, que, num primeiro momento, cedeu à tortura e abjurou da fé católica; mas depois de ter sido mandado para o exílio, arrependeu-se e voltou para a Inglaterra, por ter divulgado uma Apologia em defesa dos católicos, sofreu o suplício da forca em Tyburn. († 1585)
  • Num barco-prisão ancorado ao largo de Rochefort, na França, o Beato Agostinho José (Elias) Desgardin, monge da Ordem Cisterciense e mártir. († 1794)
  • Em Orange, também na França, a Beata Susana Águeda Deloye (Maria Rosa), virgem da Ordem de São Bento e mártir. († 1794)
  • Em Shuangzhong, no Hebei, província da China, São Pedro Wang Zuolong, mártir, que, durante a perseguição dos «Yihetuan», foi conduzido ao templo do ídolo e, porque se recusou a renegar a fé em Cristo, morreu enforcado num poste. († 1900)
  • Em Roma, a Beata Maria Teresa Ledochowska, que se dedicou totalmente aos africanos oprimidos pela escravidão e fundou o Sodalício de São Pedro Claver. († 1922)
  • Em Buenos Aires, na Argentina, a Beata Nazária de Santa Teresa (Nazária Inácia March Mesa), virgem, que, movida pelo zelo missionário se consagrou totalmente à evangelização dos pobres nas várias nações da América Latina e fundou o Instituto das Missionárias Cruzadas da Igreja. († 1943)

Fontes:

  • vatican.va e vaticannews.va
  • Martirológio Romano – liturgia.pt
  • arquisp.org.br

– Produção e edição: Catarina Xavier – Comunidade Canção Nova



Por: CN


Dia 6 de Julho - Quarta-feira

XIV SEMANA DO TEMPO COMUM* (Verde – Ofício do Dia)

Antífona de Entrada

Recebemos, ó Deus, a vossa misericórdia no meio do vosso templo. Vosso louvor se estenda, como o vosso nome, até os confins da terra; toda a justiça se encontra em vossas mãos (Sl 47,10s).

Oração do dia

Ó Deus, que pela humilhação do vosso Filho reerguestes o mundo decaído, enchei os vossos filhos e filhas de santa alegria e Dai aos que libertastes da escravidão do pecado o gozo das alegrias eternas. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Oseias 10,1-3.7-8.12)

Leitura da profecia de Oseias.

10 1 Israel era uma vinha exuberante e dava frutos para seu consumo; na medida de sua produção, erguia os numerosos altares; na medida da fertilidade da terra, embelezava seus ídolos. 2 Com o coração dividido, deve agora receber castigo; o Senhor mesmo derrubará seus altares, destruindo os seus simulacros. 3 E dizem, com efeito: “Não temos rei, porque não tememos o Senhor; e que nos fará o nosso rei?”

7 Samaria está aniquilada, seu rei é como espuma à tona da água.

8 Serão destruídos os lugares altos de Bet-Aven, o pecado de Israel. Espinhos e abrolhos crescerão nos seus altares; dirão então às montanhas: “Cobri-nos!” E às colinas: “Caí sobre nós!”

12 Semeai na justiça, e colhereis bondade em proporção. Lavrai novas terras! É tempo de buscar o Senhor, até que venha espalhar a justiça sobre vós.

Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 104/105

Buscai constantemente a face do Senhor!

 

Cantai, entoai salmos para ele,

Publicai todas as suas maravilhas!

Gloriai-vos em seu nome que é santo,

Exulte o coração que busca a Deus!

 

Procurai o Senhor Deus e seu poder,

Buscai constantemente a sua face!

Lembrai as maravilhas que ele fez,

Seus prodígios e as palavras de seus lábios!

 

Descendentes de Abraão, seu servidor,

E filhos de Jacó, seu escolhido,

Ele mesmo, o Senhor, é nosso Deus,

Vigora suas leis em toda a terra.

Evangelho (Mateus 10,1-7)

Aleluia, aleluia, aleluia.

Convertei-vos e crede no Evangelho, pois o reino de Deus está chegando! (Mc 1,15).

 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

Naquele tempo, 10 1 Jesus reuniu seus doze discípulos. Conferiu-lhes o poder de expulsar os espíritos imundos e de curar todo mal e toda enfermidade.

2 Eis os nomes dos doze apóstolos: o primeiro, Simão, chamado Pedro; depois André, seu irmão. Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão.

3 Filipe e Bartolomeu. Tomé e Mateus, o publicano. Tiago, filho de Alfeu, e Tadeu.

4 Simão, o cananeu, e Judas Iscariotes, que foi o traidor.

5 Estes são os Doze que Jesus enviou em missão, após lhes ter dado as seguintes instruções: "Não ireis ao meio dos gentios nem entrareis em Samaria;

6 ide antes às ovelhas que se perderam da casa de Israel.

7 Por onde andardes, anunciai que o Reino dos céus está próximo".

Palavra da Salvação.


Sobre as Oferendas

Possamos, ó Deus, ser purificados pela oferenda que vos consagramos; que ela nos leve, cada vez mais, a viver a vida do vosso reino. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Provai e vede quão suave é o Senhor! Feliz o homem que tem nele o seu refúgio! (Sl 33,9)

Depois da Comunhão

Nós vos pedimos, ó Deus, que, enriquecidos por essa tão grande dádiva, possamos colher os frutos da salvação sem jamais cessar vosso louvor. Por Cristo, nosso Senhor.

Santo do Dia / Comemoração (SANTA MARIA GORETTI)

MEMÓRIA FACULTATIVA  (Vermelho – Ofício da Memória)

 

Maria Goretti, humilde camponesa, nasceu em 16 de outubro de 1890 na cidade de Corinaldo, província de Ancona, Itália. Seus pais, Luiz e Assunta, criavam os sete filhos em meio à penúria de uma vida de necessidades, mas dentro dos preceitos ditados por Jesus Cristo.

 

A menina Maria, por ser a mais velha, cresceu cuidando dos irmãos pequenos em casa, enquanto os pais labutavam no campo. Uma de suas irmãs, mais tarde, tornou-se freira franciscana. As dificuldades financeiras eram tantas que a família migrou de povoado em povoado até fixar-se num povoado inóspito chamado Ferrieri. Nessa localidade, a família passou a residir na mesma propriedade de João Sereneli, ancião de sessenta anos de idade que tinha dois filhos, Gaspar e Alexandre, este com dezoito anos de idade. Assim, todos trabalhavam na lavoura enquanto a jovem Maria cuidava da casa e dos irmãos pequenos.

 

Desse modo, Maria nunca pôde estudar, mas ao lado da família sempre freqüentou a igreja. Ela só estudou o catecismo para fazer a primeira comunhão, aos doze anos de idade, um ano após a morte de seu pai. Quando isto ocorreu, o senhor João, compadecido, manteve tudo como estava, contando apenas com a viúva para o trabalho na lavoura. Porém o problema era seu filho Alexandre, que passara a assediar Maria. Apesar da pouca idade, ela era bonita e bem desenvolvida, já atraindo os olhares masculinos. Como recusasse todas as aproximações do rapaz, este se irritou ao extremo. Até que, no dia 5 de julho de 1902, ele perdeu a razão e a tragédia aconteceu.

 

Naquele dia, Alexandre trabalhava ao lado de Assunta quando inventou um pretexto, deixou a lavoura. Foi para o lar dos Goretti portando uma barra de ferro com ponta afiada, sabia que Maria estaria sozinha e indefesa. Primeiro insinuou, depois exigiu, por fim ameaçou a jovem de morte se não satisfizesse seus desejos. Mesmo temendo o pior, Maria resistiu dizendo que aquilo era um pecado mortal. Alexandre, transtornado por não alcançar seu intento, passou a golpear violentamente o corpo da menina.

 

Ela ainda foi levada com vida a um hospital, após ser vitimada com quatorze perfurações. E teve tempo de perdoar seu agressor, pedindo a sua mãe e seus irmãos que fizessem o mesmo, por amor a Jesus. Maria Goretti morreu no dia seguinte ao ataque, no dia 6 de julho de 1902. Quanto a Alexandre, foi preso, quase linchado e condenado a trabalhos forçados. Porém, depois de vinte e sete anos de prisão, foi solto por bom comportamento. Depois de ir a Corinaldo pedir perdão à mãe de Maria Goretti, ingressou num convento capuchinho, onde viveu sua sincera conversão até morrer.

 

Muitos milagres passaram a acontecer por intercessão da pequena menina virgem. A fé na sua santidade cresceu e espalhou-se de tal forma no mundo cristão que, em 1950, ela foi canonizada. Na solenidade, estava presente a sua mãe Assunta, então com oitenta e quatro anos, ao lado de quatro de seus filhos e Alexandre Sereneli, o agressor sinceramente convertido. O papa Pio XII declarou santa Maria Goretti padroeira das virgens cristãs. Até hoje continuam as romarias ao Santuário de Nossa Senhora das Graças, em Nettuno, onde se encontra a sepultura da santa, há dez quilômetros do povoado onde tudo aconteceu.

 

ORAÇÃO DO DIA

Ó Deus, fonte de inocência e pureza, que ornastes Maria Goretti, ainda adolescente, com a graça do martírio e a coroastes no combate pela virgindade, dai-nos, por sua intercessão, guardar sempre os vossos mandamentos. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

SOBRE AS OFERENDAS

Aceitai, ó Deus, nossa humilde homenagem na comemoração da virgem santa Maria Goretti e concedei-nos, por esta oblação puríssima, manter acesa em nossos corações a chama do vosso amor. Por Cristo, nosso Senhor.

 

DEPOIS DA COMUNHÃO

Nutridos pelo pão do céu, imploramos, ó Deus, vossa clemência, para que, alegrando-nos com a festa de santa Maria Goretti, possamos alcançar perdão para os nossos pecados, graça e proteção para nossas vidas e finalmente a glória eterna. Por Cristo, nosso Senhor.




Reflexão sobre o Evangelho:
(06/07/2022 – Mateus 10,1-7) Jesus convocou os doze. Nos doze, estamos todos representados. Recordamos o nome de cada um destes primeiros, como que ligando este convite ao anúncio e a proximidade de Jesus. Só seremos continuadores da missão de Jesus se primeiro formos discípulos dEle. Os chamados foram enviados para proclamar que o Reino dos céus está próximo. Para que a missão seja eficaz, Jesus dá-lhes autoridade para expulsar espíritos imundos e curar todas as doenças e enfermidades. O essencial para Jesus é mostrar o Reino de Deus presente entre nós. E isso não coincide com os reinos e poderes deste mundo, cujos postulados, objetivos e procedimentos costumam ser diferentes. Nós somos os mensageiros enviados por Jesus, continuadores daqueles doze primeiros e de Paulo, somos enviados com seu próprio poder e força. Sejamos ousados na evangelização. Deus abençoe você! #ParoquiaMissionaria #CatolicoOrante #ParoquiaEvangelizadora #Evangelizar #Discipular #Enviar #PalavradoPadre #PlanoMissionarioePastoral
Reflexão por: Pe. João Manoel Lopes


Outras reflexões sobre o Evangelho:

Reflexão sobre o Evangelho do dia com Dom Cesar Teixeira, bispo diocesano de São José dos Campos, e padres da diocese.

Textos tirados do site Católico Orante: https://www.catolicoorante.com.br/


São Vilibaldo 07/07

Dia 7 de Julho - Quinta-feira

XIV SEMANA DO TEMPO COMUM (Verde – Ofício do Dia)

Antífona de Entrada

Recebemos, ó Deus, a vossa misericórdia no meio do vosso templo. Vosso louvor se estenda, como o vosso nome, até os confins da terra; toda a justiça se encontra em vossas mãos (Sl 47,10s).

Oração do dia

Ó Deus, que pela humilhação do vosso Filho reerguestes o mundo decaído, enchei os vossos filhos e filhas de santa alegria e daí aos que libertastes da escravidão do pecado o gozo das alegrias eternas. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Oseias 11,1-4.8-9)

Leitura da profecia de Oseias.

Assim fala o Senhor: 11 1 “Israel era ainda criança, e já eu o amava, e do Egito chamei meu filho.

2 Mas, quanto mais os chamei, mais se afastaram; ofereceram sacrifícios aos Baal e queimaram ofertas aos ídolos.

3 Eu, entretanto, ensinava Efraim a andar, tomava-o nos meus braços, mas não compreenderam que eu cuidava deles.

4 Segurava-os com laços humanos, com laços de amor; fui para eles como o que tira da boca uma rédea, e lhes dei alimento.

8 Como poderia eu abandonar-te, ó Efraim, ou trair-te, ó Israel? Como poderia eu tratar-te como Adama, ou tornar-te como Seboim? Meu coração se revolve dentro de mim, eu me comovo de dó e compaixão.

9 Não darei curso ao ardor de minha cólera, já não destruirei Efraim, porque sou Deus e não um homem, sou o Santo no meio de ti, e não gosto de destruir”.

Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 79/80

Sobre nós iluminai a vossa face

E, então, seremos salvos, ó Senhor!

 

Ó pastor de Israel, prestai ouvidos.

Vós, que sobre os querubins vos assentais,

Despertai vosso poder, ó nosso Deus,

E vinde logo nos trazer a salvação!

 

Voltai-vos para nós, Deus do universo!

Olhai dos altos céus e observai.

Visitai a vossa vinha e protegei-a!

Foi a vossa mão direita que a plantou;

Protegei-a, e ao rebento que firmastes!

Evangelho (Mateus 10,7-15)

Aleluia, aleluia, aleluia.

Convertei-vos e crede no Evangelho, pois o reino de Deus está chegando! (Mc 1,15).

 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 10 7 "Por onde andardes, anunciai que o Reino dos céus está próximo.

8 Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios. Recebestes de graça, de graça dai!

9 Não leveis nem ouro, nem prata, nem dinheiro em vossos cintos,

10 nem mochila para a viagem, nem duas túnicas, nem calçados, nem bastão; pois o operário merece o seu sustento.

11 Nas cidades ou aldeias onde entrardes, informai-vos se há alguém ali digno de vos receber; ficai ali até a vossa partida.

12 Entrando numa casa, saudai-a: ‘Paz a esta casa’.

13 Se aquela casa for digna, descerá sobre ela vossa paz; se, porém, não o for, vosso voto de paz retornará a vós.

14 Se não vos receberem e não ouvirem vossas palavras, quando sairdes daquela casa ou daquela cidade, sacudi até mesmo o pó de vossos pés.

15 Em verdade vos digo: no dia do juízo haverá mais indulgência com Sodoma e Gomorra que com aquela cidade.

Palavra da Salvação.


Sobre as Oferendas

Possamos, ó Deus, ser purificados pela oferenda que vos consagramos; que ela nos leve, cada vez mais, a viver a vida do vosso reino. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Provai e vede quão suave é o Senhor! Feliz o homem que tem nele o seu refúgio! (Sl 33,9)

Depois da Comunhão

Nós vos pedimos, ó Deus, que, enriquecidos por essa tão grande dádiva, possamos colher os frutos da salvação sem jamais cessar vosso louvor. Por Cristo, nosso Senhor.




Reflexão sobre o Evangelho:
(07/07/2022 – Mateus 10,7-15) A melhor notícia que podemos oferecer à humanidade é o anúncio do Reino dos céus, precisamos anunciar aos homens de todos os tempos que Deus se oferece para ser nosso Rei, para reinar em nosso coração, como aquilo que é: nosso Deus e Senhor. Não tenhamos medo. Jesus nos anuncia que nosso Deus, não é um ser distante, indiferente: é nosso Pai. Não contente com presentear-nos com a vida humana, nos presenteia também com a vida divina. Em Cristo somos filhos de Deus, somos irmãos. Hoje, Jesus nos indica em quais condições devemos anunciar a boa nova a todos os povos. Precisamos de um olhar compassivo e um coração confiante. A missão apostólica, acompanhada do testemunho de vida, torna-se eficaz e permite que Cristo seja conhecido. Tenhamos em nós as mesmas disposições dos apóstolos e nos empenhemos no cumprimento da missão apostólica. Deus abençoe você! #ParoquiaMissionaria #CatolicoOrante #ParoquiaEvangelizadora #Evangelizar #Discipular #Enviar #PalavradoPadre #PlanoMissionarioePastoral
Reflexão por: Pe. João Manoel Lopes


Outras reflexões sobre o Evangelho:

Reflexão sobre o Evangelho do dia com Dom Cesar Teixeira, bispo diocesano de São José dos Campos, e padres da diocese.

Texto tirado do site Católico Orante: https://www.catolicoorante.com.br/


Santo Eugênio 08/07

Dia 8 de Julho - Sexta-feira

XIV SEMANA DO TEMPO COMUM* (Verde – Ofício do Dia)

Antífona de Entrada

Recebemos, ó Deus, a vossa misericórdia no meio do vosso templo. Vosso louvor se estenda, como o vosso nome, até os confins da terra; toda a justiça se encontra em vossas mãos (Sl 47,10s).

Oração do dia

Ó Deus, que pela humilhação do vosso Filho reerguestes o mundo decaído, enchei os vossos filhos e filhas de santa alegria e daí aos que libertastes da escravidão do pecado o gozo das alegrias eternas. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Oseias 14, 2-10)

Leitura da profecia de Oseias.

Assim fala o Senhor: 14 2 “Muni-vos de palavras (de súplicas) e voltai ao Senhor. Dizei-lhe: ‘Perdoai todos os nossos pecados, acolhei-nos favoravelmente. Queremos oferecer em sacrifício a homenagem de nossos lábios.

3 O assírio não nos salvará, não mais montaremos nossos cavalos, e não mais teremos como Deus obra alguma de nossas mãos, porque só junto de vós encontra o órfão compaixão’.

4 Curarei a sua infidelidade, amá-los-ei de todo o coração, (porque minha cólera apartou-se deles)’.

5 Serei para Israel como o orvalho; ele florescerá como o lírio, e lançará raízes como o álamo.

6 Seus galhos estender-se-ão ao longe, sua opulência igualará à da oliveira e seu perfume será como o odor do Líbano.

7 (Os de Efraim) virão sentar-se à sua sombra. Cultivarão o trigo. Crescerão com a vinha. E serão famosos como o vinho do Líbano.

8 Que terá ainda Efraim de comum com os ídolos? Eu mesmo, que o afligi, torná-lo-ei feliz. Eu sou como o cipreste sempre verde: graças a mim é que produzes fruto.

9 Quem é sábio atenda a estas coisas! Que o homem inteligente reflita nelas, porque os caminhos do Senhor são retos. Os justos andam por eles, mas os pecadores neles tropeçam”.

Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 50/51

Minha boca anunciará vosso louvor!

 

Tende piedade, ó meu Deus, misericórdia!

Na imensidão de vosso amor, purificai-me!

Lavai-me todo inteiro do pecado

e apagai completamente a minha culpa!

 

Mas vós amais os corações que são sinceros,

Na intimidade me ensinais sabedoria.

Aspergi-me e serei puro do pecado,

E mais branco do que a neve ficarei.

 

Criai em mim um coração que seja puro,

Dai-me de novo um espírito decidido.

Ó Senhor, não me afasteis de vossa face

Nem retireis de mim o vosso Santo Espírito!

 

Dai-me de novo a alegria de ser salvo

E confirmai-me com espírito generoso!

Abri meus lábios, ó Senhor, para cantar,

e minha boca anunciará vosso louvor!

Evangelho (Mateus 10,16-23)

Aleluia, aleluia, aleluia.

Quando o paráclito vier, o Espírito da verdade, ele vos conduzirá a toda a verdade, lembrar-vos-á de tudo o que eu tenho falado (Jo 16,13; 14,26).

 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 10 16 "Eu vos envio como ovelhas no meio de lobos. Sede, pois, prudentes como as serpentes, mas simples como as pombas.

17 Cuidai-vos dos homens. Eles vos levarão aos seus tribunais e açoitar-vos-ão com varas nas suas sinagogas.

18 Sereis por minha causa levados diante dos governadores e dos reis: servireis assim de testemunho para eles e para os pagãos.

19 Quando fordes presos, não vos preocupeis nem pela maneira com que haveis de falar, nem pelo que haveis de dizer: naquele momento ser-vos-á inspirado o que haveis de dizer.

20 Porque não sereis vós que falareis, mas é o Espírito de vosso Pai que falará em vós.

21 O irmão entregará seu irmão à morte. O pai, seu filho. Os filhos levantar-se-ão contra seus pais e os matarão.

22 Sereis odiados de todos por causa de meu nome, mas aquele que perseverar até o fim será salvo.

23 Se vos perseguirem numa cidade, fugi para uma outra. Em verdade vos digo: não acabareis de percorrer as cidades de Israel antes que volte o Filho do Homem".

Palavra da Salvação.


Sobre as Oferendas

Possamos, ó Deus, ser purificados pela oferenda que vos consagramos; que ela nos leve, cada vez mais, a viver a vida do vosso reino. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Provai e vede quão suave é o Senhor! Feliz o homem que tem nele o seu refúgio! (Sl 33,9)

Depois da Comunhão

Nós vos pedimos, ó Deus, que, enriquecidos por essa tão grande dádiva, possamos colher os frutos da salvação sem jamais cessar vosso louvor. Por Cristo, nosso Senhor.

Santo do Dia / Comemoração (SANTO AGOSTINHO ZHAO RONG E COMPANHEIROS)

MEMÓRIA FACULTATIVA  (Vermelho – Ofício da Memória)


SANTO AGOSTINHO RONG E COMPANHEIROS

Agostinho Zhao Rong era um soldado chinês que escoltou Monsenhor Dufresse até a cidade de Beijin e o acompanhou até sua execução por decapitação. Ele ficou muito impressionado com a serenidade e a força espiritual de Defresse que, apesar de torturado, não renegou a fé em Cristo. Foi assim que Agostinho se viu tocado pela luz da fé e rogou para que Defresse o convertesse. Depois, foi baptizado e enviado ao Seminário de onde saiu ordenado sacerdote diocesano. Quando foi reconhecido como cristão, ele também sofreu terríveis suplícios antes de morrer decapitado, em 1815, mas nunca renegou a sua fé em Cristo.

 

No início de 1900 ocorreu a revolução comunista chinesa, provocada por motivos políticos reprimidos há anos, com novas ondas de perseguições aos cristãos. Porém, o motivo foi exclusivamente religioso, como comprovaram os documentos históricos. Desde então uma sangrenta exterminação aconteceu matando um número infindável de catequistas leigos, chineses convertidos, sacerdotes chineses e igrejas. Todos os nomes não puderam ser localizados, porque a destruição e os incêndios continuaram ao longo do novo regime político chinês. A última execução em massa de cristãos na China, que se tem notícia, foi em 25 de Fevereiro de 1930.

 

No ano do Jubileu de 2000, o Papa João Paulo II canonizou Agostinho Zhao Rong e 119 Companheiros Mártires da China. Eles passaram a ser venerados no dia 09 de Julho, pois constituem um exemplo de coragem e de coerência para todos os cristãos do mundo.

 

ORAÇÃO DO DIA

Deus todo-poderoso que destes a Santo Agostinho Rong e companheiros a graça de sofrer por Cristo, ajudai também nossa fraqueza, para que possamos viver firmes em nossa fé, como eles não hesitaram em morrer por vosso amor. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

SOBRE AS OFERENDAS

Possa agradar-vos, ó Deus, a oferenda que vos será consagrada em honra do martírio dos vossos santos Agostinho Rong e companheiros, para que nos purifique dos nossos pecados e vos torne propício às nossas preces. Por Cristo, nosso Senhor.

 

DEPOIS DA COMUNHÃO

Nutridos com o pão do céu, nos tornamos um só corpo em Cristo. Fazei, ó Pai, que jamais nos afastemos do seu amor e, a exemplo dos vossos santos mártires Agostinho Rong e companheiros, superemos tudo corajosamente por aquele que nos amou primeiro. Por Cristo, nosso Senhor




Reflexão sobre o Evangelho:
(08/07/2022 – Mateus 10,16-23) Jesus conhecia a fraqueza do seu rebanho e por isso afirma que os filhos das trevas são mais astutos que os filhos da luz. Por isso anuncia-lhes que os está enviando como ovelhas entre lobos, mas não para serem mortos, mas para lhes abrir os olhos e ensiná-los a usar a sagacidade da serpente e a simplicidade da pomba. A pregação do evangelho sempre desencadeia alguma perseguição porque desmascara a mentira e a verdade nem sempre é aceita. Hoje precisamos de missionários que não fujam da sua missão, mas que se deixem conduzir pelo Espírito Santo que é capaz de falar em nós e por nós. Não podemos nos deixar conduzir pelos critérios do mundo, mas devemos perseverar até o fim na missão que nos foi confiada tendo a certeza de que o Senhor estará conosco todos os dias até o fim do mundo garantindo o êxito da missão. Deus abençoe você! #ParoquiaMissionaria #CatolicoOrante #ParoquiaEvangelizadora #Evangelizar #Discipular #Enviar #PalavradoPadre #PlanoMissionarioePastoral
Reflexão por: Pe. João Manoel Lopes


Outras reflexões sobre o Evangelho:

Reflexão sobre o Evangelho do dia com Dom Cesar Teixeira, bispo diocesano de São José dos Campos, e padres da diocese.

Texto tirado do site Católico Orante: https://www.catolicoorante.com.br/


Santa Madre Paulina 09/07

[1865 -1942]

Origens

Amábile Lúcia Visintainer nasceu no dia 16 de dezembro de 1865, em Vigolo Vattaro, Itália. Os pais eram de origem simples e cristãos.

Em setembro de 1875, com apenas 10 anos de idade, emigrou com seus pais para o Brasil, dirigindo-se para o Estado de Santa Catarina, no atual município de Nova Trento, onde deram início à localidade de Vígolo.

Após receber a sua primeira comunhão, com cerca de 12 anos, começou a participar do apostolado paroquial, catequizando os pequenos e visitando os doentes.

Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição

Com a permissão de seu pai, Amábile construiu um pequeno casebre, num terreno doado por um barão, próximo à capela. Lá, ela rezava, cuidava dos doentes e instruía as crianças. A primeira paciente foi uma mulher portadora de câncer terminal, a qual não tinha quem lhe cuidasse.

Era o dia 12 de julho de 1890, data considerada como o dia da fundação da Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição, que iniciou com Amábile e a amiga Virgínia atuando como enfermeiras.

Essa também foi a primeira congregação religiosa feminina fundada em solo brasileiro. Foi aprovada pelo bispo de Curitiba em agosto 1895.

Quatro meses depois, Amábile, Virgínia e Teresa Anna Maule, outra jovem que se juntou a elas, fizeram os votos religiosos; e Amábile recebeu o nome de irmã Paulina do Coração Agonizante de Jesus. Também foi nomeada superiora, passando a ser chamada de madre Paulina.

Ida a São Paulo

Em 1903, foi eleita superiora geral por toda a vida pelas irmãs da nascente congregação. Deixou Nova Trento e estabeleceu-se em São Paulo, no Bairro Ipiranga. Na cidade, ela ocupou-se de cuidar de crianças órfãs, filhos de ex-escravos e dos escravos idosos e abandonados.

Foram anos marcados pela oração, pelo trabalho e sofrimento. Tudo feito e aceito para que a Congregação das Irmãzinhas fosse adiante.

Páscoa 

Em 1938, acometida pelo diabetes, iniciava um período de grande sofrimento. Teve o braço direito amputado e chegou até a cegueira total.

Madre Paulina morreu serenamente no dia 9 de julho de 1942, na Casa-geral de sua congregação, em São Paulo.

Foi beatificada pelo Papa João Paulo II, no dia 18 de outubro de 1991, em Florianópolis.

Minha oração

“Santa Paulina do Coração Agonizante de Jesus, ajudai-nos a sermos fiéis à virtude do serviço, motivados pelo amor de Deus e a salvação das almas. Amém.” 

Santa Paulina do Coração Agonizante de Jesus, rogai por nós!

Outros santos e beatos celebrados em 9 de julho:

  • Santos Agostinho Zhaom Rong, presbítero, Pedro Sans i Jordá, bispo, e companheiros, mártires, que, deram testemunho do Evangelho com palavras e obras. Morreram vítimas da perseguição por ter pregado a fé.  († s. XVII-XX)
  • Em Réggio Emília, região da Itália, a Beata Joana Scopélli, virgem da Ordem das Carmelitas, que construiu um mosteiro com a contribuição dos concidadãos. († 1491)
  •  Em Londres, na Inglaterra, o Beato Adriano Fortescue, mártir, pai de família e cavaleiro, que, acusado falsamente de conspiração, foi encarcerado duas vezes, no reinado de Henrique VIII. († 1539)
  •  Na Holanda, a paixão dos santos mártires Nicolau Pieck, presbítero, e dez companheiros da Ordem dos Frades Menores e oito do clero diocesano ou regular. Foram enforcados por terem defendido a presença real de Cristo na Eucaristia.  († 1572)
  • Em Città di Castello, região da Itália, Santa Verónica Giuliáni, abadessa da Ordem das Clarissas Capuchinhas, que recebeu em corpo e alma os estigmas da Paixão do Senhor. († 1727)
  • Em Orange, região da França, as beatas Santa Melânia (Maria Ana Madalena de Guilhermier), e Maria dos Anjos (Maria Ana Margarida de Rocher), virgens da Ordem de Santa Úrsula e mártires durante a Revolução Francesa. († 1794)
  •  Em Kouy-Yang, cidade da província do Guizhou, na China, São Joaquim He Kaizhi, catequista e mártir, estrangulado por causa da sua fé cristã. († 1839)
  •  Em Tai-Yuan-fu, também na China, a paixão dos santos Gregório Grássi e Francisco Fógolla, bispos da Ordem dos Frades Menores. Além de vinte e quatro companheiros, mártires, que na perseguição dos «Yihetuan» foram mortos em ódio ao nome de Cristo. († 1900)
  • Em Dachau, na Alemanha, o Beato Fiel Chijnacki, religioso da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos e mártir, que foi deportado da Polónia, sua pátria e encarcerado no campo de concentração. († 1942)Em Roma, Santa Maria de Jesus Crucificado (Maria Petkovic), virgem, que fundou a Congregação das Filhas da Misericórdia, da Ordem Terceira de São Francisco, destinada ao serviço dos doentes e dos marginados. († 1966)Fontes:
    • Vatican.va e vaticannews.va
    • Martirológio Romano – liturgia.pt
    • Arquisp.org.br

      – Produção e edição: Bianca Vargas 



Por: CN

Dia 9 de Julho - Sábado

SANTA PAULINA DE JESUS (Branco, Prefácio Comum ou das Virgens)

Antífona de Entrada

A estrada dos justos é como a luz, cresce do amanhecer até o pleno dia (Pr 4,18).

Oração do dia

Ó Deus onipotente e eterno, que exaltais os humildes e simples e conduzistes a santa Paulina pelo caminho da santidade através da provação, do trabalho humilde e da oração constante, concedei-nos, por seu auxílio e a seu exemplo, suportar com fortaleza os sofrimentos de cada dia e encontrar a plenitude de vossa graça no serviço às pessoas, especialmente às mais necessitadas. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Isaías 6,1-8)

Leitura do livro do profeta Isaías.

6 1 No ano da morte do rei Ozias, eu vi o Senhor sentado num trono muito elevado; as franjas de seu manto enchiam o templo.

2 Os serafins se mantinham junto dele. Cada um deles tinha seis asas; com um par (de asas) velavam a face; com outro cobriam os pés; e, com o terceiro, voavam.

3 Suas vozes se revezavam e diziam: “Santo, santo, santo é o Senhor Deus do universo! A terra inteira proclama a sua glória!”

4 A este brado as portas estremeceram em seus gonzos e a casa, encheu-se de fumo.

5 “Ai de mim”, gritava eu. “Estou perdido porque sou um homem de lábios impuros, e habito com um povo (também) de lábios impuros e, entretanto, meus olhos viram o rei, o Senhor dos exércitos!”

6 Porém, um dos serafins voou em minha direção; trazia na mão uma brasa viva, que tinha tomado do altar com uma tenaz.

7 Aplicou-a na minha boca e disse: “Tendo esta brasa tocado teus lábios, teu pecado foi tirado, e tua falta, apagada”.

8 Ouvi então a voz do Senhor que dizia: “Quem enviarei eu? E quem irá por nós?” “Eis-me aqui”, disse eu, “enviai-me”.

Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 92/93

Reina o Senhor, revestiu-se de esplendor.

 

Deus é rei e se vestiu de majestade,

Revestiu-se de poder e de esplendor!

 

Vós firmastes o universo inabalável,

Vós firmastes vosso trono desde a origem,

Desde sempre, ó Senhor, vós existis!

 

Verdadeiros são os vossos testemunhos,

Refulge a santidade em vossa casa,

Pelos séculos dos séculos, Senhor!

Evangelho (Mateus 10,24-34)

Aleluia, aleluia, aleluia.

Felizes sereis vós se fordes ultrajados por causa de Jesus, pois repousa sobre vós o Espírito de Deus (1Pd 4,14).

 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 10 24 "O discípulo não é mais que o mestre, o servidor não é mais que o patrão.

25 Basta ao discípulo ser tratado como seu mestre, e ao servidor como seu patrão. Se chamaram de Beelzebul ao pai de família, quanto mais o farão às pessoas de sua casa!

26 Não os temais, pois; porque nada há de escondido que não venha à luz, nada de secreto que não se venha a saber.

27 O que vos digo na escuridão, dizei-o às claras. O que vos é dito ao ouvido, publicai-o de cima dos telhados.

28 Não temais aqueles que matam o corpo, mas não podem matar a alma; temei antes aquele que pode precipitar a alma e o corpo na geena.

29 Não se vendem dois passarinhos por um asse? No entanto, nenhum cai por terra sem a vontade de vosso Pai.

30 Até os cabelos de vossa cabeça estão todos contados.

31 Não temais, pois! Bem mais que os pássaros valeis vós.

32 Portanto, quem der testemunho de mim diante dos homens, também eu darei testemunho dele diante de meu Pai que está nos céus.

33 Aquele, porém, que me negar diante dos homens, também eu o negarei diante de meu Pai que está nos céus".

Palavra da Salvação.


Sobre as Oferendas

Abençoai, Senhor, os dons que vos oferecemos em memória de santa Paulina e concedei, vos pedimos, que, convertidos pela vossa graça, vivamos uma vida nova à luz do Evangelho. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Vinde a mim todos vós que estais cansados e carregados de fardos, e eu vos darei descanso (Mt 11,28).

Depois da Comunhão

Ó Deus, concedei-nos imitar a simplicidade, a humildade e a vida de oração de santa Paulina, para que, fortificados pelo seu exemplo, cheguemos à glória celeste. Por Cristo, nosso Senhor.

Santo do Dia / Comemoração (SANTA PAULINA DE JESUS)

Amábile Lúcia Visintainer nasceu no dia 16 de dezembro de 1865, em Vigolo Vattaro, província de Trento, no norte da Itália. Foi a segunda filha do casal Napoleão e Anna, que eram ótimos cristãos, mas muito pobres.

 

Nessa época, começava a emigração dos italianos, movida pela doença e carestia que assolava a região. Foi o caso da família de Amábile, que em setembro de 1875 escolheu o Brasil e o local onde muitos outros trentinos já haviam se estabelecido no estado de Santa Catarina, em Nova Trento, na pequena localidade de Vigolo.

 

Assim que chegou, Amábile conheceu Virgínia Rosa Nicolodi e tornaram-se grandes amigas. As duas se confessam apaixonadas pelo Senhor Jesus e não era raro encontrá-las, juntas, rezando fervorosamente. Fizeram a primeira comunhão no mesmo dia, quando Amábile já tinha completado doze anos de idade.

 

Logo em seguida, o padre Servanzi a iniciou no apostolado paroquial, encarregando-a da catequese das crianças, da assistência aos doentes e da limpeza da capela de seu vilarejo, Vigolo, dedicada a são Jorge. Mas mal sabia o padre que estaria confirmando a vocação da jovem Amábile para o serviço do Senhor.

 

Amábile incluía, sempre, Virgínia nas atividades para ampliar o campo de ação. Dedicava-se de corpo e alma à caridade, servia consolando e ajudando os necessitados, os idosos, os abandonados, os doentes e as crianças. As obras já eram reconhecidas e notadas por todos, embora não soubesse que já se consagrava a Deus.

 

Com a permissão de seu pai, Amábile construiu um pequeno casebre, num terreno doado por um barão, próximo à capela, para lá rezar, cuidar dos doentes, instruir as crianças. A primeira paciente foi uma mulher portadora de câncer terminal, a qual não tinha quem lhe cuidasse. Era o dia 12 de julho de 1890, data considerada como o dia da fundação da Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição, que iniciou com Amábile e Virgínia atuando como enfermeiras.

 

Essa também foi a primeira congregação religiosa feminina fundada em solo brasileiro, tendo sido aprovada pelo bispo de Curitiba, em agosto 1895. Quatro meses depois, Amábile, Virgínia e Teresa Anna Maule, outra jovem que se juntou a elas, fizeram os votos religiosos; e Amábile recebeu o nome de irmã Paulina do Coração Agonizante de Jesus. Também foi nomeada superiora, passando a ser chamada de madre Paulina.

 

A santidade e a vida apostólica de madre Paulina e de suas irmãzinhas atraíram muitas vocações, apesar da pobreza e das dificuldades em que viviam. Além do cuidado dos doentes, das crianças órfãs, dos trabalhos da paróquia, trabalhavam também na pequena indústria da seda para poderem sobreviver.

 

Em 1903, com o reconhecimento de sua obra, madre Paulina foi convidada a transferir-se para São Paulo. Fixando-se junto a uma capela no bairro do Ipiranga, iniciou a obra da "Sagrada Família" para abrigar os ex-escravos e seus filhos depois da abolição da escravatura, ocorrida em 1888. Em 1918, madre Paulina foi chamada à Casa-geral, em São Paulo, com o reconhecimento de suas virtudes, para servir de exemplo às jovens vocações da sua congregação. Nesse período, destacou-se pela oração constante e pela caridosa e contínua assistência às irmãzinhas doentes.

 

Em 1938, acometida pelo diabetes, iniciava um período de grande sofrimento, iniciando com a amputação do braço direito, até a cegueira total. Madre Paulina morreu serenamente no dia 9 de julho de 1942, na Casa-geral de sua congregação, em São Paulo.

 

Ela foi beatificada pelo papa João Paulo II em 1991, quando o papa visitou, oficialmente, o Brasil. Depois, o mesmo pontífice canonizou-a em 2002, tornando-se, assim, a primeira santa do Brasil.




Reflexão sobre o Evangelho:
(09/07/2022 – Mateus 10,24-33) Novamente Jesus nos diz para não termos medo. Ele insiste que o poder dos homens é limitado e só pode afetar a vida terrena, o corpo. Nenhum poder humano pode destruir o que constitui o verdadeiro valor que é a esperança na vida eterna, na alma. Só Deus tem poder sobre ambas as vidas. Não é o sucesso imediato na frente dos homens que conta. Mas o sucesso da nossa missão aos olhos de Deus, que vê não só as aparências, mas também o interior e o esforço que fazemos. As provações e dificuldades da vida não devem nos surpreender ou assustar. A comunidade de Jesus carrega uma mensagem que às vezes se choca com os interesses e valores que este mundo promove. Eles podem nos perseguir, mas a força do Espírito Santo nos assiste em todos os momentos. Não nos cansemos, nem nos envergonhemos de dar testemunho de Cristo. Deus abençoe você! #ParoquiaMissionaria #CatolicoOrante #ParoquiaEvangelizadora #Evangelizar #Discipular #Enviar #PalavradoPadre #PlanoMissionarioePastoral
Reflexão por: Pe. João Manoel Lopes


Outras reflexões sobre o Evangelho:

Reflexão sobre o Evangelho do dia com Dom Cesar Teixeira, bispo diocesano de São José dos Campos, e padres da diocese.

Textos tirados do site Católico Orante: https://www.catolicoorante.com.br/


Santa Verônica 10/07

Dia 10 de Julho - Domingo

XV DOMINGO DO TEMPO COMUM (Verde, Glória, Creio – III Semana do Saltério)

Antífona de Entrada

Contemplarei, justificado, a vossa face; e serei saciado quando se manifestar a vossa glória (Sl 16,15).

Oração do dia

Ó Deus, que mostrais a luz da verdade aos que erram para retomarem o bom caminho, dai a todos os que professam a fé rejeitar o que não convém ao cristão e abraçar tudo o que é digno desse nome. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Deuteronômio 30,10-14)

Leitura do livro do Deuteronômio.

Moisés falou ao povo, dizendo: 10“Ouve a voz do Senhor teu Deus e observa todos os seus mandamentos e preceitos, que estão escritos nesta lei. Converte-te para o Senhor teu Deus com todo o teu coração e com toda a tua alma. 11Na verdade, este mandamento que hoje te dou não é difícil demais nem está fora do teu alcance. 12Não está no céu, para que possas dizer: ‘Quem subirá ao céu por nós para apanhá-lo? Quem no-lo ensinará para que o possamos cumprir?’ 13Nem está do outro lado do mar, para que possas alegar: ‘Quem atravessará o mar por nós para apanhá-lo? Quem no-lo ensinará para que o possamos cumprir?’ 14Ao contrário, esta palavra está bem ao teu alcance, está em tua boca e em teu coração, para que a possas cumprir”.

Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 68(69)

Humildes, buscai a Deus e alegrai-vos: o vosso coração reviverá!

 

Por isso elevo para vós minha oração neste tempo favorável, Senhor Deus!

Respondei-me pelo vosso imenso amor, pela vossa salvação que nunca falha!

Senhor, ouvi-me, pois suave é vossa graça, ponde os olhos sobre mim com grande amor!

 

Pobre de mim, sou infeliz e sofredor!

Que vosso auxílio me levante, Senhor Deus!

Cantando, eu louvarei o vosso nome e, agradecido, exultarei de alegria!

 

Humildes, vede isto e alegrai-vos:

† o vosso coração reviverá se procurardes o Senhor continuamente!

Pois nosso Deus atende à prece dos seus pobres e não despreza o clamor de seus cativos.

 

Sim, Deus virá e salvará Jerusalém, reconstruindo as cidades de Judá.

A descendência de seus servos há de herdá-las,

† e os que amam o santo nome do Senhor dentro delas fixarão sua morada!

 

Salmo opcional: 18(19),8.9.10.11 (R. 9a).

Leitura (Colossenses 1,15-20)

Leitura da carta de São Paulo aos Colossenses.

15Cristo é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação, 16pois, por causa dele, foram criadas todas as coisas no céu e na terra, as visíveis e as invisíveis, tronos e dominações, soberanias e poderes. Tudo foi criado por meio dele e para ele. 17Ele existe antes de todas as coisas, e todas têm nele a sua consistência. 18Ele é a cabeça do corpo, isto é, da Igreja. Ele é o princípio, o primogênito dentre os mortos; de sorte que em tudo ele tem a primazia, 19porque Deus quis habitar nele com toda a sua plenitude 20e por ele reconciliar consigo todos os seres, os que estão na terra e no céu, realizando a paz pelo sangue da sua cruz.

Palavra do Senhor.

Evangelho (Lucas 10,25-37)

Aleluia, aleluia, aleluia.

Ó Senhor, vossas palavras são espírito e vida; as palavras que dizeis bem que são de eterna vida! (Jo 6,63.68)

 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas

Naquele tempo, 25um mestre da Lei se levantou e, querendo pôr Jesus em dificuldade, perguntou: “Mestre, que devo fazer para receber em herança a vida eterna?” 26Jesus lhe disse: “O que está escrito na Lei? Como lês?” 27Ele então respondeu: “Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração e com toda a tua alma, com toda a tua força e com toda a tua inteligência; e ao teu próximo como a ti mesmo!” 28Jesus lhe disse: “Tu respondeste corretamente. Faze isso e viverás”. 29Ele, porém, querendo justificar-se, disse a Jesus: “E quem é o meu próximo?” 30Jesus respondeu: “Certo homem descia de Jerusalém para Jericó e caiu nas mãos de assaltantes. Estes arrancaram-lhe tudo, espancaram-no e foram-se embora, deixando-o quase morto. 31Por acaso, um sacerdote estava descendo por aquele caminho. Quando viu o homem, seguiu adiante, pelo outro lado. 32O mesmo aconteceu com um levita: chegou ao lugar, viu o homem e seguiu adiante, pelo outro lado. 33Mas um samaritano, que estava viajando, chegou perto dele, viu e sentiu compaixão. 34Aproximou-se dele e fez curativos, derramando óleo e vinho nas feridas. Depois colocou o homem em seu próprio animal e levou-o a uma pensão, onde cuidou dele. 35No dia seguinte, pegou duas moedas de prata e entregou-as ao dono da pensão, recomendando: ‘Toma conta dele! Quando eu voltar, vou pagar o que tiveres gasto a mais'”. E Jesus perguntou: 36“Na tua opinião, qual dos três foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes?”37Ele respondeu: “Aquele que usou de misericórdia para com ele”. Então Jesus lhe disse: “Vai e faze a mesma coisa”.

Palavra da salvação.


Sobre as Oferendas

Acolhei, ó Deus, as oferendas da vossa Igreja em oração e fazei crescer em santidade os fiéis que participam deste sacrifício. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele, diz o Senhor (Jo 6,56).

Depois da Comunhão

Alimentados pela vossa eucaristia, nós vos pedimos, ó Deus, que cresça em nós a vossa salvação cada vez que celebramos este mistério. Por Cristo, nosso Senhor.




Reflexão sobre o Evangelho:
(10/07/2022 – Lucas 10,25-37) A parábola do Bom Samaritano recorda-nos de uma maneira nova a advertência que Deus fez pela boca de Moisés ao seu povo convidando-o a olhar o coração e encontrar lá a presença de Deus. Hoje o Senhor nos convida a fazer-nos próximos uns dos outros, a abrir a nossa existência ao outro. O rosto misericordioso de Deus pode manifestar-se em qualquer homem de boa vontade, em quem quer viver plenamente a sua própria humanidade. Jesus não só falava, mas também fazia. Jesus é compassivo, como o Pai é compassivo. Jesus nos mostra a misericórdia que Deus tem conosco, e nos convida a sermos misericordiosos. O exemplo do samaritano traz consigo um comportamento de disposição, movido a socorrer os feridos, até as últimas consequências. Sintamo-nos desafiados a nos fazermos próximos uns dos outros. Deus abençoe você! #ParoquiaMissionaria #CatolicoOrante #ParoquiaEvangelizadora #Evangelizar #Discipular #Enviar #PalavradoPadre #PlanoMissionarioePastoral
Reflexão por: Pe. João Manoel Lopes


Outras reflexões sobre o Evangelho:

Reflexão sobre o Evangelho do dia com Dom Cesar Teixeira, bispo diocesano de São José dos Campos, e padres da diocese.

Texto tirado do site Católico Orante: https://www.catolicoorante.com.br/


São Bento 11/07

[480 – 547]

Origens

São Bento nasceu em Núrcia, próximo de Roma, em 480, numa nobre família que o enviou para estudar na Cidade Eterna.

Por conta das invasões dos bárbaros e indignados, São Bento optou por se retirar e manter-se isolado em uma gruta, nas montanhas da Úmbria.

Vida de meditação e oração

No local, ele dedicou-se à vida de oração, meditação e aos diversos exercícios para a santidade.

Era alimentado por um outro monge que, através de um cesto erguido até o penhasco, mantinha-o munido de pão para completar a alimentação quase escassa.

Depois de três anos, passou a atrair outros que se tornaram discípulos de Cristo pelos passos traçados por ele, que buscou, nas Regras de São Pacômio e de São Basílio, uma maneira ocidental e romana de vida monástica.

Mosteiro de Monte Cassino

Aos 40 anos, Bento sai da gruta e vai para o sul de Roma a fim de fundar o que viria a ser o maior centro da vida beneditina de todos os tempos, o Mosteiro de Monte Cassino, berço da Ordem dos Beneditinos.

Ao todo, foram mais de 12 mosteiros fundados por ele ao longo da história.

Regra de São Bento

A Regra Beneditina dominou a Europa devido a sua eficácia de inspiração que formava cristãos santos por meio do seguimento dos ensinamentos de Jesus e da prática dos Mandamentos e conselhos evangélicos.

O lema principal era a máxima “Ora et labora” (Oração e trabalho), onde a oração era transformada em trabalho e o trabalho em oração, através da fé e da obediência.

Além disso, a Regra de São Bento deixava todos bem à vontade, e era aplicada e moldada de acordo com a capacidade e as limitações de cada um.

Expansão e consagração

Os mosteiros beneditinos tornaram-se centros de referência, e deles saíram vários nomes e ícones da Igreja Católica. Ao todo, foram 23 papas, 5 mil bispos e cerca de 3 mil santos canonizados.

Medalha de São Bento

A medalha de São Bento é um dos maiores símbolos e heranças deixadas por esse santo.

As primeiras medalhas foram confeccionadas dentro do Mosteiro Cassino, e como símbolo principal carregam a cruz, muito usada por Bento em diversas situações de sua vida.

Para Bento, o sinal da cruz era como um sinal de coisas boas sendo feitas, um sinal de vitória contra o mal e a morte.

Em 1742, o Papa Bento XIV aprovou o uso da medalha oficializando-a assim como um instrumento de devoção de fé, ao contrário do que muitos pensavam ser apenas um amuleto de superstição.

Páscoa

Tradicionalmente, tinha-se o falecimento de São Bento como ocorrido em 543 d.C., mas estudos cronológicos mais recentes fixam o ano de 547 d.C. para a sua passagem para a glória.

São Bento tem o título de “padroeiro da Europa”.

Foi canonizado, em 1220, pelo Papa Honório III.

Reze a oração a São Bento:

https://formacao.cancaonova.com/espiritualidade/oracao/reze-oracao-sao-bento/

São Bento, rogai por nós!

Outros santos e beatos celebrados em 11 de julho:

  • Em Roma, São Pio I, papa, que, sendo irmão do famoso Hermas, autor da obra intitulada “O Pastor”, governou, como um bom pastor, a Igreja durante quinze anos. († 155)
  • Em Icónio, na Licaónia, hoje Kónya, na Turquia, São Marciano, mártir, que, no tempo do governador Perénio, suportando muitos tormentos alcançou a palma do martírio. († s. III/IV)
  • Em Cesareia da Mauritânia, hoje Cherchell, na Argélia, Santa Marciana, virgem, que, condenada às feras, consumou o seu martírio. († c. 303)Em Bordéus, na Aquitânia, na atual França, São Leôncio, bispo, celebrado como honra do povo e da cidade e dedicado construtor de templos, restaurador do Baptistério e silencioso benfeitor dos pobres.  († c. 570)
  • Em Deer, junto ao estuário de Moray, na Escócia, São Drostano, abade, que presidiu a vários mosteiros e finalmente escolheu a vida eremítica. († s. VI f.)
  • Em Disentis, na Récia Superior, atualmente na Suíça, os santos Plácido, mártir, e Sigisberto, abade; este último foi companheiro de São Columbano e fundou neste lugar o mosteiro de São Martinho, no qual foi o primeiro que coroou a vida monástica com o martírio. († s. VII)
  • No mosteiro de Moyenmoutier, nos montes Vosgos, actualmente na França, Santo Hidulfo, bispo de Tréveris, que se retirou para a solidão, mas, com a afluência dos discípulos, construiu e governou um cenóbio. († 707)
  • Em Córdova, na Andaluzia, região da Espanha, Santo Abúndio, presbítero, que, durante a perseguição desencadeada pelos Mouros, interrogado pelo juiz, confessou intrepidamente a razão da sua fé, o que irritou imediatamente o mouro, que mandou dar-lhe a morte e expor o seu cadáver para ser devorado pelos cães e pelas feras. († 854)
  • Em Kiev, na Rússia, Santa Olga, avó de São Vladimiro, que foi a primeira do povo rurik a receber o Baptismo, no qual tomou o nome de Helena, e abriu ao povo da Rússia o caminho para Cristo. († 969)
  • No mosteiro de Grand-Selve, próximo de Toulouse, na França, o Beato Beltrão, abade, que, desejando estabelecer uma disciplina regular, agregou o seu mosteiro à Ordem Cisterciense. († 1149)
  • Em Viborg, na Dinamarca, São Quetilo, presbítero e cónego regular, que dirigiu com suma diligência a escola capitular e foi insigne exemplo de vida monástica. († c. 1150)
  • Em Lincoln, na Inglaterra, a comemoração dos beatos Tomás Benstead Tomás Sprott, presbíteros e mártires, que, no reinado de Isabel I, num dia incerto deste mês, foram condenados à morte por causa do seu sacerdócio. († 1600)
  • Em Orange, na Provença, região da França, as beatas Santa Pelágia de São João Baptista (Rosália Clotilde Bès), Teotista Maria (Maria Isabel Pélissier), São Martinho (Maria Clara Blanc) e Santa Sofia (Maria Margarida de Barbegie d’Albarède), virgens e mártires por Cristo durante a Revolução Francesa. († 1794)
  • Em Liugongyn, localidade próxima de Anping, no Hebei, província da China, as santas Ana An XinzhiMaria An GuozhiAna An Jiaozhi Maria An Lihua, virgens e mártires, que, por recusarem terminantemente passar ao paganismo, foram degoladas durante a perseguição desencadeada pelos sectários “Yihetuan”. († 1900)Fontes:
    • Catedralgo.org.br
    • Martirológio Romano – liturgia.pt
    • www.vaticannews.va

      – Produção e edição: Bianca Vargas



Por: CN


XV SEMANA DO TEMPO COMUM - SÃO BENTO ABADE E PAI DOS MONGES (Branco, Prefácio Comum ou dos Santos – Ofício da Memória)

Antífona de Entrada

Senhor, porção de minha herança e minha taça, tendes em mãos o meu destino; coube-me por sorte a boa parte; sim, é bela a herança que me cabe! (Sl 15,5s).

Oração do dia

Ó Deus, que fizestes o abade são Bento preclaro mestre na escola do vosso serviço, concedei que, nada preferindo ao vosso amor, corramos de coração dilatado no caminho dos vossos mandamentos. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Isaías 1,10-17)

Leitura do livro do profeta Isaías.

10Ouvi a palavra do Senhor, magistrados de Sodoma, prestai ouvidos ao ensinamento do nosso Deus, povo de Gomorra. 11Que me importa a abundância de vossos sacrifícios? – diz o Senhor. Estou farto de holocaustos de carneiros e de gordura de animais cevados; do sangue de touros, de cordeiros e de bodes não me agrado. 12Quando entrais para vos apresentar diante de mim, quem vos pediu para pisardes os meus átrios? 13Não continueis a trazer oferendas vazias! O incenso é para mim uma abominação! Não suporto lua nova, sábado, convocação de assembleia: iniquidade com reunião solene! 14Vossas luas novas e vossas solenidades, eu as detesto! Elas são para mim um peso, estou cansado de suportá-las. 15Quando estendeis as vossas mãos, escondo de vós os meus olhos. Ainda que multipliqueis a oração, eu não ouço: vossas mãos estão cheias de sangue! 16Lavai-vos, purificai-vos. Tirai a maldade de vossas ações de minha frente. Deixai de fazer o mal! 17Aprendei a fazer o bem! Procurai o direito, corrigi o opressor. Julgai a causa do órfão, defendei a viúva.

Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 49(50)

A todo homem que procede retamente eu mostrarei a salvação que vem de Deus.

 

Eu não venho censurar teus sacrifícios, pois sempre estão perante mim teus holocaustos;

não preciso dos novilhos de tua casa nem dos carneiros que estão nos teus rebanhos.

 

Como ousas repetir os meus preceitos e trazer minha aliança em tua boca?

Tu, que odiaste minhas leis e meus conselhos e deste as costas às palavras dos meus lábios!

 

Diante disso que fizeste, eu calarei? Acaso pensas que eu sou igual a ti?

É disso que te acuso e repreendo e manifesto essas coisas aos teus olhos.

 

Quem me oferece um sacrifício de louvor, este, sim, é que honra de verdade. A todo homem que procede retamente eu mostrarei a salvação que vem de Deus.

Evangelho (Mateus 10,34-11,1)

Aleluia, aleluia, aleluia.

Felizes os que são perseguidos por causa da justiça do Senhor, porque o Reino dos céus há de ser deles! (Mt 5,10)

 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 34“Não penseis que vim trazer paz à terra; não vim trazer a paz, mas sim a espada. 35De fato, vim separar o filho de seu pai, a filha de sua mãe, a nora de sua sogra. 36E os inimigos do homem serão os seus próprios familiares. 37Quem ama seu pai ou sua mãe mais do que a mim não é digno de mim. Quem ama seu filho ou sua filha mais do que a mim não é digno de mim. 38Quem não toma a sua cruz e não me segue não é digno de mim. 39Quem procura conservar a sua vida vai perdê-la. E quem perde a sua vida por causa de mim vai encontrá-la. 40Quem vos recebe, a mim recebe; e quem me recebe, recebe aquele que me enviou. 41Quem recebe um profeta, por ser profeta, receberá a recompensa de profeta. E quem recebe um justo, por ser justo, receberá a recompensa de justo. 42Quem der ainda que seja apenas um copo de água fresca a um desses pequeninos, por ser meu discípulo, em verdade vos digo, não perderá a sua recompensa”. 11,1Quando Jesus acabou de dar essas instruções aos doze discípulos, partiu daí a fim de ensinar e pregar nas cidades deles.

Palavra da salvação.


Sobre as Oferendas

Ó Deus, olhai com bondade as oferendas que vos apresentamos na festa de hoje para que, procurando-vos, como são Bento, encontremos em vosso serviço os dons da unidade e da paz. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Em verdade vos digo, vós, que deixastes tudo e me seguistes, recebereis cem vezes mais e tereis como herança a vida eterna (Mt 19,27ss).

Depois da Comunhão

Tendo recebido o penhor da vida eterna, nós vos suplicamos, ó Deus, que, seguindo os ensinamentos de são Bento, vos sirvamos fielmente na oração e amemos os irmãos com caridade ardente. Por Cristo, nosso Senhor.

Santo do Dia / Comemoração (SÃO BENTO)

As informações sobre a vida de Bento nos foram transmitidas pelo seu biógrafo e contemporâneo, papa são Gregório Magno. No livro que enaltece o seu exemplo de santidade de vida, ele não registrou as datas de nascimento e morte. Assim, apenas recebemos da tradição cristã o relato de que Bento viveu entre os anos de 480 e 547.

 

Bento nasceu na cidade de Nórcia, província de Perugia, na Itália. Pertencia à influente e nobre família Anícia e tinha uma irmã gêmea chamada Escolástica, também fundadora e santa da Igreja. Era ainda muito jovem quando foi enviado a Roma para aprender retórica e filosofia. No entanto, decepcionado com a vida mundana e superficial da cidade eterna, retirou-se para Enfide, hoje chamada de Affile. Levando uma vida ascética e reclusa, passou a se dedicar ao estudo da Bíblia e do cristianismo.

 

Ainda não satisfeito, aos vinte anos isolou-se numa gruta do monte Subiaco, sob orientação espiritual de um velho monge da região chamado Romano. Assim viveu por três anos, na oração e na penitência, estudando muito. Depois, agregou-se aos monges de Vicovaro, que logo o elegeram seu prior. Mas a disciplina exigida por Bento era tão rígida, que esses monges indolentes tentaram envenená-lo. Segundo seu biógrafo, ele teria escapado porque, ao benzer o cálice que lhe fora oferecido, o mesmo se partiu em pedaços.

 

Bento abandonou, então, o convento e, na companhia de mais alguns jovens, entre eles Plácido e Mauro, emigrou para Nápoles. Lá, no sopé do monte Cassino, onde antes fora um templo pagão, construiu o seu primeiro mosteiro.

 

Era fechado dos quatro lados como uma fortaleza e aberto no alto como uma grande vasilha que recebia a luz do céu. O símbolo e emblema que escolheu foram a cruz e o arado, que passaram a ser o exemplo da vida católica dali em diante.

 

As regras rígidas não poderiam ser mais simples: "Ora e trabalha". Acrescentando-se a esse lema "leia", pois, para Bento, a leitura devia ter um espaço especial na vida do monge, principalmente a das Sagradas Escrituras. Desse modo, estabelecia-se o ritmo da vida monástica: o justo equilíbrio, do corpo, da alma e do espírito, para manter o ser humano em comunhão com Deus. Ainda, registrou que o monge deve ser "não soberbo, não violento, não comilão, não dorminhoco, não preguiçoso, não detrator, não murmurador".

 

A oração e o trabalho seriam o caminho para edificar espiritual e materialmente a nova sociedade sobre as ruínas do Império Romano que acabara definitivamente. Nesse período, tão crítico para o continente europeu, este monge tão simples, e por isto tão inspirado, propôs um novo modelo de homem: aquele que vive em completa união com Deus, através do seu próprio trabalho, fabricando os próprios instrumentos para lavrar a terra. A partir de Bento, criou-se uma rede monástica, que possibilitou o renascimento da Europa.

 

Celebrado pela Igreja no dia 11 de julho, ele teria profetizado a morte de sua irmã e a própria. São Bento não foi o fundador do monaquismo cristão, que já existia havia três séculos no Oriente. Mas merece o título de "Pai do Monaquismo Ocidental", que ali só se estabeleceu graças às regras que ele elaborou para os seus monges, hoje chamados "beneditinos". Além disto, são Bento foi declarado patrono principal de toda a Europa pelo papa Paulo VI, em 1964, também com justa razão.




Reflexão sobre o Evangelho:
(11/07/2022 – Mateus 10,34–11,1) O verdadeiro discípulo de Cristo deve tê-lo em primeiro lugar em sua vida. Antes de tudo precisa estar decidido por Cristo, decidido em colocar em prática os seus ensinamentos. Jesus veio para revelar o homem ao homem e nos ensinar a ordem dos amores em nosso interior. O amor a Deus é o amor fundante e base para todas as demais categorias de amor em nossa vida. Amar aqui significa ouvir, seguir, dar atenção, privilegiar, enfim, ter mais consideração e obedecer. Tomar a cruz é assumir a vida dentro dos critérios do evangelho imitando a Jesus que deu a sua vida por amor a nós. Quem quer seguir Jesus não ficará sem a devida recompensa. Quem acolher aquele que vem em seu nome será acolhido também pelo Pai. Reflitamos hoje sobre o amor que temos tido para com Deus e com o próximo colocando Deus sempre em primeiro lugar. Deus abençoe você! #ParoquiaMissionaria #CatolicoOrante #ParoquiaEvangelizadora #Evangelizar #Discipular #Enviar #PalavradoPadre #PlanoMissionarioePastoral
Reflexão por: Pe. João Manoel Lopes


Outras reflexões sobre o Evangelho:

Reflexão sobre o Evangelho do dia com Dom Cesar Teixeira, bispo diocesano de São José dos Campos, e padres da diocese.

Textos tirados do site Católico Orante: https://www.catolicoorante.com.br/


São João Gualberto 12/07

[995 – 1073]

Origens 

Segundo filho dos Visdonini, João Gualberto nasceu no ano de 995 em Florença.

Assassinato do irmão 

Seu irmão foi assassinato e, assim como o pai,  João Gualberto foi tomado pelo sentimento de vingança e jurou matar o assassino.

Certo dia, em uma estreita estrada, Gualberto o encontrou desarmado e solitário. Imediatamente, arrancou sua espada, porém o adversário caiu de joelhos e suplicou: “Por amor de Jesus, que neste dia morreu por nós, tem piedade de mim, não me mates!”.

Era uma Sexta-feira Santa de 1028, e assim tocado pela misericórdia de Deus, João Gualberto o perdoou. Em seguida, foi até uma igreja e, diante a Cruz, pediu a graça do perdão e a vida nova.

Monge e abade

Nos anos seguintes, João Gualberto tornou-se um humilde monge. Foi exemplo em disciplina às Regras, no estudo, na oração, na penitência e na caridade.

Além disso, adquiriu o dom da profecia e dos milagres.

Em 1035, com a morte do abade, ele foi eleito por unanimidade como sucessor, mas renunciou de imediato quando soube que o monge tesoureiro havia subornado o bispo de Florença para escolhê-lo como o novo abade.

Ordem dos Monges Beneditinos de Vallombrosa

Quando saiu do mosteiro, foi morar em uma floresta nos montes Apeninos, na montanha Vallombrosa, sobre o verde Vale do Arno.

O local começou a receber inúmeros jovens em busca de orientação espiritual, graças à fama de sua santidade. Foi assim que surgiu um novo mosteiro e uma nova congregação religiosa. João Gualberto quis manter as Regras dos monges beneditinos.

Logo, a Ordem dos Monges Beneditinos de Vallombrosa obteve aprovação canônica.

Foi fundados de outros mosteiros, como o de Passignano, na Umbria.

Páscoa

João Gualberto morreu no dia 12 de julho de 1073, e é considerado o herói do perdão.

Foi canonizado, em 1193, e foi declarado Padroeiro dos Florestais, pelo Papa Pio XII, em 1951.

Minha oração

“São João Gualberto, que tivestes o coração tocado pela misericórdia de Deus e concedestes o perdão ao assassino de vosso irmão, peço que nos dê a graça de perdoar o próximo em todas as circunstâncias. Amém.”

São João Gualberto, rogai por nós!

Outros santos e beatos celebrados em 12 de Julho:

  • Na Turquia, a comemoração dos santos Proclo e Hilarião, mártires, no tempo do imperador Trajano e do prefeito Máximo. († s. II)
  • Em Aquileia, na Venécia, hoje no Friúli, região da Itália, os santos Fortunato e Hermágoras, mártires. († s. III)
  • Em Milão, na Ligúria, hoje na Lombardia, também região da Itália, os santos Nabor e Félix, mártires, que sofreram o martírio em Lódi durante a perseguição de Maximiano e foram sepultados em Milão. († c.304)
  • Em Fano, no Piceno, hoje nas Marcas, também região da Itália, São Paterniano, bispo. († s. IV)
  • Em Lião, na Gália, atualmente na França, São Vivencíolo, bispo, incitou a presença de clérigos e leigos no Concílio de Epaone, para que o povo conhecesse melhor as normas pontificais. († c.523)
  • No mosteiro de Cava de’ Tirréni, na Campânia, também região da Itália, São Leão I, abade, que socorreu os pobres com o trabalho das suas próprias mãos e os protegeu dos poderosos. († 1079)
  • Em Londres, na Inglaterra, o Beato David Gunston, mártir, foi enforcado no patíbulo em Southwark porque negou a autoridade do rei Henrique VIII nos assuntos espirituais. († 1541)
  • Também em Londres, São João Jones, presbítero da Ordem dos Frades Menores e mártir. Foi condenado à morte por ter entrado da Inglaterra como sacerdote. († 1598)
  • Em Nagasáki, no Japão, os beatos Matias Araki e sete companheiros, mártires, que sofreram o martírio por Cristo. († 1626)
  • Em Orange, na Provença, região da França, as beatas Rosa de São Francisco Xavier (Madalena Teresa Tallien), Marta do Bom Anjo (Maria Cluse), Maria de Santo Henrique (Margarida Eleonor de Justamond) e São Bernardo (Joana Maria de Romillon), virgens e mártires. († 1794)
  • Em Nam Dinh, cidade do Tonquim, atualmente no Vietnam, São Clemente Inácio Delgado Cebrian, bispo e mártir, que foi preso por ordem do imperador Minh Mang por causa da sua fé em Cristo. († 1838)
  • Na província de Nihn Binh, também no Tonquim, Santa Inês Lê Thi Thành (De), mártir, mãe de família, que morreu por ter escondido em casa um sacerdote.  († 1841)
  • Na província de Nghê An, também no atual Vietnam, São Pedro Khanh, presbítero e mártir. Ele foi encarcerado durante seis meses por ser cristão e depois foi morto por ordem do imperador Thieu Tri. († 1842)

Fontes:

  • vatican.va e vaticannews.va
  • Martirológio Romano – liturgia.pt
  • arquisp.org.br

– Produção e edição: Bianca Vargas



Por: CN


Dia 12 de Julho - Terça-feira

XV SEMANA DO TEMPO COMUM (Verde – Ofício do Dia)

Antífona de Entrada

Contemplarei, justificado, a vossa face; e serei saciado quando se manifestar a vossa glória (Sl 16,15).

Oração do dia

Ó Deus, que mostrais a luz da verdade aos que erram para retomarem o bom caminho, dai a todos os que professam a fé rejeitar o que não convém ao cristão e abraçar tudo o que é digno desse nome. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Isaías 7,1-9)

Leitura do livro do profeta Isaías.

7 1 No tempo de Acaz, filho de Joatão, filho de Ozias, rei de Judá, Rasin, rei de Arão, foi com Pecá, filho de Romelia, rei de Israel, contra Jerusalém para lhe dar combate; mas não pôde apoderar-se dela.

2 Quando se soube, na casa de Davi, que (o exército da) Síria estava acampado em Efraim, o coração do rei e o de seu povo ficaram perturbados como as árvores das florestas agitadas pelos ventos.

3 Então disse o Senhor a Isaías: “Vai ter com Acaz, com Sear-Jasub, teu filho, na extremidade do aqueduto do reservatório superior, no caminho do campo do pisoeiro”.

4 E dize-lhe: ‘Tem ânimo, não temas, não vacile o teu coração diante desses dois pedaços de tições fumegantes. (Diante do furor de Rasin, da Síria, e do filho de Romelia).

5 Visto que a Síria decidiu tua perdição, com Efraim e o filho de Romelia, dizendo:

6 Vamos contra Judá, nós o bateremos, e nos apoderaremos dele, e proclamaremos rei o filho de Tabeel’.

7 Eis o que disse o Senhor Javé: ‘Isso não acontecerá, essas coisas não se realizarão,

8 porque a capital da Síria é Damasco, e a cabeça de Damasco é Rasin. (Dentro de sessenta e cinco anos Efraim desaparecerá do rol dos povos.)

9 E a capital de Efraim é Samaria, e a cabeça de Samaria é o filho de Romelia. Se não o crerdes, não subsistireis’”.

Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 47/48

O Senhor estabelece sua cidade para sempre.

 

Grande é o Senhor e muito digno de louvores

na cidade onde ele mora;

seu monte santo, esta colina encantadora

é a alegria do universo.

 

Monte Sião, no extremo norte situado,

és a mansão do grande rei!

Deus revelou-se, em suas fostes cidadelas,

um refúgio poderoso.

 

Pois eis que os reis da terra se aliaram

e todos juntos avançaram;

mal a viram, de pavor estremeceram,

debandaram perturbados.

 

Como as dores da mulher sofrendo parto,

uma angústia os invadiu;

semelhante ao vento leste impetuoso,

que despedaça as naus de Társis.

Evangelho (Mateus 11,20-24)

Aleluia, aleluia, aleluia.

Oxalá ouvísseis hoje a sua voz. Não fecheis os corações como em Meriba! (Sl 94,8)

 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

11 20 Jesus começou a censurar as cidades, onde tinha feito grande número de seus milagres, por terem recusado arrepender-se:

21 “Ai de ti, Corozaim! Ai de ti, Betsaida! Porque se tivessem sido feitos em Tiro e em Sidônia os milagres que foram feitos em vosso meio, há muito tempo elas se teriam arrependido sob o cilício e a cinza.

22 Por isso vos digo: no dia do juízo, haverá menor rigor para Tiro e para Sidônia que para vós!

23 E tu, Cafarnaum, serás elevada até o céu? Não! Serás atirada até o inferno! Porque, se Sodoma tivesse visto os milagres que foram feitos dentro dos teus muros, subsistiria até este dia.

24 Por isso te digo: no dia do juízo, haverá menor rigor para Sodoma do que para ti!”

Palavra da Salvação.


Sobre as Oferendas

Acolhei, ó Deus, as oferendas da vossa Igreja em oração e fazei crescer em santidade os fiéis que participam deste sacrifício. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele, diz o Senhor (Jo 6,56).

Depois da Comunhão

Alimentados pela vossa eucaristia, nós vos pedimos, ó Deus, que cresça em nós a vossa salvação cada vez que celebramos este mistério. Por Cristo, nosso Senhor.




Reflexão sobre o Evangelho:
(12/07/2022 – Mateus 11,20-24) Diante da indiferença e rejeição do povo ao convite de conversão, Jesus os repreende por causa de sua falta de fé. Aquele povo conhecia Jesus, viram o Messias, desfrutaram de seus milagres, mas seu coração obstinado, seu orgulho e sua cegueira, não lhes deixaram ver a luz que emanava de Cristo. Muitas vezes não somos conscientes da presença de Deus em nossa vida, de suas ações e podemos nos afastar por acreditarmos que Ele não está próximo porque não vemos o que gostaríamos de ver. Se fôssemos conscientes de tudo o que Deus faz por nós valendo-se das pessoas que coloca em nosso caminho, seríamos mais felizes, entenderíamos que não é nossa vontade o que nos leva para o alto, mas é Deus que nos impulsiona com sua força e nos levanta quando caímos. Sejamos conscientes da ação de Deus em nossa vida e não retardemos a nossa conversão. Deus abençoe você! #ParoquiaMissionaria #CatolicoOrante #ParoquiaEvangelizadora #Evangelizar #Discipular #Enviar #PalavradoPadre #PlanoMissionarioePastoral
Reflexão por: Pe. João Manoel Lopes


Outras reflexões sobre o Evangelho:

Reflexão sobre o Evangelho do dia com Dom Cesar Teixeira, bispo diocesano de São José dos Campos, e padres da diocese.

Textos tirados do site Católico Orante: https://www.catolicoorante.com.br/


Santa Teresa 13/07

Dia 13 de Julho - Quarta-feira

XV SEMANA DO TEMPO COMUM (Verde – Ofício do Dia)

Antífona de Entrada

Contemplarei, justificado, a vossa face; e serei saciado quando se manifestar a vossa glória (Sl 16,15).

Oração do dia

Ó Deus, que mostrais a luz da verdade aos que erram para retomarem o bom caminho, dai a todos os que professam a fé rejeitar o que não convém ao cristão e abraçar tudo o que é digno desse nome. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Isaías 10,5-7.13-16)

Leitura do livro do profeta Isaías.

10 5 “Ai da Assíria, vara de minha cólera e bastão que maneja o meu furor.

6 Eu o enviei contra uma nação ímpia, e o lancei contra o povo, o objeto de minha cólera, para que o entregasse à pilhagem e lhe levasse os despojos, e o calcasse aos pés como a lama das ruas.

7 Mas ele não entendeu dessa maneira, e este não foi o seu pensamento. Ele só pensa em destruir, em exterminar nações em massa.

13 Foi pela força de minha mão que eu agi, e pela minha destreza, porque sou hábil. Dilatei as fronteiras, saqueei os tesouros e lancei por terra aqueles que estavam no trono.

14 Minha mão tomou como um ninho a riqueza dos povos. Assim como se recolhem os ovos abandonados, eu reuni a terra inteira. Ninguém moveu a asa, nem abriu o bico, nem piou.

15 Acaso o machado se vangloria à custa do lenhador? Ou a serra se levanta contra o serrador? Como se a vara fizesse agitar aquele que a maneja, como se o bastão fizesse mover o braço!

16 Por isso o Senhor Deus dos exércitos fará enfraquecer seus robustos guerreiros, e debaixo de sua glória acender-se-á um fogo como o de um incêndio”.

Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 93/94

O Senhor não rejeita o seu povo.

 

Eis que oprimem, Senhor, vosso povo

e humilham a vossa herança;

estrangeiro e viúva trucidam,

e assassinam o pobre e o órfão!

 

Eles dizem: “O Senhor não nos vê

e o Deus de Jacó não percebe!”

Entendei, ó estultos do povo;

insensatos, quando é que vereis?

 

O que fez o ouvido não ouve?

Quem os olhos formou não verá?

Quem educa as nações não castiga?

Quem os homens ensina não sabe?

 

O Senhor não rejeita o seu povo

e não pode esquecer sua herança:

voltarão a juízo as sentenças;

quem é reto andará na justiça.

Evangelho (Mateus 11, 25-27)

Aleluia, aleluia, aleluia.

Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, pois revelaste os mistérios do teu reino aos pequeninos, escondendo-os aos doutores! (Mt 11,25)

 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

11 25 Por aquele tempo, Jesus pronunciou estas palavras: "Eu te bendigo, Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas coisas aos sábios e entendidos e as revelaste aos pequenos.

26 Sim, Pai, eu te bendigo, porque assim foi do teu agrado.

27 Todas as coisas me foram dadas por meu Pai; ninguém conhece o Filho, senão o Pai, e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho quiser revelá-lo”.

Palavra da Salvação.


Sobre as Oferendas

Acolhei, ó Deus, as oferendas da vossa Igreja em oração e fazei crescer em santidade os fiéis que participam deste sacrifício. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele, diz o Senhor (Jo 6,56).

Depois da Comunhão

Alimentados pela vossa eucaristia, nós vos pedimos, ó Deus, que cresça em nós a vossa salvação cada vez que celebramos este mistério. Por Cristo, nosso Senhor.

Santo do Dia / Comemoração (SANTO HENRIQUE)

MEMÓRIA FACULTATIVA

(Branco – Ofício da Memória)

 

Henrique, primogênito do duque da Baviera, nasceu num belíssimo castelo às margens do rio Danúbio, em 973, e recebeu o mesmo nome do seu pai. Veio ao mundo para reinar, desfrutando de todos os títulos e benesses que uma corte imperial pode proporcionar ao seu futuro soberano, com os luxos e diversões em abundância. Por isso foi uma grata surpresa para os súditos verem que o jovem se resguardou da perdição pela esmerada criação dada por sua mãe.

 

Seu pai, antes conhecido como "o briguento", abriu seu coração à orientação da esposa, católica fervorosa, que anos depois seu apelido foi mudado para "o pacífico". Assim, seus filhos receberam educação correta e religiosamente conduzida nos ensinamentos de Cristo. Um dos irmãos de Henrique, Bruno, foi o primeiro a abandonar o conforto da corte para tornar-se padre e, depois, bispo de Augusta. Das irmãs, Brígida fez-se monja e Gisela, bem-aventurada da Igreja, foi mulher do rei Estêvão da Hungria, também um santo.

 

O príncipe Henrique, na idade indicada, foi confiado ao bispo de Ratisbona, são Wolfgang, e com ele se formou cultural e espiritualmente. A tradição germânica diz que, certa noite, Henrique sonhou com o seu falecido diretor espiritual, são Wolfgang, que teria escrito na parede do quarto do príncipe: "Entre seis". Henrique julgou que morreria dali a seis dias, o que não ocorreu. Depois, achou que a morte o alcançaria dali a seis meses. Isso também não aconteceu. Mas, seis anos após o sonho, ele assumiu o trono da Alemanha, quando da morte de seu pai.

 

Por causa dos laços familiares, acabou sendo coroado também imperador de Roma, sendo consagrado pelo papa Bento VIII. Henrique II não poderia ter comandado o povo com mais sabedoria, humildade e cristandade do que já tinha. Promoveu a reforma do clero e dos mosteiros. Regeu a população com justiça, bondade e caridade, freqüentando com ela a santa missa e a eucaristia. Convocou e presidiu os concílios de Frankfurt e Bamberg. Realizou ainda muitas outras obras assistenciais e sociais.

 

Ao mesmo tempo que defendia o povo e a burguesia contra os excessos de poder dos orgulhosos fidalgos, estabeleceu a paz com Roberto, rei da França. Com o fim da guerra, reconstruiu templos e mosteiros, destinando-lhes generosas contribuições para que se desenvolvessem e progredissem. Enfim, ao lado da esposa Cunegundes, agora santa, concedeu à população incontáveis benefícios sociais e assistenciais, amparando os mais necessitados e doentes. O casal chegou a fazer voto eterno de castidade, para que, com mais firmeza de espírito, pudessem dedicar-se apenas a fazer o bem ao próximo.

 

Henrique II morreu em 13 de julho de 1024 e foi sepultado em Bamberg. Foi canonizado em 1152, pelo papa Eugênio III. Talvez o rei são Henrique II seja um dos santos mais queridos da Alemanha, ao lado de sua esposa.

 

ORAÇÃO DO DIA

Senhor Deus, que cumulastes de graça o imperador santo Henrique, elevando-o de modo admirável das preocupações do governo terrestre às coisas do céu, concedei, por suas preces, que vos busquemos de todo o coração entre as vicissitudes deste mundo. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

SOBRE AS OFERENDAS

Ó Pai, por este sacrifício oferecido na comemoração de santo Henrique, concedei aos vossos filhos e filhas os dons da unidade e da paz. Por Cristo, nosso Senhor.

 

DEPOIS DA COMUNHÃO

Ó Deus, o sacramento que recebemos na comemoração de santo Henrique santifique nossos pensamentos e desejos e nos torne participantes da natureza divina. Por Cristo, nosso Senhor.




Reflexão sobre o Evangelho:
(13/07/2022 – Mateus 11,25-27) É frequente a predileção de Deus pelos simples de coração. E, porque as predileções são mútuas, os que mais e melhor se aproximam de Deus são os simples, os pobres, os que não são contados para a sociedade. Deus também tem predileção pelos importantes de coração simples, e também estes tem a Deus por Pai e se sentem irmãos uns dos outros. É bom e nos faz mais santos buscarmos a perfeição sendo também sábios e entendidos. Poderemos fazer muito pelo Reino de Deus se assim agirmos. O problema existe quando a sabedoria, o poder e o dinheiro nos consomem de tal forma que acreditamos não precisar de mais ninguém. Quando pensamos que, com isso, já temos tudo. O problema está quando esquecemos que todos nós necessitamos amar e sermos amados, tidos em conta e escutados. Sejamos simples de coração e sejamos agradáveis a Deus em tudo. Deus abençoe você! #ParoquiaMissionaria #CatolicoOrante #ParoquiaEvangelizadora #Evangelizar #Discipular #Enviar #PalavradoPadre #PlanoMissionarioePastoral
Reflexão por: Pe. João Manoel Lopes


Outras reflexões sobre o Evangelho:

Reflexão sobre o Evangelho do dia com Dom Cesar Teixeira, bispo diocesano de São José dos Campos, e padres da diocese.

Texto tirado do site Católico Orante: https://www.catolicoorante.com.br/


São Camilo de Léllis 14/07

[1550 -1614]

Patrono

São Camilo de Lelis é patrono dos enfermos e protetor dos hospitais.

Origens

Nascido em 25 de maio de 1550 na vila Bucchianico, em Chieti, ao Sul da Itália.

Filho de uma família nobre e tradicional, Camilo foi gerado quando seus pais já eram idosos. Sua mãe Camila Compelli era uma boa cristã e cuidava da casa, e seu pai João de Lellis, um homem de carreira militar que passava muito tempo fora de casa. Ambos ficaram felizes com a chegada do filho, embora estivessem em idade avançada.

Devido sua mãe ter quase 60 anos de idade, Camilo nasceu num parto arriscado, mas uma criança saudável.

Camilo cresceu sendo cuidado pela mãe, uma mulher de fé que o educou com princípios cristãos católicos e com bons costumes. No entanto, quando ele tinha 13 anos sua mãe faleceu, e Camilo teve que ir morar com o pai que tinha uma vida instável por conta da carreira militar e que, apesar de ser um bom cristão, era viciado em jogos, o que não era bom exemplo para o filho.

Cotidiano e entrada na carreira militar

Quando tinha 14 anos de idade, Camilo foi colocado para trabalhar como soldado, uma vez que seu pai percebeu que ele não gostava de estudar e era um pouco rebelde. Ele foi um bom soldado e tinha uma boa estrutura física para os serviços braçais. O jovem Camilo perdeu seu pai com 19 anos, e ficou com uma situação financeira complicada, porque seu velho pai havia deixado como herança apenas suas armas, um punhal e uma espada.

Camilo foi voluntário no exército veneziano e, nesse serviço, testemunhou como era a vida de enfermos agonizantes que vivam diversas doenças. Ele também passou a conviver com uma úlcera no pé, que o fez passar dificuldades financeiras. Assim como seu pai, Camilo foi se encantando com os prazeres mundanos, levando uma vida profana e viciando-se em jogos.

O encontro com o carisma franciscano

Em 1570, com 20 anos de idade, Camilo teve um encontro que mudaria sua vida. Conheceu um jovem frade franciscano e sentiu-se atraído pelo carisma de São Francisco de Assis. Por isso, logo pediu para ingressar na ordem, mas seu pedido não foi aceito, porque Camilo tinha o grave problema da úlcera no pé.

Diagnosticado com um tumor incurável e sem dinheiro para cuidar-se, Camilo partiu para Roma para pedir socorro no Hospital Santiago. No local, ele se ofereceu para trabalhar como auxiliar de enfermeiro para assim também cuidar da sua enfermidade. Convivendo com as diversas realidades no hospital, ele foi sentindo que Deus o chamava a uma missão que seria também sua via de santificação: servir aos enfermos como se estivesse cuidando de Cristo.

Camilo viveu uma bela amizade com São Felipe Neri, e sob sua orientação voltou aos estudos aos 32 anos; em 1584, com seus 34 anos, foi ordenado sacerdote.

Com o ardor no coração de continuar a servir os doentes e mais necessitados, Padre Camilo fundou a irmandade dos voluntários dos enfermos para cuidar dos doentes pobres e miseráveis. Muitos homens de bom coração se uniram a ele nessa obra, e assim o grupo foi crescendo, tornando-se uma congregação dos voluntários dos enfermos.

Em 1591, a congregação foi elevada pela Santa Sé Apostólica à categoria Ordem Religiosa, sendo conhecida como Ordem dos Ministros dos Enfermos.

São Camilo foi o superior da Ordem durante 20 anos. Ele ensinou os seus irmãos a cuidarem dos enfermos, como eles precisavam ser tratados.

Páscoa

Mesmo com as dores do seu tumor no pé, São Camilo trabalhou duro até suas forças se esgotarem e ele falecer com seus 64 anos de idade no dia 14 de julho de 1614 em Roma.

Beatificação

Em 29 de junho de 1746, dia da Festa de São Pedro e São Paulo, o então Papa Bento XIV declarou como santo o nome de Camilo de Lellis.

Um milagre

A úlcera no pé de São Camilo de Lellis sumiu assim que ele morreu.

Ensinamentos de São Camilo de Lellis

Até os dias atuais, os Camilianos buscam viver os princípios deixados por São Camilo de Lellis: viver um amor fraterno, amar a Ordem, unir-se e dedicar-se ao apostolado dos enfermos, trabalhar com alegria, cooperar na obra de Deus a partir da promoção da saúde e cura dos ferimentos, sempre acreditar que como filhos amados de Deus continuamente preservar a dignidade humana, dentre outros.

Camilianos no Brasil

Atualmente, no Brasil, a Ordem dos Camilianos está presente em muitos estados, dentre eles em Santa Catarina no Seminário e o Hospital Iomorê; a Igreja e o Seminário de Jaçanã, a casa, o Ambulatório e o Santuário no Rio de Janeiro; parte do Seminário, localizado na Granja Viana, na cidade de Cotia, em São Paulo.

No estado de São Paulo, na cidade de Santo André está localizada a Paróquia São Camilo de Lellis.

Algumas frases do santo

“Deixe tudo nas mãos de Deus e recorra a Nossa Senhora”.

“Não faça oração que corta as asas da caridade”.

“Os doentes são a pupila e o rosto de Deus”.

“Todos peçam a Deus que lhes dê um amor de mãe para com o próximo”.

“Os doentes nos revelam o rosto de Deus”.

“Tudo passa, o bem permanece”.

A minha oração

“São Camilo, ensina-me a ser o olhar de misericórdia para com os que sofrem e contemplar nos necessitados sempre um Cristo que espera por ser acolhido, amado e cuidado. Recorda-me sempre que, como filho (a) amado (a) de Deus também preciso oferecer amor. Ajuda-me a entender os momentos de sofrimentos nessa terra como uma via de santificação para minha alma. Concede aqueles que cuidam de enfermos a graça de serem amorosos e generosos  na vivência do serviço.”

São Camilo de Lellis, rogai por nós!

Outros santos e beatos celebrados em 14 de julho:

  • Em Bréscia, hoje região da Itália, Santo Optaciano, bispo, que subscreveu a carta sinodal sobre a fé católica a respeito da Encarnação, enviada por Eusébio, bispo de Milão, ao papa São Leão. († s. V)
  • Atualmente na Bélgica, São Vicente ou Madelgário, que, com o assentimento da esposa Santa Valdetrudes, abraçou a vida monástica e, segundo a tradição, fundou dois mosteiros. († c. 677)
  • Atualmente na Holanda, São Marquelmo, presbítero e monge, de origem inglesa, que desde a infância foi discípulo de São Vilibrordo e seu companheiro nos trabalhos de evangelização. († c. 775)
  • Atualmente na Chéquia, o Beato Crosnato, mártir, que, depois da morte da esposa e do filho, abandonou a corte do rei para entrar no cenóbio dos Premonstratenses em Teplá e, ao defender os direitos do mosteiro, foi feito prisioneiro e abandonado até morrer de fome. († 1217)
  • Em Verona, no Véneto, região da Itália, Santa Toscana, que, depois da morte do esposo, deu todos os seus bens aos pobres e se dedicou incansavelmente, na Ordem de São João de Jerusalém, ao cuidado dos enfermos. († 1343/1344)
  • Em Folinho, na Úmbria, também região da Itália, a Beata Angelina de Marsciano, que, ao ficar viúva, se consagrou totalmente, durante mais de cinquenta anos, ao serviço de Deus e do próximo e deu início à ordem religiosa das Terciárias Franciscanas de clausura, para se dedicar à educação da juventude feminina. († 1435)
  • Em Valência, na Espanha, o Beato Gaspar de Bono, presbítero da Ordem dos Mínimos, que abandonou as armas dos príncipes terrenos para servir a Cristo Rei e governou as casas da província espanhola da Ordem com zelo, prudência e caridade. († 1604)
  • Em Lima, no Peru, São Francisco Solano, presbítero da Ordem dos Frades Menores, que, para a salvação das almas, percorreu por toda a parte as regiões da América do Sul e, com a sua palavra e o seu testemunho, ensinou aos indígenas e aos próprios colonos espanhóis a novidade da vida cristã. († 1610)
  • Em Londres, na Inglaterra, o Beato Ricardo Langhorne, mártir, insigne jurista, que, acusado falsamente de conspiração, no reinado de Carlos II, foi condenado à morte e entregou a alma a Deus no patíbulo de Tyburn. († 1679)
  • Em Cerecca-Ghebaba, localidade da Etiópia, o Beato Ghebre Miguel, presbítero da Congregação da Missão e mártir, que entrou na unidade da Igreja católica e por isso, sofreu durante treze meses o cárcere e caminhadas forçadas impelido por soldados, com os pés presos com cadeias, até que morreu consumido pelas incessantes flagelações, pela sede e pela fome. († 1855)
  • Na cidade do Hebei, província da China, São João Wang Guixin, mártir, que, recusou manchar-se com uma pequena mentira que lhe poupava a vida e morreu por Cristo. († 1900)

    Fontes:

    • www.camilianos.org.br
    • Martirológio Romano – liturgia.pt
    • www.vaticannews.va
    • planosaocamilo.com.br
    • blog.camilianos.org.br
    • aleteia.org

– Pesquisa e redação: Rane Nascimento CN
– Produção e edição: Bianca Vargas



Por: CN


Dia 14 de Julho - Quinta-feira

XV SEMANA DO TEMPO COMUM (Verde – Ofício do Dia)

Antífona de Entrada

Contemplarei, justificado, a vossa face; e serei saciado quando se manifestar a vossa glória (Sl 16,15).

Oração do dia

Ó Deus, que mostrais a luz da verdade aos que erram para retomarem o bom caminho, dai a todos os que professam a fé rejeitar o que não convém ao cristão e abraçar tudo o que é digno desse nome. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Isaías 26,7-9.12.16-19)

Leitura do livro do profeta Isaías.

26 7 O caminho do justo é reto; vós aplanais a senda do justo.

8 Seguindo a vereda de vossos juízos, Senhor, nós vos esperamos; por vosso nome e vossa memória nossa alma aspira.

9 Minha alma vos deseja durante a noite e meu espírito vos procura desde a manhã. Quando vossos juízos se exercem sobre a terra, os habitantes do mundo aprendem a justiça.

12 Senhor, proporcionai-nos a paz! Pois vós nos tendes tratado segundo o nosso procedimento.

16 Senhor, na tribulação, nós vos buscamos, e clamamos a vós na angústia em que vosso castigo nos abate.

17 Como uma mulher grávida, prestes a dar à luz, se retorce e grita em suas dores, assim estamos diante de vós, Senhor:

18 nós concebemos e sofremos para dar à luz (o vento), sem poder dar a salvação à nossa terra; não nasceram novos habitantes no mundo.

19 Que os vossos mortos revivam! Que seus cadáveres ressuscitem! Que despertem e cantem aqueles que jazem sepultos, porque vosso orvalho é um orvalho de luz e a terra restituirá o dia às sombras.

Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 101/102

O Senhor olhou a terra do alto céu.

 

Vós, Senhor, permaneceis eternamente,

de geração em geração sereis lembrado!

Levantai-vos, tende pena de Sião,

já é tempo de mostrar misericórdia!

Pois vossos servos têm amor aos seus escombros

e sentem compaixão de sua ruína.

 

As nações respeitarão o vosso nome,

e os reis de toda a terra, a vossa glória;

quando o Senhor reconstruir Jerusalém

e aparecer com gloriosa majestade,

ele ouvirá a oração dos oprimidos

e não desprezará a sua prece.

 

Para as futuras gerações se escreva isto,

e um povo novo a ser criado louve a Deus.

ele inclinou-se de seu templo nas alturas,

e o Senhor olhou a terra do alto céu,

para os gemidos dos cativos escutar

e da morte libertar os condenados.

Evangelho (Mateus 11,28-30)

Aleluia, aleluia, aleluia.

Vinde a mim, todos vós que estais cansados, e descanso eu vos darei, diz o Senhor (Mt 11,28).

 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

11 28 Disse Jesus: "Vinde a mim, vós todos que estais aflitos sob o fardo, e eu vos aliviarei.

29 Tomai meu jugo sobre vós e recebei minha doutrina, porque eu sou manso e humilde de coração e achareis o repouso para as vossas almas.

30 Porque meu jugo é suave e meu peso é leve."

Palavra da Salvação.


Sobre as Oferendas

Acolhei, ó Deus, as oferendas da vossa Igreja em oração e fazei crescer em santidade os fiéis que participam deste sacrifício. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele, diz o Senhor (Jo 6,56).

Depois da Comunhão

Alimentados pela vossa eucaristia, nós vos pedimos, ó Deus, que cresça em nós a vossa salvação cada vez que celebramos este mistério. Por Cristo, nosso Senhor.

Santo do Dia / Comemoração (SÃO CAMILO LELLIS)

MEMÓRIA FACULTATIVA

(Branco – Ofício da Memória)

 

Camila Compelli e João de Lellis eram já idosos quando o filho foi anunciado. Ele, um militar de carreira, ficou feliz, embora passasse pouco tempo em casa. Ela também, mas um pouco constrangida, por causa dos quase sessenta anos de idade. Do parto difícil, nasceu Camilo, uma criança grande e saudável, apenas de tamanho acima da média. Ele nasceu no dia 25 de maio de 1550, na pequena Bucchianico, em Chieti, no sul da Itália.

 

Cresceu e viveu ao lado da mãe, uma boa cristã, que o educou dentro da religião e dos bons costumes. Ela morreu quando ele tinha treze anos de idade. Camilo não gostava de estudar e era rebelde. Foi então residir com o pai, que vivia de quartel em quartel, porque, viciado em jogo, ganhava e perdia tudo o que possuía. Apesar do péssimo exemplo, era um bom cristão e amava o filho. Percebendo que Camilo, aos quatorze anos, não sabia nem ler direito, colocou-o para trabalhar como soldado. O jovem, devido à sua grande estatura e físico atlético, era requisitado para os trabalhos braçais e nunca passou de soldado, por falta de instrução.

 

Tinha dezenove anos de idade quando o pai morreu e deixou-lhe como herança apenas o punhal e a espada. Na ocasião, Camilo já ganhara sua própria fama, de jogador fanático, briguento e violento, era um rapaz bizarro. Em 1570, após uma conversa com um frade franciscano, sentiu-se atraído a ingressar na Ordem, mas foi recusado, porque apresentava uma úlcera no pé. Ele então foi enviado para o hospital de São Tiago, em Roma, que diagnosticou o tumor incurável.

 

Sem dinheiro para o tratamento, conseguiu ser internado em troca do trabalho como servente. Mesmo assim, afundou-se no jogo e foi posto na rua. Sabendo que o mosteiro dos capuchinhos estava sendo construído, ofereceu-se como ajudante de pedreiro e foi aceito.

 

O contato com os franciscanos foi fundamental para sua conversão.

 

Um dia, a caminho do trabalho, teve uma visão celestial, nunca revelada a ninguém. Estava com vinte e cinco anos de idade, largou o jogo e pediu para ingressar na Ordem dos Franciscanos. Não conseguiu, por causa de sua ferida no pé.

 

Mas os franciscanos o ajudaram a ser novamente internado no hospital de São Tiago, que, passados quatro anos, estava sob a sua direção. Camilo, já tocado pela graça, dessa vez, além de tratar a eterna ferida passou a cuidar dos outros enfermos, como voluntário. Mas preferia assistir aos doentes mais repugnantes e terminais, pois percebeu que os funcionários, apesar de bem remunerados, abandonavam-nos à própria sorte, deixando-os passar privações e vexames.

 

Neles, Camilo viu o próprio Cristo e por eles passou a viver. Em 1584, sob orientação do amigo e contemporâneo, também fundador e santo, padre Filipe Néri, constituiu uma irmandade de voluntários para cuidar dos doentes pobres e miseráveis, depois intitulada Congregação dos Ministros Camilianos. Ainda com a ajuda de Filipe Néri, estudou e vestiu o hábito negro com a cruz vermelha de sua própria Ordem, pois sua congregação, em 1591, recebeu a aprovação do Vaticano, sendo elevada à categoria de ordem religiosa.

 

Eleito para superior, dirigiu por vinte anos sua Ordem dos padres enfermeiros, dizem que com "mão de ferro" e a determinação militar recebida na infância e juventude. Depois, os últimos sete anos de vida preferiu ficar ensinado como os doentes deviam ser tratados e conviver entre eles. Mesmo sofrendo terríveis dores nos pés, Camilo ia visitar os doentes em casa e, quando necessário, chegava a carregá-los nas costas para o hospital. Nessa hora, agradecia a Deus a estatura física que lhe dera.

 

Recebeu o dom da cura pelas palavras e orações, logo a sua fama de padre milagreiro correu entre os fiéis, que, ricos e pobres, procuravam sua ajuda. Era um homem muito querido em toda a Itália, quando morreu em 14 de julho de 1614. Foi canonizado em 1746. São Camilo de Lellis, em1886, foi declarado Padroeiro dos Enfermos, dos Doentes e dos Hospitais.

 

ORAÇÃO DO DIA

Ó Deus, que inspirastes a são Camilo de Lellis extraordinária caridade para com os enfermos, dai-nos o vosso espírito de amor, para que, servindo-vos em nossos irmãos e irmãs, possamos partir tranquilos ao vosso encontro na hora de nossa morte. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

SOBRE AS OFERENDAS

Recebei, Ó Pai, os dons do vosso povo, para que, recordando a imensa misericórdia do vosso Filho, sejamos confirmados no amor a Deus e ao próximo, a exemplo dos vossos santos. Por Cristo, nosso Senhor.

 

DEPOIS DA COMUNHÃO

Tendo participado com alegria do banquete da salvação, nós vos pedimos, ó Pai, que, imitando a caridade de são Camilo de Lellis, participemos com ele da vossa glória. Por Cristo, nosso Senhor.




Reflexão sobre o Evangelho:
(14/07/2022 – Mateus 11,28-30) Cristo faz um convite a todos os que trabalham no Reino e estão cansados, fatigados sob o peso dos fardos da missão a que possam ir a Ele a fim de descansarem um pouco. Na amizade com Cristo encontramos descanso e força para seguirmos com nossa missão. Jesus nos convida a caminhar ao seu lado. Sua presença e proximidade atua como um bálsamo, um calmante que nos cura, nos revigora, nos ajuda a ter um novo olhar sobre os problemas de cada dia. O Mestre nos apresenta um imperativo a irmos a Ele, expressando com isso o desejo de seu coração compassivo para aprendermos dele, mudando o estilo de nossa vida, tomando uma atitude de aprendiz. Acolhamos o convite de Jesus, nele encontraremos descanso quando tomarmos sobre nós o seu jugo. Aprendamos de Jesus a sermos mansos e humildes de coração. Deus abençoe você! #ParoquiaMissionaria #CatolicoOrante #ParoquiaEvangelizadora #Evangelizar #Discipular #Enviar #PalavradoPadre #PlanoMissionarioePastoral
Reflexão por: Pe. João Manoel Lopes


Outras reflexões sobre o Evangelho:

Reflexão sobre o Evangelho do dia com Dom Cesar Teixeira, bispo diocesano de São José dos Campos, e padres da diocese.

Textos tirados do site Católico Orante: https://www.catolicoorante.com.br/


São Boaventura 15/07

Dia 15 de Julho - Sexta-feira

SÃO BOAVENTURA - BISPO E DOUTOR (Branco, Prefácio Comum ou dos Pastores – Ofício da Memória)

Antífona de Entrada

O justo medita a sabedoria e sua palavra ensina a justiça, pois traz no coração a lei de seu Deus (Sl 36,30s).

Oração do dia

Concedei-nos, Pai todo-poderoso, que, celebrando a festa de são Boaventura, aproveitemos seus preclaros ensinamentos e imitemos sua ardente caridade. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Isaías 38,1-6.21-22.7-8)

Leitura do livro do profeta Isaías.

38 1 Naquele tempo, Ezequias esteve doente, quase à morte. O profeta Isaías, filho de Amós, veio ter com ele e lhe disse: “Eis o que disse o Senhor: põe em ordem a tua casa porque vais morrer, não te restabelecerás”.

2 Então Ezequias voltou-se para a parede e se pôs a orar ao Senhor;

3 “Senhor”, disse ele, “lembrai-vos de que tenho andado diante de vós com lealdade, de todo o coração, segundo a vossa vontade”. E chorava abundantemente.

4 Depois a palavra do Senhor foi dirigida a Isaías nestes termos:

5 “Vai dizer a Ezequias: eis o que diz o Senhor, o Deus de Davi, teu pai: ‘Ouvi tua oração e vi tuas lágrimas, prolongarei tua vida por quinze anos,

6 livrar-te-ei, a ti e a esta cidade, das mãos do rei da Assíria. Protegerei esta cidade’”.

21 Isaías disse então: “Que tragam um cataplasma de figos para aplicar sobre a úlcera, e Ezequias sarará”.

22 Ezequias disse: “Que sinal me garantirá que eu tornarei ao templo do Senhor?”

7 “E eis o sinal, da parte do Senhor, para convencer-te de que cumprirá a promessa:

8 farei a sombra recuar os dez graus que o sol já lhe fez descer no relógio solar de Acaz”. E o sol voltou dez graus para trás.

Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial Is 38

Vós livrastes minha vida do sepulcro,

a fim de eu não deixar de existir.

 

Eu dizia: “É necessário que eu me vá

no apogeu de minha vida e de meus dias;

para a mansão dos mortos descerei,

sem viver o que me resta dos meus anos”

 

Eu dizia: “Não verei o Senhor Deus

sobre a terra dos viventes nunca mais;

nunca mais verei um homem neste mundo!”

 

Minha morada foi à força arrebatada,

desarmada como a tenda de um pastor.

Qual tecelão, eu ia tecendo a minha vida,

mas agora foi cortada a sua trama.

 

Ó Senhor, meu coração em vós espera;

por vós há de viver o meu espírito,

Curai-me e conservai a minha vida.

Evangelho (Mateus 12,1-8)

Aleluia, aleluia, aleluia.

Minhas ovelhas escutam minha voz, eu as conheço e elas me seguem (Jo 10,27)

 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

Naquele tempo, 12 1 atravessava Jesus os campos de trigo num dia de sábado. Seus discípulos, tendo fome, começaram a arrancar as espigas para comê-las.

2 Vendo isto, os fariseus disseram-lhe: “Eis que teus discípulos fazem o que é proibido no dia de sábado”.

3 Jesus respondeu-lhes: “Não lestes o que fez Davi num dia em que teve fome, ele e seus companheiros,

4 como entrou na casa de Deus e comeu os pães da proposição? Ora, nem a ele nem àqueles que o acompanhavam era permitido comer esses pães reservados só aos sacerdotes.

5 Não lestes na lei que, nos dias de sábado, os sacerdotes transgridem no templo o descanso do sábado e não se tornam culpados?

6 Ora, eu vos declaro que aqui está quem é maior que o templo.

7 Se compreendêsseis o sentido destas palavras: ‘Quero a misericórdia e não o sacrifício’... não condenaríeis os inocentes.

8 Porque o Filho do Homem é senhor também do sábado”.

Palavra da Salvação.


Sobre as Oferendas

Seja do vosso agrado, ó Pai, este sacrifício, celebrado na festa de são Boaventura, e, seguindo seu exemplo, seja plena a nossa dedicação ao vosso louvor. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Eis o servo fiel e prudente a quem o Senhor confiou sua casa, para dar a todos o pão de cada dia (Lc 12,42).

Depois da Comunhão

Ó Pai, instruí pelo Cristo mestre aos que saciastes com o Cristo que é pão da vida, para que, na festa de são Boaventura, possamos aprender a verdade e vivê-la com amor. Por Cristo, nosso Senhor.

Santo do Dia / Comemoração (SÃO BOAVENTURA)

Frei Boaventura era italiano, nasceu no ano de 1218, na cidade de Bagnoregio, em Viterbo, e foi batizado com o nome de João de Fidanza. O pai era um médico conceituado, mas, como narrava o próprio Boaventura, foi curado de uma grave enfermidade ainda na infância por intercessão de são Francisco.

 

Aos vinte anos de idade, ingressou no convento franciscano, onde vestiu o hábito e tomou o nome de Boaventura dois anos depois. Estudou filosofia e teologia na Universidade de Paris, na qual, em 1253, foi designado para ser o catedrático da matéria. Também foi contemporâneo de Tomás de Aquino, outro santo e doutor da Igreja, de quem era amigo e companheiro.

 

Boaventura buscou a Ordem Franciscana porque, com seu intelecto privilegiado, enxergou nela uma miniatura da própria Igreja. Ambas nasceram contando somente com homens simples, pescadores e camponeses. Somente depois é que se agregaram a elas os homens de ciências e os de origem nobre. Quando frei Boaventura entrou para a Irmandade de São Francisco de Assis, ela já estava estabelecida em Paris, Oxford, Cambridge, Estrasburgo e muitas outras famosas universidades européias.

 

Essa nova situação vivenciada pela Ordem fez com que Boaventura interviesse nas controvérsias que surgiam com as ordens seculares. Opôs-se a todos os que atacavam as ordens mendicantes, especialmente a dos franciscanos. Foi nesta defesa, como teólogo e orador, que teve sua fama projetada em todo o meio eclesiástico.

 

Em 1257, pela cultura, ciência e sabedoria que possuía, aliadas às virtudes cristãs, foi eleito superior-geral da Ordem pelo papa Alexandre IV. Nesse cargo, permaneceu por dezoito anos. Sua direção foi tão exemplar que acabou sendo chamado de segundo fundador e pai dos franciscanos. Ele conseguiu manter em equilíbrio a nova geração dos frades, convivendo com os de visão mais antiga, renovando as Regras, sem alterar o espírito cunhado pelo fundador. Para tanto dosou tudo com a palavra: para uns, a tranqüilizadora; para outros, a motivadora.

 

Alicerçado nas teses de santo Agostinho e na filosofia de Platão, escreveu onze volumes teológicos, procurando dar o fundamento racional às verdades regidas pela fé. Além disso, ele teve outros cargos e incumbências de grande dignidade. Boaventura foi nomeado cardeal pelo papa Gregório X, que, para tê-lo por perto em Roma, o fez também bispo-cardeal de Albano Laziale. Como tarefa, foi encarregado de organizar o Concílio de Lyon, em 1273.

 

Nesse evento, aberto em maio de 1274, seu papel foi fundamental para a reconciliação entre o clero secular e as ordens mendicantes. Mas, em seguida, frei Boaventura morreu, em 15 de julho de 1274, ali mesmo em Lyon, na França, assistido, pessoalmente, pelo papa que o queria muito bem.

 

Foi canonizado em 1482 e recebeu o honroso título de doutor da Igreja. A sua festa litúrgica ocorre no dia se sua passagem para a vida eterna.




Reflexão sobre o Evangelho:

Reflexão sobre o Evangelho do dia com Dom Cesar Teixeira, bispo diocesano de São José dos Campos, e padres da diocese.

Texto tirado do site Católico Orante: https://www.catolicoorante.com.br/


Nossa Senhora do Carmo 16/07

Nossa Senhora do Carmo

Os primeiros monges 

Os primeiros carmelitas, em fins do século XII depois de Cristo (mais de dois mil anos depois da vida do profeta Elias) decidiram formar uma comunidade no Monte Carmelo. O Monte Carmelo é conhecidíssimo pela sua beleza, o nome significa “jardim”. Os primeiros monges eram cavaleiros cruzados, que cansados da violência e injustiça daquelas guerras para conquistar a Terra Santa das mãos dos mouros, ali se refugiaram, sedentos de uma vida mais autenticamente evangélica.

Atraídos ao Monte Carmelo, pela fama e tradição do profeta Elias, ali fundaram uma capela e em torno dela construíram seus quartos ou “celas”. Isto foi por volta de 1155, dedicaram-se a uma vida de penitência e reparação pelos abusos dos cruzados; exercitaram-se na prática da oração e união com Deus e a trabalhos manuais. Escolheram Elias como Pai Espiritual e exemplo de vida monástica de oração e testemunho Profético em meio a um mundo dominado pelas injustiças.

Consagrados a Maria

Dedicaram uma capelinha a Virgem Maria e sob sua proteção imitavam suas virtudes. Chamaram Maria de “Senhora” do lugar, segundo os costumes feudais, e renderam a Ela serviço de dedicada doação dos primeiros carmelitas. Os peregrinos e cruzados que os visitaram começaram a chamá-los Irmãos da Bem-Aventurada Virgem Maria do Monte Carmelo. 

O reconhecimento

Mais ou menos no ano de 1209, os irmãos decidiram formalizar a sua vida, pedindo uma Regra de vida ao bispo Alberto, patriarca de Jerusalém. Ele lhes escreveu uma regra muito simples. Com o tempo, quando já na Europa, viajaram a Roma para apresentar ao Papa o pedido de aprovação da nova Ordem.

No ano de 1226, o Papa Honório III concedeu a aprovação à Ordem. Com esta aprovação, os irmãos viveram com o ideal de se unirem continuamente ao Senhor, a toda e em cada obra, a exemplo de Elias, seu Pai Espiritual, e de sua Mãe e protetora, a Virgem Maria, Mãe de Deus e Mãe do Carmelo.

Divisão e perseguição

No ano de 1235, os mouros fizeram uma perseguição contra os cristãos, e por isso os carmelitas dividiram-se em dois grupos: um que Permaneceu no Monte Carmelo – os monges foram massacrados e o mosteiro incendiado; o segundo grupo refugiou-se na Sicília, Creta, Itália e, finalmente, na Inglaterra, no ano de 1238.

São Simão e o Escapulário

Na Inglaterra, os irmãos fundaram um mosteiro em Aylesford e iniciaram um novo tempo. Lá viveram por parte de um grupo a rejeição da Ordem. Imitando o exemplo dos primeiros Irmãos, o Prior Geral dos Carmelitas, São Simão Stock, recorreu à oração.

Diz a tradição: na noite do dia 16 de julho de 1251, Simão dirigiu-se à Virgem Maria e pediu-lhe o “privilégio feudal” a proteção da “Senhora” sobre seus vassalos em tempos de perseguição e dificuldades. Neste momento, rezou esta famosa oração: “Flor do Carmelo, vide florida. Esplendor do Céu. Virgem Mãe incomparável. Doce Mãe, mas sempre Virgem, Sede propícia aos carmelitas, Ó Estrela do Mar”. Logo, apareceu-lhe a própria Virgem Maria rodeada de anjos. Entregou-lhe o Escapulário que tinha em suas mãos e disse-lhe: “Recebe, meu filho muita amado, este Escapulário de tua Ordem, sinal de meu amor, privilégio para ti e para todos os carmelitas: quem com ele morrer, não se perderá. Eis aqui um sinal da minha aliança, salvação nos perigos, aliança de paz e de amor eterno”.

Depois disso, Simão chamou todos os frades e explicou o que havia acontecido. Acrescentaram o Escapulário ao hábito e começaram a cantar esta maravilhosa aventura da Virgem Maria para ajudar os carmelitas. Depois, adaptou-se  o Escapulário grande a uma forma menor para o povo, e muitos começaram a usá-lo, como sinal de amor a Virgem Maria e símbolo de vida cristã fixa em Deus.

Pedido em Fátima 

No dia 13 de outubro de 1917, na última aparição de suas aparições na Cova da Iria, em Fátima, a Virgem Maria uniu três devoções marianas: a espiritualidade do Escapulário; oração do Santo Rosário; e a consagração ao seu Imaculado Coração. Logo depois da aparição, os três pastorinhos de Fátima tiveram visões. Na primeira delas, ao lado de São José, apareceu Nossa Senhora do Rosário, com o Menino Jesus ao colo. Em seguida, surgiu como Nossa Senhora das Dores, junto com seu Filho, o Homem das dores (cf. Is 53, 3), que passava por grandes sofrimentos.

Na terceira e última visão, “gloriosa, coroada como Rainha do Céu e da Terra, a Santíssima Virgem apareceu como Nossa Senhora do Carmo, tendo o Escapulário à mão”. No ano de 1950, perguntaram a Irmã Lúcia o motivo da Virgem do Carmo aparecer com o Escapulário nas mãos. Em resposta, ela disse: “É que Nossa Senhora quer que todos usem o Escapulário”. Pouco tempo depois, no dia 11 de fevereiro de 1950, o Santo Padre, Papa Pio XII, providencialmente convidou toda a Igreja Universal a “’colocar em primeiro lugar, entre as devoções marianas, o escapulário, que está ao alcance de todos’; entendido como veste mariana, esse é de fato um ótimo símbolo da proteção da Mãe celeste”.

A minha oração

“Ó Virgem do Carmo, Virgem do Escapulário, livrai-nos de todo mal, de toda a doença maligna e das perseguições do inimigo. Assim como ajudai-nos a viver intimamente unidos a ti e ao teu filho Jesus, Amém!”

Nossa Senhor do Carmo, rogai por nós!

Outros santos e beatos celebrados em 16 de Julho:

  • Em Anastasiópolis, na Galácia, na hodierna Turquia, Santo Antíoco, mártir, irmão de São Platão. († s. III-IV)
  • Em Sebaste, na antiga Arménia, hoje Sivas, na Turquia, Santo Atenógenes, corepíscopo e mártir. († c. 305)
  • Em Jersey, ilha do Mar do Norte, Santo Helério, eremita, que, segundo a tradição, sofreu o martírio. († s. VI)
  • Em Maastricht, no Brabante, região da Austrásia, atualmente na Holanda, os santos Monulfo e Gondulfo, bispos. († s. VI/VII)
  • Em Saintes, no Hainaut, na atual França, os santos mártires Reinilde, virgem, Grimoaldo e Gondulfo, que, segundo a tradição sofreram o martírio. († c. 680)
  • Em Córdova, na Andaluzia, região da Espanha, São Sisenando, diácono e mártir. († 851)
  • No mosteiro de Chiemsee, na Baviera, região da atual Alemanha, a Beata Irmengarda, abadessa. († 866)
  • A paixão do Beato Simão da Costa, religioso da Companhia de Jesus e o último dos mártires da nau «São Tiago». († 1570)
  • Em Viana do Castelo, no mosteiro da Santa Cruz, em Portugal, o Beato Bartolomeu dos Mártires, bispo de Braga. († 1590)
  • Em Warwich, na Inglaterra, os beatos João Sugar, presbítero, e Roberto Grissold, mártires. († 1604)
  • Em Cunhaú, cidade próxima de Natal, no Brasil, os beatos André de Soveral, presbítero da Companhia de Jesus, e Domingos Carvalho, mártires. († 1645)
  • Num barco-prisão ancorado ao largo de Rochefort, na França, os beatos Nicolau Savouret, da Ordem dos Frades Menores Conventuais, e Cláudio Béguignot, da Ordem Cartusiana. († 1794)
  • Em Orange, na França, as beatas Amada de Jesus (Maria Rosa de Gordon) e seis companheiras, virgens e mártires. († 1794)
  • No território de Saint-Sauveur-le-Vicomte, na Normandia, região da França, Santa Maria Madalena Postel, virgem que  fundou a Congregação das Filhas da Misericórdia. († 1846)
  • Em Lujiapo, localidade próxima de Qinghe, no Hebei, província da China, os santos Lang Yangzhi, catecúmena, e Paulo Lang Fu, seu filho, mártires. († 1900)
  • Em Zhangjiaji, localidade próxima de Ningjin, também no Hebei, Santa Teresa Zhang Hezhi, mártir. († 1900)

Fontes:

  • vatican.va e vaticannews.va
  • Martirológio Romano – liturgia.pt
  • Liturgia das Horas
  • Livro “Relação dos Santos e Beatos da Igreja” – Prof Felipe Aqui [Cléofas 2007]
  • Ordem do Carmo

– Pesquisa e redação: Rafael Vitto – Comunidade Canção Nova

– Produção e edição: Bianca Vargas 



Por: CN


Dia 16 de Julho - Sábado

NOSSA SENHORA DO CARMO (Branco, Glória, Prefácio de Maria – Ofício da Festa)

Antífona de Entrada

Salve, ó santa mãe de Deus, vós destes à luz o rei, que governa o céu e a terra pelos séculos eternos.

Oração do dia

Venha, ó Deus, em nosso auxílio a gloriosa intercessão de Nossa Senhora do Carmo para que possamos, sob sua proteção, subir ao monte que é Cristo. Que convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Zacarias 2,14-17)

Leitura da profecia de Zacarias.

2 14 “Solta gritos de alegria, regozija-te, filha de Sião. Eis que venho residir no meio de ti - oráculo do Senhor.

15 Naquele dia se achegarão muitas nações ao Senhor, e se tornarão o meu povo: habitarei no meio de ti, e saberás que fui enviado a ti pelo Senhor dos exércitos.

16 O Senhor possuirá Judá como seu domínio, e Jerusalém será de novo (sua cidade) escolhida.

17 Toda criatura esteja em silêncio diante do Senhor: ei-lo que surge de sua santa morada”. Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial Lc 1

O Poderoso fez por mim maravilhas

e santo é o seu nome.

 

A minha alma engrandece ao Senhor

e se alegrou o meu espírito em Deus, meu salvador.

 

Pois ele viu a pequenez de sua serva,

desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita.

O Poderoso fez por mim maravilhas

e santo é o seu nome!

 

Seu amor, de geração em geração,

chega a todos os que o respeitam.

Demonstrou o poder de seu braço,

dispersou os orgulhosos.

 

Derrubou os poderosos de seus tronos

e os humildes exaltou.

De bens saciou os famintos

e despediu, sem nada, os ricos.

 

Acolheu Israel, seu servidor,

fiel ao seu amor,

como havia prometido aos nossos pais,

em favor de Abraão e de seus filhos para sempre.

Evangelho (Mateus 12,46-50)

Mateus 12,46-50

Aleluia, aleluia, aleluia.

Feliz quem ouve e observa a palavra de Deus! (Lc 11,28)

 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

12 46 Jesus falava ainda à multidão, quando veio sua mãe e seus irmãos e esperavam do lado de fora a ocasião de lhe falar.

47 Disse-lhe alguém: “Tua mãe e teus irmãos estão aí fora, e querem falar-te”.

48 Jesus respondeu-lhe: “Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?”

49 E, apontando com a mão para os seus discípulos, acrescentou: “Eis aqui minha mãe e meus irmãos.

50 Todo aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe”.

Palavra da Salvação.


Sobre as Oferendas

Socorra-nos, ó Pai, a humanidade do vosso Filho, que, ao nascer da virgem mãe, não diminuiu, mas consagrou a sua integridade. E fazei que ele, apagando os nossos pecados, vos torne agradáveis nossas oferendas. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Feliz o seio da virgem Maria que trouxe o filho do eterno Pai (Lc 11,27).

Depois da Comunhão

Recebemos, ó Deus, o sacramento celeste, alegrando-nos nesta festa da virgem Maria. Concedei-nos a graça de imitá-la, servindo ao mistério da nossa redenção. Por Cristo, nosso Senhor.

Santo do Dia / Comemoração (NOSSA SENHORA DO CARMO)

 

No dia 16 de julho, celebra-se na Igreja Católica, a memória de Nossa Senhora do Carmo, um título da Virgem Maria que remonta ao século XIII, quando, no monte Carmelo, Palestina, começou a formar-se um grupo de eremitas. Estes, querendo imitar o exemplo do profeta Elias, reuniram-se ao redor de uma fonte chamada "fonte de Elias", e iniciaram um estilo de vida que, mais tarde, se estenderia ao mundo todo. Devido ao lugar onde nasceu, este grupo de ex-cruzados e eremitas foi chamado de "carmelitas". A história nos assegura que os eremitas construíram também uma pequena capela dedicada à Nossa Senhora que, mais tarde, e pela mesma circunstância de lugar, seria chamada de "Nossa Senhora do Carmo" ou " Nossa Senhora do Carmelo". Os carmelitas viram-se obrigados a emigrar para a Europa, para continuar a própria vida religiosa e lutar por seu espaço entre as várias ordens mendicantes. O título de Nossa Senhora do Carmo está unido ao "símbolo do escapulário".

 

A presença de Maria com o nome de Nossa Senhora do Carmo foi se espalhando por toda a Europa, e esta devoção foi levada para a América Latina, na primeira hora da evangelização. É difícil encontrar uma diocese latino-americana que não tenha, pelo menos, uma igreja dedicada a Nossa Senhora do Carmo. Não somente são igrejas matrizes ou catedrais dedicadas a Maria, sob o título de Nossa Senhora do Carmo, mas também lugarejos, capelas, oratórios etc. Isso prova como esta devoção saiu dos âmbitos restritos dos conventos carmelitanos e se tornou propriedade do povo e da Igreja Universal, como diz o Papa João Paulo II, em sua carta dirigida aos Superiores Gerais do "Carmelo da Antiga Observância e do Carmelo Descalço".

 

Esta devoção, enraizada no coração do povo, está sendo resgatada, e os devotos de Nossa Senhora do Carmo aumentam cada vez mais.

 

(Texto: Cônego Pedro Carlos Cipolini - Doutor em Teologia (Mariologia); professor titular da PUC–Campinas; membro da Academia Marial de Aparecida)




Reflexão sobre o Evangelho:
(16/07/2022 – Mateus 12,46-50) Hoje temos diante de nós o critério para pertencermos à família de Jesus: fazer a vontade de Deus. Em Maria encontramos o modelo de discípulo de Cristo, ela foi aquela que em tudo fez a vontade do Pai desde a encarnação até a morte e ressurreição de seu Divino Filho Jesus. Maria contribuiu para o projeto divino de salvação. Jesus nos conscientiza de que todos nós somos chamados a fazer parte de sua família a exemplo de sua Mãe. Fazer a vontade de Deus é a condição que Jesus nos apresenta para que sejamos considerados membros da sua família. A vontade do Pai é que todos nós, pela fé em Jesus Cristo, alcancemos a salvação. É na Palavra de Deus que descobrimos a vontade de Deus para nós. Dediquemos um tempo para examinarmos se estamos fazendo a vontade de Deus e nos empenhemos em participar da família de Jesus. Deus abençoe você! #ParoquiaMissionaria #CatolicoOrante #ParoquiaEvangelizadora #Evangelizar #Discipular #Enviar #PalavradoPadre #PlanoMissionarioePastoral
Reflexão por: Pe. João Manoel Lopes


Outras reflexões sobre o Evangelho:

Reflexão sobre o Evangelho do dia com Dom Cesar Teixeira, bispo diocesano de São José dos Campos, e padres da diocese.

Textos tirados do site Católico Orante: https://www.catolicoorante.com.br/


Santo Aleixo 17/07

Dia 17 de Julho - Domingo

XVI DOMINGO TEMPO COMUM (Verde, Glória, Creio – IV Semana do Saltério)

Antífona de Entrada

É Deus quem me ajuda, é o Senhor quem defende a minha vida. Senhor, de todo o coração hei de vos oferecer o sacrifício e dar graças ao vosso nome, porque sois bom (Sl 53,6.8).

Oração do dia

Ó Deus, sede generoso para com os vossos filhos e filhas e multiplicai em nós os dons da vossa graça, para que, repletos de fé, esperança e caridade, guardemos fielmente os vossos mandamentos. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Gênesis 18,1-10)

Leitura do livro do Gênesis.

Naqueles dias, 1o Senhor apareceu a Abraão junto ao carvalho de Mambré quando ele estava sentado à entrada da sua tenda, no maior calor do dia. 2Levantando os olhos, Abraão viu três homens de pé, perto dele. Assim que os viu, correu ao seu encontro e prostrou-se por terra. 3E disse: “Meu Senhor, se ganhei tua amizade, peço-te que não prossigas viagem sem parar junto a mim, teu servo. 4Mandarei trazer um pouco de água para vos lavar os pés, e descansareis debaixo da árvore. 5Farei servir um pouco de pão para refazerdes vossas forças, antes de continuar a viagem. Pois foi para isso mesmo que vos aproximastes do vosso servo”. Eles responderam: “Faze como disseste”. 6Abraão entrou logo na tenda, onde estava Sara, e lhe disse: “Toma depressa três medidas da mais fina farinha, amassa alguns pães e assa-os”. 7Depois, Abraão correu até o rebanho, pegou um bezerro dos mais tenros e melhores e deu-o a um criado, para que o preparasse sem demora. 8A seguir, foi buscar coalhada, leite e o bezerro assado e pôs tudo diante deles. Abraão, porém, permaneceu de pé, junto deles, debaixo da árvore, enquanto comiam. 9E eles lhe perguntaram: “Onde está Sara, tua mulher?” “Está na tenda”, respondeu ele. 10E um deles disse: “Voltarei, sem falta, no ano que vem, por este tempo, e Sara, tua mulher, já terá um filho”.

Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 14/15

Senhor, quem morará em vossa casa?

 

É aquele que caminha sem pecado

e pratica a justiça fielmente;

que pensa a verdade no seu íntimo

e não solta em calúnias sua língua.

 

Que em nada prejudica o seu irmão

nem cobre de insultos seu vizinho;

que não dá valor algum ao homem ímpio,

mas honra os que respeitam o Senhor.

 

Não empresta o seu dinheiro com usura

† nem se deixa subornar contra o inocente.

Jamais vacilará quem vive assim!

Leitura (Colossenses 1,24-28)

Leitura da carta de São Paulo aos Colossenses.

Irmãos, 24alegro-me de tudo o que já sofri por vós e procuro completar na minha própria carne o que falta das tribulações de Cristo, em solidariedade com o seu corpo, isto é, a Igreja. 25A ela eu sirvo, exercendo o cargo que Deus me confiou de vos transmitir a Palavra de Deus em sua plenitude: 26o mistério escondido por séculos e gerações, mas agora revelado aos seus santos. 27A estes Deus quis manifestar como é rico e glorioso entre as nações este mistério: a presença de Cristo em vós, a esperança da glória. 28Nós o anunciamos, admoestando a todos e ensinando a todos, com toda sabedoria, para a todos tornar perfeitos em sua união com Cristo.

Palavra do Senhor.

Evangelho (Lucas 10,38-42)

Aleluia, aleluia, aleluia.

Felizes os que observam a Palavra do Senhor de reto coração e que produzem muitos frutos, até o fim perseverantes! (Lc 8,15)

 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.

Naquele tempo, 38Jesus entrou num povoado e certa mulher, de nome Marta, recebeu-o em sua casa. 39Sua irmã, chamada Maria, sentou-se aos pés do Senhor e escutava a sua palavra. 40Marta, porém, estava ocupada com muitos afazeres. Ela aproximou-se e disse: “Senhor, não te importas que minha irmã me deixe sozinha com todo o serviço? Manda que ela me venha ajudar!” 41O Senhor, porém, lhe respondeu: “Marta, Marta! Tu te preocupas e andas agitada por muitas coisas. 42Porém, uma só coisa é necessária. Maria escolheu a melhor parte, e esta não lhe será tirada”.

Palavra da salvação.


Sobre as Oferendas

Ó Deus, que no sacrifício da cruz, único e perfeito, levastes á plenitude os sacrifícios da antiga aliança, santificai, como o de Abel, o nosso sacrifício, para que os dons que cada um trouxe em vossa honra possam servir para a salvação de todos. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

O Senhor bom e clemente nos deixou a lembrança de suas grandes maravilhas. Ele dá o alimento aos que o temem (Sl 110,4s).

Depois da Comunhão

Ó Deus, permanecei junto ao povo que iniciastes nos sacramentos do vosso reino, para que, despojando-nos do velho homem, passemos a uma vida nova. Por Cristo, nosso Senhor.




Reflexão sobre o Evangelho:
(17/07/2022 – Lucas 10,38-42) Trazemos em nós um pouco de Marta e um pouco de Maria, duas irmãs que acolhem Jesus em sua casa para uma refeição. O Mestre revela para nós a atitude das duas irmãs para que possamos avaliar como estamos recebendo Jesus hoje em nossa vida. Marta, cheia de preocupações, queria receber bem o visitante que chegava. Maria, desligada das obrigações, colocou a sua atenção em Jesus para que o seu encontro com o Mestre fosse perfeito. Ela sentou-se aos pés do Senhor e o escutava atentamente. As duas irmãs são como que duas faces de uma mesma moeda: ação e contemplação devem ser realidades presentes na vida de todo cristão. Não podemos nos envolver somente com as coisas de Deus e nos esquecermos de Deus mesmo. Precisamos aprender com as duas irmãs para que ação e contemplação em nós estejam em harmonia e sejam agradáveis ao Senhor. Deus abençoe você! #ParoquiaMissionaria #CatolicoOrante #ParoquiaEvangelizadora #Evangelizar #Discipular #Enviar #PalavradoPadre #PlanoMissionarioePastoral
Reflexão por: Pe. João Manoel Lopes


Outras reflexões sobre o Evangelho:

Reflexão sobre o Evangelho do dia com Dom Cesar Teixeira, bispo diocesano de São José dos Campos, e padres da diocese.

Texto tirado do site Católico Orante: https://www.catolicoorante.com.br/


Santo Arnolfo de Metz 18/07

Dia 18 de Julho - Segunda-feira

XVI SEMANA DO TEMPO COMUM* (Verde – Ofício do Dia)

Antífona de Entrada

É Deus quem me ajuda, é o Senhor quem defende a minha vida. Senhor, de todo o coração hei de vos oferecer o sacrifício e dar graças ao vosso nome, porque sois bom (Sl 53,6.8).

Oração do dia

Ó Deus, sede generoso para com os vossos filhos e filhas e multiplicai em nós os dons da vossa graça, para que, repletos de fé, esperança e caridade, guardemos fielmente os vossos mandamentos. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Miqueias 6,1-4.6-8)

Leitura da profecia de Miqueias.

6 1 Ouvi o que diz o Senhor: “Vamos, advoga tua causa diante das montanhas, ouçam as colinas a tua voz!”

2 Ouvi, montanhas, o processo do Senhor, e vós, fundamentos perenes da terra. Porque o Senhor entrou em juízo com seu povo, ele vai pleitear com Israel:

3 “Povo meu, que te fiz, ou em que te contristei? Responde-me.

4 Fiz-te sair do Egito, livrei-te da escravidão, e mandei diante de ti Moisés, Aarão e Maria”.

5 “Povo meu, lembra-te dos desígnios de Balac, rei de Moab, e a resposta que lhe deu Balaão, filho de Beor; lembra-te (da etapa) entre Setim e Gálgala, para reconheceres os benefícios do Senhor.

6 Com que me apresentarei diante do Senhor, e me prostrarei diante do Deus soberano? Irei à sua presença com holocaustos e novilhos de um ano?”

7 Agradar-se-á, porventura, o Senhor com milhares de carneiros, ou com milhões de torrentes de óleo? Sacrificar-lhe-ei pela minha maldade o meu primogênito, o fruto de minhas entranhas por meus próprios pecados?

8 Já te foi dito, ó homem, o que convém, o que o Senhor reclama de ti: que pratiques a justiça, que ames a bondade, e que andes com humildade diante do teu Deus.

Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 49/50

A todo homem que procede retamente

eu mostrarei a salvação que vem de Deus.

 

“Reuni à minha frente os meus eleitos,

que selaram a aliança em sacrifícios!”

Testemunha o próprio céu seu julgamento,

porque Deus mesmo é juiz e vai julgar.

 

Eu não venho censurar teus sacrifícios,

pois sempre estão perante mim teus holocaustos;

não preciso dos novilhos de tua casa

nem dos carneiros que estão nos teus rebanhos.

 

“Como ousas repetir os meus preceitos

e trazer minha aliança em tua boca?

Tu que odiaste minhas leis e meus conselhos

e deste as costas às palavras dos meus lábios!

 

Diante disso que fizeste, eu calarei?

Acaso pensar que eu sou igual a ti?

É disso que te acuso e repreendo

e manifesto essas coisas aos teus olhos.

 

Quem me oferece um sacrifício de louvor,

este sim, é que me honra de verdade.

A todo homem que procede retamente

eu mostrarei a salvação que vem de Deus”.

Evangelho (Mateus 12,38-42)

Aleluia, aleluia, aleluia.

Oxalá ouvísseis hoje a sua voz: Não fecheis os corações como em Meriba! (Sl 94,8).

 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

12 38 Então alguns escribas e fariseus tomaram a palavra: “Mestre, quiséramos ver-te fazer um milagre”.

39 Respondeu-lhes Jesus: “Esta geração adúltera e perversa pede um sinal, mas não lhe será dado outro sinal do que aquele do profeta Jonas:

40 do mesmo modo que Jonas esteve três dias e três noites no ventre do peixe, assim o Filho do Homem ficará três dias e três noites no seio da terra.

41 No dia do juízo, os ninivitas se levantarão com esta raça e a condenarão, porque fizeram penitência à voz de Jonas. Ora, aqui está quem é mais do que Jonas.

42 No dia do juízo, a rainha do Sul se levantará com esta raça e a condenará, porque veio das extremidades da terra para ouvir a sabedoria de Salomão. Ora, aqui está quem é mais do que Salomão”.

Palavra da Salvação.


Sobre as Oferendas

Ó Deus, que no sacrifício da cruz, único e perfeito, levastes á plenitude os sacrifícios da antiga aliança, santificai, como o de Abel, o nosso sacrifício, para que os dons que cada um trouxe em vossa honra possam servir para a salvação de todos. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

O Senhor bom e clemente nos deixou a lembrança de suas grandes maravilhas. Ele dá o alimento aos que o temem (Sl 110,4s).

Depois da Comunhão

Ó Deus, permanecei junto ao povo que iniciastes nos sacramentos do vosso reino, para que, despojando-nos do velho homem, passemos a uma vida nova. Por Cristo, nosso Senhor.




Reflexão sobre o Evangelho:
(18/07/2022 – Mateus 12,38-42) Hoje Jesus dirige a nós as mesmas palavras que dirigiu àquela geração. Vivemos em um tempo em que os valores familiares e cristãos estão se perdendo a cada dia, os ensinamentos do Senhor não estão sendo levados a sério. O Senhor nos chama a Santidade. Devemos deixar que o Espírito Santo inflame em nós a fidelidade para com nosso Deus que é eterno e que nos deu o maior sinal que poderíamos ter. Cada um de nós é chamado a ser sinal para as outras pessoas. Não precisamos de outros sinais para reconhecer que Jesus Cristo é o Senhor da nossa vida, pois se entregou por nós e na cruz derramou o seu sangue para nos dar vida. O amor de Deus age em nós e através de nós. Não esperemos por sinais exteriores. Deus sinaliza o seu amor dentro do nosso coração e por isto, não precisamos enxergar nem tocar ou ouvir outro sinal além de Jesus Cristo. Confiemos no Senhor! Deus abençoe você! #ParoquiaMissionaria #CatolicoOrante #ParoquiaEvangelizadora #Evangelizar #Discipular #Enviar #PalavradoPadre #PlanoMissionarioePastoral
Reflexão por: Pe. João Manoel Lopes


Outras reflexões sobre o Evangelho:

Reflexão sobre o Evangelho do dia com Dom Cesar Teixeira, bispo diocesano de São José dos Campos, e padres da diocese.

Texto tirado do site Católico Orante: https://www.catolicoorante.com.br/


Santo Arsênio 19/07

Dia 19 de Julho - Terça-feira

XVI SEMANA DO TEMPO COMUM* (Verde – Ofício do Dia)

Antífona de Entrada

É Deus quem me ajuda, é o Senhor quem defende a minha vida. Senhor, de todo o coração hei de vos oferecer o sacrifício e dar graças ao vosso nome, porque sois bom (Sl 53,6.8).

Oração do dia

Ó Deus, sede generoso para com os vossos filhos e filhas e multiplicai em nós os dons da vossa graça, para que, repletos de fé, esperança e caridade, guardemos fielmente os vossos mandamentos. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Miqueias 7,14-15.18-20)

Leitura da profecia de Miqueias.

7 14 Conduzi com o cajado o vosso povo, o rebanho de vossa herança que se encontra espalhado pelas brenhas, para o meio de vergéis; que ele paste como outrora em Basã e em Galaad.

15 Como nos dias em que saístes do Egito, fazei-nos ver prodígios.

18 Qual é o Deus que, como vós, apaga a iniquidade e perdoa o pecado do resto de seu povo, que não se ira para sempre porque prefere a misericórdia?

19 Uma vez mais, tende piedade de nós! Esquecei as nossas faltas e jogai nossos pecados nas profundezas do mar!

20 Mostrai a vossa fidelidade para com Jacó, e vossa piedade para com Abraão, como jurastes a nossos pais desde os tempos antigos!

Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 84/85

Mostrai-nos, ó Senhor, vossa bondade.

 

Favorecestes, ó Senhor, a vossa terra,

libertastes os cativos de Jacó.

Perdoastes o pecado ao vosso povo,

encobristes toda a falta cometida;

retirastes a ameaça que fizestes,

acalmastes o furor de vossa ira.

 

Renovai-nos, nosso Deus e salvador,

esquecei a vossa mágoa contra nós!

ficareis eternamente irritado?

Guardareis a vossa ira pelos séculos?

Guardareis a vossa ira pelos séculos?

 

Não vireis restituir a nossa vida,

para que em vós se rejubile o vosso povo?

Mostrai-nos, Senhor, vossa bondade,

concedei-nos também vossa salvação!

Evangelho (Mateus 12,46-50)

Aleluia, aleluia, aleluia.

Quem me ama, realmente, guardará minha palavra e meu Pai o amará, e a ele nós viremos (Jo 14,23).

 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

12 46 Jesus falava ainda à multidão, quando veio sua mãe e seus irmãos e esperavam do lado de fora a ocasião de lhe falar.

47 Disse-lhe alguém: “Tua mãe e teus irmãos estão aí fora, e querem falar-te”.

48 Jesus respondeu-lhe: “Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?”

49 E, apontando com a mão para os seus discípulos, acrescentou: “Eis aqui minha mãe e meus irmãos.

50 Todo aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe”.

Palavra da Salvação.


Sobre as Oferendas

Ó Deus, que no sacrifício da cruz, único e perfeito, levastes á plenitude os sacrifícios da antiga aliança, santificai, como o de Abel, o nosso sacrifício, para que os dons que cada um trouxe em vossa honra possam servir para a salvação de todos. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

O Senhor bom e clemente nos deixou a lembrança de suas grandes maravilhas. Ele dá o alimento aos que o temem (Sl 110,4s).

Depois da Comunhão

Ó Deus, permanecei junto ao povo que iniciastes nos sacramentos do vosso reino, para que, despojando-nos do velho homem, passemos a uma vida nova. Por Cristo, nosso Senhor.




Reflexão sobre o Evangelho:
(19/07/2022 – Mateus 12,46-50) O que conta para Jesus não são o título da pessoa, a afinidade familiar, os dons que possuímos, hoje poderíamos acrescentar o fato de ser batizado. O que vale para Ele é a intimidade, amizade, com Ele, segui-lo, ser um verdadeiro discípulo, cumprir a vontade do Pai. A vontade do Pai está sempre na linha do amor. Um amor que o leva a cuidar de todas as suas ovelhas, principalmente as que estão separadas do rebanho. Se queremos ser membros da família de Jesus precisamos cumprir com a vontade do Pai, ou seja, trilhar o caminho do amor com todas as consequências de viver tudo relacionado ao amor. As palavras de Jesus para sua mãe são um louvor a ela, porque ninguém entre nós, como Maria, cumpriu a vontade de nosso Pai Celestial. Cumpramos com a vontade de Deus para pertencermos à família de Jesus. Deus abençoe você! #ParoquiaMissionaria #CatolicoOrante #ParoquiaEvangelizadora #Evangelizar #Discipular #Enviar #PalavradoPadre #PlanoMissionarioePastoral
Reflexão por: Pe. João Manoel Lopes


Outras reflexões sobre o Evangelho:

Reflexão sobre o Evangelho do dia com Dom Cesar Teixeira, bispo diocesano de São José dos Campos, e padres da diocese.

Texto tirado do site Católico Orante: https://www.catolicoorante.com.br/


Santa Margarida 20/07

Dia 20 de Julho - Quarta-feira

XVI SEMANA DO TEMPO COMUM*(Verde – Ofício do Dia)

Antífona de Entrada

É Deus quem me ajuda, é o Senhor quem defende a minha vida. Senhor, de todo o coração hei de vos oferecer o sacrifício e dar graças ao vosso nome, porque sois bom (Sl 53,6.8).

Oração do dia

Ó Deus, sede generoso para com os vossos filhos e filhas e multiplicai em nós os dons da vossa graça, para que, repletos de fé, esperança e caridade, guardemos fielmente os vossos mandamentos. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Jeremias 1,1.4-10)

Início do livro do profeta Jeremias.

1Palavras de Jeremias, filho de Helcias, um dos sacerdotes de Anatot, da tribo de Benjamim. 4Foi-me dirigida a palavra do Senhor, dizendo: 5“Antes de formar-te no ventre materno, eu te conheci; antes de saíres do seio de tua mãe, eu te consagrei e te fiz profeta das nações”. 6Disse eu: “Ah! Senhor Deus, eu não sei falar, sou muito novo”. 7Disse-me o Senhor: “Não digas que és muito novo; a todos a quem eu te enviar, irás, e tudo que eu te mandar dizer, dirás. 8Não tenhas medo deles, pois estou contigo para defender-te”, diz o Senhor. 9O Senhor estendeu a mão, tocou-me a boca e disse-me: “Eis que ponho minhas palavras em tua boca. 10Eu te constituí hoje sobre povos e reinos com poder para extirpar e destruir, devastar e derrubar, construir e plantar”.

Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 70/71

Minha boca anunciará vossa justiça.

 

Eu procuro meu refúgio em vós, Senhor:

que eu não seja envergonhado para sempre!

Porque sois justo, defendei-me e libertai-me!

Escutai a minha voz, vinde salvar-me!

 

Sede uma rocha protetora para mim,

um abrigo bem seguro que me salve!

Porque sois a minha força e meu amparo,

† o meu refúgio, proteção e segurança!

Libertai-me, ó meu Deus, das mãos do ímpio.

 

Porque sois, ó Senhor Deus, minha esperança,

em vós confio desde a minha juventude!

Sois meu apoio desde antes que eu nascesse,

desde o seio maternal, o meu amparo.

 

Minha boca anunciará todos os dias

vossa justiça e vossas graças incontáveis.

Vós me ensinastes desde a minha juventude,

e até hoje canto as vossas maravilhas.

Evangelho (Mateus 13,1-9)

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

A semente é de Deus a Palavra, o Cristo é o semeador; todo aquele que o encontra, vida eterna encontrou.

 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

1Naquele dia, Jesus saiu de casa e foi sentar-se às margens do mar da Galileia. 2Uma grande multidão reuniu-se em volta dele. Por isso Jesus entrou numa barca e sentou-se, enquanto a multidão ficava de pé, na praia. 3E disse-lhes muitas coisas em parábolas: “O semeador saiu para semear. 4Enquanto semeava, algumas sementes caíram à beira do caminho, e os pássaros vieram e as comeram. 5Outras sementes caíram em terreno pedregoso, onde não havia muita terra. As sementes logo brotaram, porque a terra não era profunda. 6Mas, quando o sol apareceu, as plantas ficaram queimadas e secaram, porque não tinham raiz. 7Outras sementes caíram no meio dos espinhos. Os espinhos cresceram e sufocaram as plantas. 8Outras sementes, porém, caíram em terra boa e produziram à base de cem, de sessenta e de trinta frutos por semente. 9Quem tem ouvidos ouça!”

Palavra da salvação.


Sobre as Oferendas

Ó Deus, que no sacrifício da cruz, único e perfeito, levastes á plenitude os sacrifícios da antiga aliança, santificai, como o de Abel, o nosso sacrifício, para que os dons que cada um trouxe em vossa honra possam servir para a salvação de todos. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

O Senhor bom e clemente nos deixou a lembrança de suas grandes maravilhas. Ele dá o alimento aos que o temem (Sl 110,4s).

Depois da Comunhão

Ó Deus, permanecei junto ao povo que iniciastes nos sacramentos do vosso reino, para que, despojando-nos do velho homem, passemos a uma vida nova. Por Cristo, nosso Senhor.

Santo do Dia / Comemoração (SANTO APOLINÁRIO)

MEMÓRIA FACULTATIVA

(Vermelho – Ofício da Memória)

 

O nome, o culto, e a glória de Santo Apolinário são legados que recebemos da história, e também da arte de Ravena, a capital do Império Bizantino no Ocidente, no período de meados do século I e século II.

 

Lá, existem duas grandiosas igrejas dedicadas a santo Apolinário, ambas célebres na história da arte e do cristianismo. Na igreja nova de Santo Apolinário, no centro da cidade, encontramos o célebre mosaico representativo, mais extenso do que um quarteirão, com todos os mártires e as virgens. No destaque, encontra-se santo Apolinário. Na outra igreja, fora da cidade, está o outro esplendido mosaico, no qual, pela primeira vez, a figura de um santo, e não a de Cristo, ocupa o centro de uma composição, circundado por duas fileiras de ovelhas.

 

Apolinário, o primeiro bispo de Ravena, segundo a tradição, teria sua origem no Oriente. A mando do próprio apóstolo Pedro, de quem foi discípulo, foi enviado para converter os pagãos nas terras ao norte do Império Romano.

 

A sua obra de evangelização transcorreu num ambiente repleto de imensas dificuldades, fruto do ódio, do egoísmo, da incredibilidade que o cercavam, além do culto aos ídolos pagãos que teve de combater. A tal apostolado dedicou toda a sua vida. Embora representado no mosaico da cidade, sereno e tranqüilo, na realidade era um homem de vida dura, combativa e atuante. Apolinário sempre foi considerado um mártir. Mártir de um suplício muito longo, que foi todo o seu episcopado.

 

Ele não viu o resultado de sua obra, que só se revelou após a sua morte. A população da nova capital do Império Romano tornou-se exclusivamente cristã, reforçando suas raízes no próprio culto de seu primeiro bispo, considerado por eles um exemplo de santidade.

 

Dessa maneira se explica a grande devoção a ele, não somente em Ravena, mas em muitas outras localidades da Itália, da França e da Alemanha. Aliás, nessas regiões, foi amplamente difundida, devido os mosteiros beneditinos e camaldulenses que Apolinário ali fundara.

 

Apolinário morreu como mártir da fé no dia 23 de julho, durante as primeiras perseguições impostas contra os cristãos. Entretanto não se encontrou nenhuma referência indicando o ano e a localidade. Suas relíquias, encontradas nas catacumbas, foram enviadas para a catedral de Santo Apolinário, em Ravena, na Itália. A tradicional festa de Santo Apolinário, Padroeiro de Ravena, em 23 de julho, foi mantida pela Igreja.

 

ORAÇÃO DO DIA

Deus eterno e todo-poderoso, que destes a santo Apolinário a graça de lutar pela justiça até a morte, concedei-nos, por usa intercessão, suportar por vosso amor as adversidades e correr ao encontro de vós, que sois a nossa vida. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

SOBRE AS OFERENDAS

Ó Deus de bondade, derramai a vossa bênção sobre estas oferendas e confirmai-nos na fé que santo Apolinário testemunhou, derramando seu sangue. Por Cristo, nosso Senhor.

 

DEPOIS DA COMUNHÃO

Refeitos por esta eucaristia, concedei-nos, ó Deus, que, imitando a constância de santo Apolinário, possamos merecer um dia o prêmio da nossa paciência.

Por Cristo, nosso Senhor.




Reflexão sobre o Evangelho:
(20/07/2022 – Mateus 13,1-9) Jesus conta a parábola do semeador. Na margem do lago, o terreno era o povo que tinha vindo a Jesus, e a semente, sua Palavra. Hoje o terreno é cada um de nós, e a semente é a mesma de então. A semente é sempre um dom. O Semeador é Jesus que saiu para semear a Palavra e, sobretudo, para dar confiança e fazer o encontro com todos aqueles que se sentem cansados e sobrecarregados na missão. Ao falar-nos da semente e do solo, Jesus comparou-o com o que acontece em nossa vida. Pode ser a melhor semente, mas sua bondade não garante o fruto. Apesar de todos os obstáculos, o semeador realiza seu trabalho, confiando na colheita que vai ter. Recebemos de Jesus a missão de semear. O semeador lança suas sementes em todo tipo de terreno e a sementeira prosperará se o terreno for o melhor para o plantio. Preparemos o nosso coração para acolher sempre a boa semente. Deus abençoe você! #ParoquiaMissionaria #CatolicoOrante #ParoquiaEvangelizadora #Evangelizar #Discipular #Enviar #PalavradoPadre #PlanoMissionarioePastoral
Reflexão por: Pe. João Manoel Lopes


Outras reflexões sobre o Evangelho:

Reflexão sobre o Evangelho do dia com Dom Cesar Teixeira, bispo diocesano de São José dos Campos, e padres da diocese.

Texto tirado do site Católico Orante: https://www.catolicoorante.com.br/


São Lourenço 21/07



Santa Maria Madalena 22/07

Dia 22 de Julho - Sexta-feira

SANTA MARIA MADALENA - DISCÍPULA DE JESUS (Branco, Prefácio Comum ou dos Santos – Ofício da Memória)

Antífona de Entrada

O Senhor disse a Maria Madalena: Vai a meus irmãos e anuncia-lhes: subo a meu Pai e vosso Pai a meu Deus e vosso Deus (Jo 20,17).

Oração do dia

Ó Deus, o vosso filho confiou a Maria Madalena o primeiro anúncio da alegria pascal; dai-nos, por suas preces e a seu exemplo, anunciar também que Cristo vive e contemplá-lo na glória de seu reino. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Cântico 3,1-4)

Leitura do livro do Cântico dos Cânticos.

3 1 "Durante as noites, no meu leito, busquei aquele que meu coração ama; procurei-o, sem o encontrar.

2 Vou levantar-me e percorrer a cidade, as ruas e as praças, em busca daquele que meu coração ama; procurei-o, sem o encontrar.

3 Os guardas encontraram-me quando faziam sua ronda na cidade. ‘Vistes acaso aquele que meu coração ama?’

4 Mal passara por eles, encontrei aquele que meu coração ama. Segurei-o, e não o largarei antes que o tenha introduzido na casa de minha mãe, no quarto daquela que me concebeu".

Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 62/63

A minha alma tem sede de vós, Senhor!

 

Sois vós, ó Senhor, o meu Deus!

Desde a aurora ansioso vos busco!

A minha alma tem sede de vós,

minha carne também vos deseja

como terra sedenta e sem água!

 

Venho, assim, contemplar-vos no templo

para ver vossa glória e poder.

vosso amor vale mais do que a vida,

e por isso meus lábios vos louvam.

 

Quero, pois, vos louvar pela vida

e elevar para vós minhas mãos!

A minha alma será saciada

como em grande banquete de festa;

cantará a alegria em meus lábios

ao cantar para vós meu louvor!

 

Para mim fostes sempre um socorro;

de vossas asas à sombra eu exulto!

Minha alma se agarra em vós;

com poder vossa mão me sustenta.

Evangelho (João 20,1-2.11-18)

Aleluia, aleluia, aleluia.

Responde-nos, ó Maria, no teu caminho o que havia? Vi Cristo ressuscitado, o túmulo abandonado!

 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João.

20 1 No primeiro dia que se seguia ao sábado, Maria Madalena foi ao sepulcro, de manhã cedo, quando ainda estava escuro. Viu a pedra removida do sepulcro.

2 Correu e foi dizer a Simão Pedro e ao outro discípulo a quem Jesus amava: "Tiraram o Senhor do sepulcro, e não sabemos onde o puseram!"

11 Entretanto, Maria se conservava do lado de fora perto do sepulcro e chorava. Chorando, inclinou-se para olhar dentro do sepulcro.

12 Viu dois anjos vestidos de branco, sentados onde estivera o corpo de Jesus, um à cabeceira e outro aos pés.

13 Eles lhe perguntaram: "Mulher, por que choras?" Ela respondeu: "Porque levaram o meu Senhor, e não sei onde o puseram".

14 Ditas estas palavras, voltou-se para trás e viu Jesus em pé, mas não o reconheceu.

15 Perguntou-lhe Jesus: "Mulher, por que choras? Quem procuras?" Supondo ela que fosse o jardineiro, respondeu: "Senhor, se tu o tiraste, dize-me onde o puseste e eu o irei buscar".

16 Disse-lhe Jesus: "Maria!" Voltando-se ela, exclamou em hebraico: "Rabôni!" (que quer dizer Mestre).

17 Disse-lhe Jesus: "Não me retenhas, porque ainda não subi a meu Pai, mas vai a meus irmãos e dize-lhes: ‘Subo para meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus’".

18 Maria Madalena correu para anunciar aos discípulos que ela tinha visto o Senhor e contou o que ele lhe tinha falado.

Palavra da Salvação.


Sobre as Oferendas

Recebei, ó Pai, as oferendas que vos apresentamos na festa de santa Maria Madalena, cuja demonstração de amor vosso Filho acolheu com misericordiosa bondade. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

O amor de Cristo nos impele, para que os que vivem já não vivam para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou (2Cor 5,14s).

Depois da Comunhão

Ó Deus, a comunhão nos vossos mistérios infunda em nós aquele amor perseverantes que levou Maria Madalena a jamais separar-se do Mestre. Que vive e reina para sempre.

Santo do Dia / Comemoração (SANTA MARIA MADALENA)

Embora fosse apenas uma pecadora famosa de sua cidade, Maria Madalena, nascida em Magdala, na Galiléia, teve uma participação importantíssima na passagem de Jesus pela Terra. Ela foi perdoada publicamente por ele, que a tomou como exemplo de que seu Pai acolhia a todos, desde que chegassem ao arrependimento. Além disso, foi, ainda, a escolhida para ser a primeira testemunha da ressurreição.

 

Madalena ouvira falar de Jesus, pois a fama dos milagres dele corria entre o povo. Ele já ressuscitara mortos, devolvera a visão a cegos, colocara voz na boca de mudos e audição nos ouvidos de surdos, além de fazer andar paralíticos e curar doentes de todos os tipos. Assim, no dia em que Jesus participava de um banquete na casa de Simão, o fariseu, Maria Madalena resolveu fazer uma confissão pública de arrependimento, porque o seu pecado era público, como diz a Sagrada Escritura.

 

Invadindo o local da ceia, ela não ousou olhar para Jesus. Apenas ajoelhou-se na sua frente, banhou seus pés com lágrimas e enxugou-os com os cabelos, num pedido de perdão mudo. Impressionados, os presentes imaginavam que ela fosse ser repudiada pelo Mestre, que, todavia, disse à mulher: "Foram-lhes perdoados os seus muitos pecados, porque você muito amou". Com o coração em paz, ela saiu dali ainda em prantos, mas feliz. A partir desse dia, tornou-se uma das mais fiéis seguidoras do Messias.

 

Ela estava ao lado de Maria quando da crucificação do Senhor e, na madrugada da Páscoa, era tanta a saudade que sentia de Jesus que foi chorar à porta do sepulcro. De repente, ouviu a voz, que jamais esqueceria, chamar seu nome. Assim, as profecias cumpriram-se diante de seus olhos. Jesus ressuscitara!

 

Está escrito: "No dia da Páscoa, Jesus apareceu a ela e a mandou ir anunciar a sua ressurreição aos discípulos". Depois disso, segundo uma antiga tradição grega, Maria Madalena teria ido viver em Éfeso, onde morreu. Lá, tinham ido morar também João, o apóstolo predileto de Jesus, e Maria, Mãe de Jesus.

 

A liturgia bizantina celebra-a como "Apóstola dos Apóstolos", para que continue a sua missão de anunciar a ressurreição do Senhor no seu rito apostólico. Festejada no dia 22 de julho, santa Maria Madalena tornou-se a padroeira de muitas ordens religiosas, sendo venerada até mesmo pelos padres predicadores.

(Esta Editoria é de responsabilidade imediata de Paulo Umberto SJ)




Reflexão sobre o Evangelho:

Reflexão sobre o Evangelho do dia com Dom Cesar Teixeira, bispo diocesano de São José dos Campos, e padres da diocese.

Texto tirado do site Católico Orante: https://www.catolicoorante.com.br/


Santa Brígida 23/07

Dia 23 de Julho - Sábado

XVI SEMANA DO TEMPO COMUM (Verde – Ofício do Dia)

Antífona de Entrada

É Deus quem me ajuda, é o Senhor quem defende a minha vida. Senhor, de todo o coração hei de vos oferecer o sacrifício e dar graças ao vosso nome, porque sois bom (Sl 53,6.8).

Oração do dia

Ó Deus, sede generoso para com os vossos filhos e filhas e multiplicai em nós os dons da vossa graça, para que, repletos de fé, esperança e caridade, guardemos fielmente os vossos mandamentos. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Jeremias 7,1-11)

Leitura do livro do profeta Jeremias.

7 1 A palavra do Senhor foi nestes termos dirigida a Jeremias:

2 Vai à porta do templo do Senhor; lá pronunciarás este discurso: escutai a palavra do Senhor, vós todos, povos de Judá, que entrais por estas portas para vos prosternar diante dele.

3 Eis o que diz o Senhor dos exércitos, o Deus de Israel: reformai vosso procedimento e a maneira de agir, e eu vos deixarei morar neste lugar.

4 Não vos fieis em palavras enganadoras, semelhantes a estas: Templo do Senhor, templo do Senhor, aqui está o templo do Senhor.

5 Se reformardes vossos costumes e modos de proceder, se verdadeiramente praticardes a justiça;

6 se não oprimirdes o estrangeiro, o órfão, a viúva; se não espalhardes neste lugar o sangue inocente e não correrdes, para vossa desgraça, atrás dos deuses alheios,

7 então permitirei que permaneçais neste lugar, nesta terra que dei a vossos pais por todos os séculos.

8 Vós, contudo, vos fiais em fórmulas enganadoras que de nada vos servirão.

9 Roubais, matais, cometeis adultérios, prestais juramentos falsos; ofereceis incenso a Baal e procurais deuses que vos são desconhecidos;

10 E depois, vindes apresentar-vos diante de mim, nesta casa em que foi invocado meu nome, e exclamais: Estamos salvos! - para, em seguida, recomeçar a cometer todas essas abominações.

11 É, por acaso, a vossos olhos uma caverna de bandidos esta casa em que meu nome foi invocado? Também eu o vejo - oráculo do Senhor.

Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 83/84

Quão amável, ó Senhor, é vossa casa!

 

Minha alma desfalece de saudades

e anseia pelos átrios do Senhor!

Meu coração e minha carne rejubilam

e exultam de alegria no Deus vivo!

 

Mesmo o pardal encontra abrigo em vossa casa,

e a andorinha ali prepara o seu ninho,

para nele seus filhotes colocar:

vossos altares, ó Senhor Deus do universo!

Vossos altares, ó meu rei e meu Senhor!

 

Felizes os que habitam vossa casa;

para sempre haverão de vos louvar!

Felizes os que em vós têm sua força,

caminharão com um ardor sempre crescente.

 

Na verdade, um só dia em vosso templo

vale mais do que milhares fora dele!

Prefiro estar no limiar de vossa casa

a hospedar-me na mansão dos pecadores!

Evangelho (Mateus 13,24-30)

Aleluia, aleluia, aleluia.

Acolhei docilmente a palavra semeada em vós, meus irmãos; ela pode salvar vossas vidas! (Tg 1,21)

 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

13 24 Jesus propôs outra parábola: “O Reino dos céus é semelhante a um homem que tinha semeado boa semente em seu campo.

25 Na hora, porém, em que os homens repousavam, veio o seu inimigo, semeou joio no meio do trigo e partiu.

26 O trigo cresceu e deu fruto, mas apareceu também o joio.

27 Os servidores do pai de família vieram e disseram-lhe: “Senhor, não semeaste bom trigo em teu campo? Donde vem, pois, o joio?"

28 Disse-lhes ele: "Foi um inimigo que fez isto!" Replicaram-lhe: "Queres que vamos e o arranquemos?"

29 "Não", disse ele; "arrancando o joio, arriscais a tirar também o trigo.

30 Deixai-os crescer juntos até a colheita. No tempo da colheita, direi aos ceifadores: arrancai primeiro o joio e atai-o em feixes para o queimar. Recolhei depois o trigo no meu celeiro".

Palavra da Salvação.


Sobre as Oferendas

Ó Deus, que no sacrifício da cruz, único e perfeito, levastes á plenitude os sacrifícios da antiga aliança, santificai, como o de Abel, o nosso sacrifício, para que os dons que cada um trouxe em vossa honra possam servir para a salvação de todos. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

O Senhor bom e clemente nos deixou a lembrança de suas grandes maravilhas. Ele dá o alimento aos que o temem (Sl 110,4s).

Depois da Comunhão

Ó Deus, permanecei junto ao povo que iniciastes nos sacramentos do vosso reino, para que, despojando-nos do velho homem, passemos a uma vida nova. Por Cristo, nosso Senhor.

Santo do Dia / Comemoração (SANTA BRÍGIDA)

MEMÓRIA FACULTATIVA

(Branco – Ofício da Memória)

 

Brígida, ou Brigite, nasceu princesa, em 1303, no castelo de Finstad, na Suécia. Descendia de uma casa real muito pia, que forneceu à Igreja muitos santos e que se dedicava a construir mosteiros, igrejas e hospitais com a própria fortuna. Além de manter muitas obras de caridade para a população pobre, Brígida, desde a infância, tinha o dom das revelações divinas, todas anotadas por ela no seu idioma sueco. Depois, as descrições foram traduzidas para o latim e somaram oito grandes volumes, que ainda hoje são fonte de consulta para historiadores, teólogos e fiéis cristãos.

Aos dezoito anos, ela se casou com o nobre chamado Ulf Gudmarsson, um homem cristão e muito piedoso. O casal teve oito filhos, dentre os quais a filha venerada como santa Catarina da Suécia. Era com rigor que eles cuidavam da educação religiosa e acadêmica dos filhos, sempre no caminho para a santificação em Cristo. Durante um longo período, Brígida foi dama de companhia da rainha Bianca, de Namur, por isso frequentava sempre as cortes luxuosas. Mas não se corrompeu neste ambiente de riquezas frívolas, ao contrário, manteve-se fiel aos ensinamentos cristãos, perseverando seu espírito na dignidade e na caridade da fé.

Após a morte de um dos seus filhos, o casal resolveu fazer uma peregrinação ao santuário de Santiago de Compostela, na Espanha. No retorno, Ulf caiu gravemente enfermo, e nessa ocasião Brígida, em sonho, teve uma revelação de são Dionísio, que lhe disse que o marido não morreria. De fato ele ficou curado, mas logo em seguida ingressou no mosteiro de Alvastra, onde vivia um dos seus filhos, e lá morreu, em 1344.

Viúva, Brígida decidiu retirar-se definitivamente para a vida monástica, para realizar um velho projeto, a fundação de um mosteiro duplo, de homens e mulheres, que deu origem à Ordem do Santo Salvador, sob as Regras de são Agostinho, passando, então, a viver nele. Quando obteve aprovação canônica, a fundadora transferiu-se para Roma.

Ali viveu por vinte e quatro anos, trabalhando pela reforma dos costumes e a volta do papa de Avignon. Com o apoio do rei da Suécia, construiu e instaurou setenta e oito mosteiros por toda a Europa. Ela morreu em 23 de julho de 1373, durante uma romaria à Terra Santa.

Desde então, a Ordem fundada por ela passou a ser dirigida por sua filha, Catarina da Suécia, alcançando notoriedade pelos anos futuros. Canonizada em 1391, apenas dezoito anos após sua morte, santa Brígida já tinha um culto muito vigoroso em todo o mundo cristão da Europa, sendo celebrada no dia de sua morte. O local onde residia em Roma foi transformado em uma belíssima igreja dedicada a ela, na praça Farnese.

 

ORAÇÃO DO DIA

Senhor nosso Deus, que revelastes a santa Brígida os mistérios celestes quando meditava a paixão do vosso filho, concedei-nos exultar de alegria na revelação da vossa glória. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

SOBRE AS OFERENDAS

Concedei, ó Deus, que este sacrifício em comemoração de santa Brígida nos alcance o vosso perdão e a salvação que esperamos. Por Cristo, nosso Senhor.

 

DEPOIS DA COMUNHÃO

Deus todo-poderoso, a força divina deste sacramento nos ilumine e afervore nesta festividade de santa Brígida para que, animados sempre de santos propósitos, multipliquemos as boas obras. Por Cristo, nosso Senhor.




Reflexão sobre o Evangelho:
(24/07/2022 – Lucas 11,1-13) Hoje Jesus nos dá um ensinamento sobre a oração. Os discípulos pedem ao Senhor que os ensine a orar. O Senhor aproveita o pedido e os ensina o Pai-Nosso convidando-os a serem constantes na oração. Quando Jesus está orando, os discípulos querem aprender e percebem que a oração é uma necessidade vital para todo discípulo de Cristo. Jesus fala com o Pai em uma atmosfera de intimidade e ensina seus discípulos a fazer o mesmo. Orar se aprende orando, como a criança aprende a falar comunicando-se com os que a rodeiam. Para algumas pessoas fazer oração é algo muito difícil e complicado. Na realidade é algo tão simples como um impulso do coração, um simples olhar para o céu, um grito de reconhecimento e de amor. Orar é falar de amizade com quem sabemos que nos ama. Neste dia reserve um tempo maior para a oração. Deus abençoe você! #ParoquiaMissionaria #CatolicoOrante #ParoquiaEvangelizadora #Evangelizar #Discipular #Enviar #PalavradoPadre #PlanoMissionarioePastoral
Reflexão por: Pe. João Manoel Lopes


Outras reflexões sobre o Evangelho:

Reflexão sobre o Evangelho do dia com Dom Cesar Teixeira, bispo diocesano de São José dos Campos, e padres da diocese.

Texto tirado do site Católico Orante: https://www.catolicoorante.com.br/


Santa Cristina 24/07

Dia 24 de Julho - Domingo

XVII DOMINGO DO TEMPO COMUM (Verde, Glória, Creio – I Semana do Saltério)

Antífona de Entrada

Deus habita em seu templo santo, reúne seus filhos em sua casa; é ele que dá força e poder a seu povo (Sl 67,6s.36)

Oração do dia

Ó Deus, sois o amparo dos que em vós esperam e, sem vosso auxílio, ninguém é forte, ninguém é santo; redobrai de amor para conosco, para que, conduzidos por vós, usemos de tal modo os bens que passam, que possamos abraçar os que não passam. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Gênesis 18,20-32)

Leitura do livro do Gênesis.

Naqueles dias, 20o Senhor disse a Abraão: “O clamor contra Sodoma e Gomorra cresceu, e agravou-se muito o seu pecado. 21Vou descer para verificar se as suas obras correspondem ou não ao clamor que chegou até mim”. 22Partindo dali, os homens dirigiram-se a Sodoma, enquanto Abraão ficou na presença do Senhor. 23Então, aproximando-se, disse Abraão: “Vais realmente exterminar o justo com o ímpio? 24Se houvesse cinquenta justos na cidade, acaso irias exterminá-los? Não pouparias o lugar por causa dos cinquenta justos que ali vivem? 25Longe de ti agir assim, fazendo morrer o justo com o ímpio, como se o justo fosse igual ao ímpio. Longe de ti! O juiz de toda a terra não faria justiça?” 26O Senhor respondeu: “Se eu encontrasse em Sodoma cinquenta justos, pouparia por causa deles a cidade inteira”. 27Abraão prosseguiu, dizendo: “Estou sendo atrevido em falar a meu Senhor, eu que sou pó e cinza. 28Se dos cinquenta justos faltassem cinco, destruirias, por causa dos cinco, a cidade inteira?” O Senhor respondeu: “Não destruiria se achasse ali quarenta e cinco justos”. 29Insistiu ainda Abraão e disse: “E se houvesse quarenta?” Ele respondeu: “Por causa dos quarenta, não o faria”. 30Abraão tornou a insistir: “Não se irrite o meu Senhor se ainda falo. E se houvesse apenas trinta justos?” Ele respondeu: “Também não o faria se encontrasse trinta”. 31Tornou Abraão a insistir: “Já que me atrevi a falar a meu Senhor, e se houver vinte justos?” Ele respondeu: “Não a iria destruir por causa dos vinte”. 32Abraão disse: “Que o meu Senhor não se irrite se eu falar só mais uma vez: e se houvesse apenas dez?” Ele respondeu: “Por causa dos dez, não a destruiria”.

Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 137/138

Naquele dia em que gritei, vós me escutastes, ó Senhor!

 

Ó Senhor, de coração eu vos dou graças

porque ouvistes as palavras dos meus lábios!

Perante os vossos anjos vou cantar-vos

e ante o vosso templo vou prostrar-me.

 

Eu agradeço vosso amor, vossa verdade,

porque fizestes muito mais que prometestes;

naquele dia em que gritei, vós me escutastes

e aumentastes o vigor da minha alma.

 

Altíssimo é o Senhor, mas olha os pobres

e de longe reconhece os orgulhosos.

Se no meio da desgraça eu caminhar,

vós me fazeis tornar à vida novamente;

quando os meus perseguidores me atacarem

e com ira investirem contra mim,

estendereis o vosso braço em meu auxílio

e havereis de me salvar com vossa destra.

 

Completai em mim a obra começada;

ó Senhor, vossa bondade é para sempre!

Eu vos peço: não deixeis inacabada esta obra que fizeram vossas mãos!

Leitura (Colossenses 2,12-14)

Leitura da carta de São Paulo aos Colossenses.

Irmãos, 12com Cristo fostes sepultados no batismo; com ele também fostes ressuscitados por meio da fé no poder de Deus, que ressuscitou a Cristo dentre os mortos. 13Ora, vós estáveis mortos por causa dos vossos pecados, e vossos corpos não tinham recebido a circuncisão, até que Deus vos trouxe para a vida, junto com Cristo, e a todos nós perdoou os pecados. 14Existia contra nós uma conta a ser paga, mas ele a cancelou, apesar das obrigações legais, e a eliminou, pregando-a na cruz.

Palavra do Senhor.

Evangelho (Lucas 11,1-13)

Aleluia, aleluia, aleluia.

Recebestes o Espírito de adoção; é por ele que clamamos: Abá, Pai! (Rm 8,15)

 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.

1Jesus estava rezando num certo lugar. Quando terminou, um de seus discípulos pediu-lhe: “Senhor, ensina-nos a rezar, como também João ensinou a seus discípulos”. 2Jesus respondeu: “Quando rezardes, dizei: ‘Pai, santificado seja o teu nome. Venha o teu Reino. 3Dá-nos a cada dia o pão de que precisamos 4e perdoa-nos os nossos pecados, pois nós também perdoamos a todos os nossos devedores; e não nos deixes cair em tentação'”. 5E Jesus acrescentou: “Se um de vós tiver um amigo e for procurá-lo à meia-noite e lhe disser: ‘Amigo, empresta-me três pães, 6porque um amigo meu chegou de viagem e nada tenho para lhe oferecer’, 7e se o outro responder lá de dentro: ‘Não me incomodes! Já tranquei a porta, e meus filhos e eu já estamos deitados; não me posso levantar para te dar os pães’, 8eu vos declaro: mesmo que o outro não se levante para dá-los porque é seu amigo, vai levantar-se ao menos por causa da impertinência dele e lhe dará quanto for necessário. 9Portanto, eu vos digo, pedi e recebereis; procurai e encontrareis; batei e vos será aberto. 10Pois quem pede, recebe; quem procura, encontra; e, para quem bate, se abrirá. 11Será que algum de vós que é pai, se o filho pedir um peixe, lhe dará uma cobra? 12Ou ainda, se pedir um ovo, lhe dará um escorpião? 13Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quanto mais o Pai do céu dará o Espírito Santo aos que o pedirem!”

Palavra da salvação.


Sobre as Oferendas

Acolhei, ó Pai, os dons que recebemos da vossa bondade e trazemos a este altar. Fazei que estes sagrados mistérios, pela força da vossa graça, nos santifiquem na vida presente e nos conduzam à eterna alegria. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Bendize, ó minha alma, ao Senhor, não esqueças nenhum de seus favores! (Sl 102,2)

Depois da Comunhão

Recebemos, ó Deus, este sacramento, memorial permanente da paixão do vosso filho; fazei que o dom da vossa inefável caridade possa servir à nossa salvação. Por Cristo, nosso Senhor.




Reflexão sobre o Evangelho:
(24/07/2022 – Lucas 11,1-13) Hoje Jesus nos dá um ensinamento sobre a oração. Os discípulos pedem ao Senhor que os ensine a orar. O Senhor aproveita o pedido e os ensina o Pai-Nosso convidando-os a serem constantes na oração. Quando Jesus está orando, os discípulos querem aprender e percebem que a oração é uma necessidade vital para todo discípulo de Cristo. Jesus fala com o Pai em uma atmosfera de intimidade e ensina seus discípulos a fazer o mesmo. Orar se aprende orando, como a criança aprende a falar comunicando-se com os que a rodeiam. Para algumas pessoas fazer oração é algo muito difícil e complicado. Na realidade é algo tão simples como um impulso do coração, um simples olhar para o céu, um grito de reconhecimento e de amor. Orar é falar de amizade com quem sabemos que nos ama. Neste dia reserve um tempo maior para a oração. Deus abençoe você! #ParoquiaMissionaria #CatolicoOrante #ParoquiaEvangelizadora #Evangelizar #Discipular #Enviar #PalavradoPadre #PlanoMissionarioePastoral
Reflexão por: Pe. João Manoel Lopes


Outras reflexões sobre o Evangelho:

Reflexão sobre o Evangelho do dia com Dom Cesar Teixeira, bispo diocesano de São José dos Campos, e padres da diocese.

Texto tirado do site Católico Orante: https://www.catolicoorante.com.br/


São Tiago Maior 25/07

Apóstolo

Origens

Tiago nasceu na Galileia e era filho de Zebedeu e Salomé, segundo as Sagradas Escrituras. Era irmão de João Evangelista, ambos pescadores. É sempre citado como um dos três primeiros apóstolos, juntamente com Pedro e André.

Pescador de homens

A vida de Tiago muda quando aceita o convite de Jesus para ser “pescador de homens”, como narra o Evangelho de São Mateus: “Jesus viu dois irmãos, Tiago de Zebedeu e João, seu irmão, que, junto com o pai, ajeitavam as redes no barco. Eles, imediatamente, deixaram o barco e seu pai e o seguiram”.

É chamado de “maior” por causa do apóstolo homônimo, Tiago, filho de Alfeu, conhecido como “menor”.

Testemunha de milagres 

Dentre os doze apóstolos, São Tiago foi um grande amigo de Nosso Senhor. Por isso testemunhou vários milagres e  acontecimentos como a cura da sogra de Pedro, a Transfiguração de Jesus, a ressurreição da filha de Jairo e a agonia de Jesus no Horto do Getsêmani.

Páscoa 

Depois da ressurreição de Cristo, Tiago foi para a Espanha para evangelizar. Mais tarde, voltou a Jerusalém, local onde foi preso e morto durante a festa da Páscoa no ano 42.

A sua morte está descrita nos Atos dos Apóstolos: “Naquele tempo, o rei Herodes começou a perseguir alguns membros da Igreja. Mandou matar, com a espada, Tiago, irmão de João”. Assim, Tiago, o Maior, tornou-se o primeiro dos apóstolos a morrer pela fé em Jesus Cristo. Seu corpo foi trasladado para a Espanha.

Campo da estrela

Segundo a tradição, no ano 831, o sepulcro de São Tiago foi encontrado nas proximidades do monte Liberon, na cidade espanhola de Iria. O bispo da cidade viu uma estrela brilhante iluminando um campo, e ali foi descoberto um sepulcro, com as escrita: “Aqui jaz Jacobus, filho de Zebedeu e de Salomé”.

O lugar foi chamado de Campus stellae (“campo da estrela”), nome que deu origem à cidade de Santiago de Compostela. Em 1075, teve início a construção da Basílica dedicada São Tiago. Desde a Idade Média, o Santuário é local de peregrinações.

Minha oração

“São Tiago Maior, primeiro apóstolo a morrer pelo amor em Cristo, dai-nos a fé necessária para sermos tão íntimos do Senhor como tu fostes. Amém.”

São Tiago Maior, rogai por nós!

Outros santos e beatos celebrados em 25 julho:

  • Em Lícia, na actual Turquia, São Cristóvão, mártir. († data inc.)
  • Em Barcelona, na Hispânia Tarraconense, São Cucufate, mártir. († s. IV)
  • Em Cesareia, na Palestina, os santos ValentinaTeia e Paulo, mártires na perseguição do imperador Maximiano. († 308)
  • Em Nicomédia, na Bitínia, hoje Izmit, na Turquia, o passamento de Santa Olimpíades, viúva. († 408)
  • Em Tréveris, na Renânia da Austrásia, na atual Alemanha, São Magnerico, bispo, que foi discípulo de São Nicécio. († c. 596)
  • Também em Tréveris, os santos Beato e Banto, presbíteros, que levaram vida eremítica no tempo de São Magnerico. († s. VI-VII)
  • Em Metz, na Gália Bélgica, atualmente na França, Santa Glodesinda, abadessa. († s. VI)
  • Em Córdova, na Andaluzia, região da Espanha, São Teodemiro, monge de Carmona e mártir ainda jovem durante a perseguição dos Mouros. († 851)
  • Em Angers, na França, o Beato João Soreth, presbítero da Ordem dos Carmelitas. († 1471)
  • Em Camerino, no Piceno, região da Itália, o Beato Pedro Corradini de Molliano, presbítero da Ordem dos Menores. († 1490)
  • Em Salsete, na Índia, os beatos mártires Rodolfo AcquavivaAfonso PachecoPedro BernaAntónio Francisco, presbíteros, e Francisco Aranha, religioso, todos da Companhia de Jesus. († 1583)
  • Em Bobino, na Apúlia, região da Itália, o Beato António Lúcci, bispo, da Ordem dos Frades Menores Conventuais. († 1752)
  • Num barco-prisão ancorado ao largo de Rochefort, na França, o Beato Miguel Luís Brulard, presbítero da Ordem dos Carmelitas Descalços e mártir. († 1794)
  • Em Madrid, na Espanha, Santa Maria do Carmo Sallés y Barangueras, virgem, que fundou a Congregação das Irmãs da Imaculada Conceição. († 1911)
  • Em Vera Cruz, no México, o Beato Ângelo Dario Acosta Zurita, presbítero de Veracruz (México) e mártir. († 1931)
  • Em Urda, próximo de Toledo, na Espanha, os beatos mártires Pedro do Coração de Jesus (Pedro Largo Redondo), presbítero e Bento de Nossa Senhora de Villar (Bento Solano Ruiz), religiosos da Congregação da Paixão. († 1936)
  • Em Talavera de la Reina, também na Espanha, os beatos mártires Frederico (Carlos Frederico Rúbio Álvarez), presbítero, Primo Martínez de San Vicente CastilloJerónimo Ochoa Urdangarin e João da Cruz (Elói Francisco Delgado Pastor), religiosos, todos da Ordem Hospitalar de São João de Deus. († 1936)
  • Em Monzon, localidade próxima de Huesca, também na Espanha, o Beato Dionísio Pamplona Polo, presbítero da Ordem dos Clérigos Regrantes das Escolas Pias e mártir. († 1936)
  • Em Motril , na Espanha, os beatos Deográcias PaláciosLeão InchaustiJosé RadaJulião Moreno, presbíteros, e José Díez Rodríguez, religioso, todos da Ordem dos Agostinhos Recoletos. († 1936)
  • Em Algodor, também na Espanha, os beatos José Luís Palácio Muñiz António Varona Ortega, presbíteros; Higínio Roldán Irribérri João Crespo Calleja, religiosos, todos da Ordem dos Pregadores e mártires. († 1936)
  • Em Montcada, também na Espanha, os beatos mártires Gabriel da Anunciação (Jaime Balcells Grau) e Eduardo do Menino Jesus (Ricardo Farré Masip), presbíteros da Ordem dos Carmelitas Descalços, e companheiros. († 1936)
  • Em Madrid, também na Espanha, o Beato José López Tascón, presbítero da Ordem dos Pregadores e mártir. († 1936)
  • No campo de concentração de Dzialdowo, na Polónia, a beata Maria Teresa Kowalska, virgem das Clarissas Capuchinhas e mártir. († 1941)

Fontes:

  • vatican.va e vaticannews.va
  • Martirológio Romano – liturgia.pt
  • Arquisp.org.br

– Produção e edição: Bianca Vargas



Por: CN


Dia 25 de Julho - Segunda-feira

SÃO TIAGO MAIOR APÓSTOLO E EVANGELIZADOR (Vermelho, Glória, Prefácio dos Apóstolos – Ofício da Festa)

Antífona de Entrada

Andando ao longo do mar da Galiléia, Jesus viu Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão, que consertavam suas redes. E ele os chamou (Mt 4,18.21).

Oração do dia

Deus eterno e todo-poderoso, que, pelo sangue de são Tiago, consagrastes as primícias dos trabalhos dos apóstolos, concedei que a vossa Igreja seja confirmada pelo seu testemunho e sustentada pela sua proteção. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (2 Coríntios 4,7-15)

Leitura da segunda carta de são Paulo aos Coríntios.

Irmãos, 4 7 temos este tesouro em vasos de barro, para que transpareça claramente que este poder extraordinário provém de Deus e não de nós.

8 Em tudo somos oprimidos, mas não sucumbimos. Vivemos em completa penúria, mas não desesperamos.

9 Somos perseguidos, mas não ficamos desamparados. Somos abatidos, mas não somos destruídos.

10 Trazemos sempre em nosso corpo os traços da morte de Jesus para que também a vida de Jesus se manifeste em nosso corpo.

11 Estando embora vivos, somos a toda hora entregues à morte por causa de Jesus, para que também a vida de Jesus apareça em nossa carne mortal.

12 Assim em nós opera a morte, e em vós a vida.

13 Animados deste espírito de fé, conforme está escrito: "Eu cri, por isto falei", também nós cremos, e por isso falamos.

14 Pois sabemos que aquele que ressuscitou o Senhor Jesus, nos ressuscitará também a nós com Jesus e nos fará comparecer diante dele convosco.

15 E tudo isso se faz por vossa causa, para que a graça se torne copiosa entre muitos e redunde o sentimento de gratidão, para glória de Deus.

Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 125/126

Os que lançam as sementes entre lágrimas

ceifarão com alegria.

 

Quando o Senhor reconduziu nossos cativos,

parecíamos sonhar;

encheu-se de sorriso nossa boca,

nossos lábios, de canções.

 

Entre os gentios se dizia: “Maravilhas

fez com eles o Senhor!”

Sim, maravilhas fez conosco o Senhor,

exultemos de alegria!

 

Mudai a nossa sorte, ó Senhor,

como torrentes no deserto.

Os que lançam as sementes entre lágrimas

ceifarão com alegria.

 

Chorando de tristeza sairão,

espalhando suas sementes;

cantando de alegria voltarão,

carregando os seus feixes!

Evangelho (Mateus 20,20-28)

Aleluia, aleluia, aleluia.

Eu vos designei para que vades e deis frutos, e o vosso fruto permaneça, assim disse o Senhor (Jo 15,16).

 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

Naquele tempo, 20 20 aproximou-se a mãe dos filhos de Zebedeu com seus filhos e prostrou-se diante de Jesus para lhe fazer uma súplica.

21 Perguntou-lhe ele: "Que queres?" Ela respondeu: "Ordena que estes meus dois filhos se sentem no teu Reino, um à tua direita e outro à tua esquerda".

22 Jesus disse: "Não sabeis o que pedis. Podeis vós beber o cálice que eu devo beber?" "Sim", disseram-lhe.

23 "De fato, bebereis meu cálice. Quanto, porém, ao sentar-vos à minha direita ou à minha esquerda, isto não depende de mim vo-lo conceder. Esses lugares cabem àqueles aos quais meu Pai os reservou".

24 Os dez outros, que haviam ouvido tudo, indignaram-se contra os dois irmãos.

25 Jesus, porém, os chamou e lhes disse: "Sabeis que os chefes das nações as subjugam, e que os grandes as governam com autoridade.

26 Não seja assim entre vós. Todo aquele que quiser tornar-se grande entre vós, se faça vosso servo.

27 E o que quiser tornar-se entre vós o primeiro, se faça vosso escravo.

28 Assim como o Filho do Homem veio, não para ser servido, mas para servir e dar sua vida em resgate por uma multidão".

Palavra da Salvação.


Sobre as Oferendas

Purificai-nos, ó Deus, pela participação na paixão do vosso filho, para que, na festa de são Tiago, o primeiro dos apóstolos a beber o cálice do Senhor, ofereçamos um sacrifício que vos agrade. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Beberam do cálice do Senhor e se tornaram amigos de Deus (Mt 20,22s).

Depois da Comunhão

Ajudai-nos, Senhor nosso Deus, pela intercessão do apóstolo São Tiago, em cuja festa recebemos com alegria os vossos dons sagrados. Por Cristo, nosso Senhor.

Santo do Dia / Comemoração (SÃO TIAGO MAIOR)

Tiago nasceu doze anos antes de Cristo, viveu mais anos do que ele e passou para a eternidade junto a seu Mestre. Tiago, o Maior, nasceu na Galiléia e era filho de Zebedeu e Salomé, segundo as Sagradas Escrituras. Era, portanto, irmão de João Evangelista, os "Filhos do Trovão", como os chamara Jesus. É sempre citado como um dos três primeiros apóstolos, além de figurar entre os prediletos de Jesus, juntamente com Pedro e André. É chamado de "maior" por causa do apóstolo homônimo, Tiago, filho de Alfeu, conhecido como "menor".

 

Nas várias passagens bíblicas, podemos perceber que Jesus possuía apóstolos escolhidos para testemunharem acontecimentos especiais na vida do Redentor. Um era Tiago, o Maior, que constatamos ao seu lado na cura da sogra de Pedro, na ressurreição da filha de Jairo, na transfiguração do Senhor e na sua agonia no horto das Oliveiras.

 

Consta que, depois da ressurreição de Cristo, Tiago rumou para a Espanha, percorrendo-a de norte a sul, fazendo sua evangelização, sendo por isso declarado seu padroeiro. Mais tarde, voltou a Jerusalém, onde converteu centenas de pessoas, até mesmo dois mágicos que causavam confusão entre o povo com suas artes diabólicas. Até que um dia lhe prepararam uma cilada, fazendo explodir um motim como se fosse ele o culpado. Assim, foi preso e acusado de causar sublevação entre o povo. A pena para esse crime era a morte.

 

O juiz foi o cruel rei Herodes Antipas, um terrível e incansável perseguidor dos cristãos. Ele lhe impôs logo a pena máxima, ordenando que fosse flagelado e depois decapitado. A sentença foi executada durante as festas pascais no ano 42. Assim, Tiago, o Maior, tornou-se o primeiro dos apóstolos a derramar seu sangue pela fé em Jesus Cristo.

 

No século VIII, quando a Palestina caiu em poder dos muçulmanos, um grupo de espanhóis trouxe o esquife onde repousavam os restos de são Tiago, o Maior, à cidade espanhola de Iria. Segundo uma antiga tradição da cidade, no século IX o bispo de lá teria visto uma grande estrela iluminando um campo, onde foi encontrado o túmulo contendo o esquife do apóstolo padroeiro. E a Espanha, que nesta ocasião lutava contra a invasão dos bárbaros muçulmanos, conseguiu vencê-los e expulsá-los com a sua ajuda invisível.

 

Mais tarde, naquele local, o rei Afonso II mandou construir uma igreja e um mosteiro, dedicados a são Tiago, o Maior, com isso a cidade de Iria passou a chamar-se Santiago de Compostela, ou seja, do campo da estrela. Desde aquele tempo até hoje, o santuário de Santiago de Compostela é um dos mais procurados pelos peregrinos do mundo inteiro, que fazem o trajeto a pé.

 

Essa rota, conhecida como "caminho de Santiago de Compostela", foi feita também pelo papa João Paulo II em 1989. Acompanhado por milhares de jovens do mundo inteiro, foi venerar as relíquias do apóstolo são Tiago, o Maior, depositadas na magnífica catedral das seis naves, concluída em 1122.




Reflexão sobre o Evangelho:
(25/07/2022 – Mateus 20,20-28) Jesus ensina os seus discípulos com uma pedagogia que lhe é própria. Não diz simplesmente que é preciso governar, mas apresenta como o governo deve ser exercido pelo discípulo de Cristo. Se alguém quer ser chefe terá que ser o servo de todos. Jesus coloca o serviço como oposição ao domínio. Jesus não veio para ser servido, mas para servir, manifestando toda sua existência como doação. Fazer da vida um serviço de doação ao próximo não é algo simples, nem imediato, mas fruto de um trabalho constante, de um esforço responsável por superar contradições, rejeições, solidão ou humilhações e melhorar dia a dia. Ainda hoje não é fácil entender ou aceitar, como também não o foi para os discípulos, mas não podemos nos esquecer de contar sempre com o auxílio da graça de Deus em nossa vida. Façamos da nossa vida um serviço ao próximo e seremos grandes no Reino dos céus. Deus abençoe você! #ParoquiaMissionaria #CatolicoOrante #ParoquiaEvangelizadora #Evangelizar #Discipular #Enviar #PalavradoPadre #PlanoMissionarioePastoral
Reflexão por: Pe. João Manoel Lopes


Outras reflexões sobre o Evangelho:

Reflexão sobre o Evangelho do dia com Dom Cesar Teixeira, bispo diocesano de São José dos Campos, e padres da diocese.

Textos tirados do site Católico Orante: https://www.catolicoorante.com.br/


São Joaquim e Sant'Ana 26/07

Origens

Não há nenhuma referência na Bíblia e notícias certas sobre Joaquim e Ana, pais de Maria. As informações existentes foram tiradas dos textos apócrifos, como o Protoevangelho de Tiago e o Evangelho do pseudoMateus, além da tradição. Sabe-se que ambos moravam em Jerusalém.

Casal sem filhos 

Quando se casaram, Joaquim e Ana não tiveram filhos durante vinte anos. Naquela época, para os judeus, não ter descendentes era sinal da falta de bênção de Deus.

Certo dia, ao levar suas ofertas ao Templo, Joaquim foi repreendido por um homem pelo fato de não ter filhos. Por essa razão, ele não tinha o direito de apresentar as ofertas.

Joaquim ficou transtornado com as palavras do homem e decidiu retirar-se para o deserto. Durante quarenta dias e quarenta noites, ele suplicou a Deus, entre lágrimas e jejuns, que lhe desse descendentes. Ana também passou dias em oração, pedindo a Deus a graça da maternidade.

O anúncio 

Deus ouviu as preces e um anjo apareceu a eles, separadamente, avisando que iriam se tornar pais. Assim que Maria completou 3 anos, foi levada ao Templo para ser consagrada ao seu serviço, conforme Ana e Joaquim haviam prometido em suas orações. A criança foi criada na casa situada perto da piscina de Betzaeda.

Ali, no século XII, os Cruzados construíram uma igreja, que ainda existe, dedicada a Ana.

Culto aos avós de Jesus

A princípio, apenas Santa Ana era comemorada e, mesmo assim, em dias diferentes no Ocidente e no Oriente. Porém, em 1969, após o Concílio Vaticano II, os pais de Maria passaram a ser celebrados em uma única data, 26 de julho.

Minha oração

“São Joaquim e Sant’Ana, avós de Jesus, exemplos de perseverança na fé e na criação da mãe do Salvador, interceda a Jesus por todos os avós neste dia. Amém”. 

São Joaquim e Sant’Ana, rogai por nós! 

Outros santos e beatos celebrados em 26 julho:

  • Comemoração de Santo Erasto, que se tornou auxiliar no ministério do Apóstolo São Paulo.
  • No mosteiro de São Bento Pó, próximo de Mântua, na Itália, São Simeão, monge e eremita. († 1016)
  • Em Auch, na Aquitânia, atualmente na França, Santo Austindo, bispo, a quem se deve a construção da catedral, a reforma dos costumes do povo e a edificação da casa de Deus. († 1068)
  • Em Verona, hoje no Véneto, região da Itália, os beatos Evangelista e Peregrino, presbíteros. († s. XII-XIII)
  • Em Sassoferrato, no Piceno, hoje nas Marcas, região da Itália, o Beato Hugo de Áctis, monge da Congregação dos Silvestrinos da Ordem de São Bento. († 1250)
  • Em San Severino, também na região das Marcas, a Beata Camila Gentíli, mártir, que foi assassinada pelo seu ímpio esposo. († s. XIV/XV)
  • Em Gateshead, próximo de Newcastle-on-Tyne, na Inglaterra, o Beato João Ingram, presbítero e mártir. († 1594)
  • Em Darlington, também na Inglaterra, o Beato Jorge Swallowell, mártir, que, no mesmo ano, foi condenado à morte por se ter reconciliado com a Igreja católica. († 1594)
  • Em Lencastre, também na Inglaterra, os beatos Eduardo Thwing, da Ordem dos Pregadores, e Roberto Nutter, presbíteros e mártires. († 1600)
  • Em Londres, também na Inglaterra, o Beato Guilherme Webster, presbítero e mártir. († 1641)
  • Em Phu Yen, no Anam, hoje no Vietnam, o Beato André, mártir. († 1644)
  • Num barco-prisão ancorado ao largo de Rochefort, os beatos Marcelo Gauchério Labigne de Regnefort, da Sociedade das Missões, e Pedro José Le Groing de La Romagère, presbíteros e mártires. († 1794)
  • Em Orange, também na França, as beatas Maria Margarida Bonnet (Santo Agostinho) e quatro companheiras, virgens da Ordem de Santa Úrsula. († 1794)
  • Em Lóvere, na Lombardia, região da Itália, Santa Bartolomeia Capitânio, que, juntamente com Santa Vicenta Gerosa, fundou o Instituto da Caridade de Maria Menina. († 1833)
  • Em Motril, próximo de Granada, no litoral da Espanha, os beatos Vicente Pinilla, da Ordem dos Agostinhos Recoletos, e Manuel Martin Sierra, presbíteros e mártires. († 1936)
  • Em Villanueva del Arzobispo, também na Espanha, o Beato Mariano de São José, mártir. († 1936)
  • Em Castellgali, também na Espanha, as beatas Reginalda Picas Planas Rosa Jutglar Gallart. Elas eram virgens da Congregação das Irmãs Dominicanas da Anunciata e mártires. († 1936)
  • No campo de concentração de Dachau, próximo de Munique, na Alemanha, o Beato Tito Brandsma, presbítero da Ordem dos Carmelitas e mártir. († 1942)
  • Em Centonara D´Artò, localidade da província de Novara, na Itália, a Beata Maria Pierina de Micheli (Josefina Maria de Micheli), virgem do Instituto das Filhas da Imaculada Conceição de Buenos Aires. († 1945)
  • Em La Valetta, na ilha de Malta, São Jorge Preca, presbítero, que fundou a Sociedade da Doutrina Cristã. († 1962)

    Fontes:

  • vatican.va e vaticannews.va
  • Martirológio Romano – liturgia.pt
  • Arquisp.org.br

– Produção e edição: Bianca Vargas



Por: CN


Dia 26 de Julho - Terça-feira

SANTOS JOAQUIM E ANA PAIS DE MARIA (Branco, Prefácio Comum ou dos Santos - Ofício da Memória)

Antífona de Entrada

Festejamos santa Ana e são Joaquim, pais da virgem Maria: Deus lhes concedeu a bênção prometida a todos os povos.

Oração do dia

Senhor, Deus de nossos pais, que concedestes a são Joaquim e santa Ana a graça de darem a vida à mãe do vosso Filho, Jesus, fazei que, pela intercessão de ambos, alcancemos a salvação prometida a vosso povo. Por nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Eclesiástico 44,1.10-15)

Leitura do livro do Eclesiástico.

44 1 Façamos o elogio dos homens ilustres, que são nossos antepassados, em sua linhagem.

10 Os primeiros, porém, foram homens de misericórdia; nunca foram esquecidas as obras de sua caridade.

11 Na sua posteridade permanecem os seus bens.

12 Os filhos de seus filhos são uma santa linhagem, e seus descendentes mantêm-se fiéis às alianças.

13 Por causa deles seus filhos permanecem para sempre, e sua posteridade, assim como sua glória, não terá fim.

14 Seus corpos foram sepultados em paz, seu nome vive de século em século.

15 Proclamem os povos sua sabedoria, e cante a assembleia os seus louvores!

Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 131/132

O Senhor vai dar-lhe o trono

de seu pai, o rei Davi.

 

O Senhor fez a Davi um juramento,

uma promessa que jamais renegará:

“Um herdeiro que é fruto do teu ventre

colocarei sobre o trono em teu lugar!”

 

Pois o Senhor quis para si Jerusalém

e a desejou para que fosse sua morada:

“Eis o lugar do meu repouso para sempre,

eu fico aqui: este é o lugar que preferi!”

 

“De Davi farei brotar um forte herdeiro,

acenderei ao meu ungido uma lâmpada.

Cobrirei de confusão seus inimigos,

mas sobre ele brilhará minha coroa!”

Evangelho (Mateus 13,16-17)

Aleluia, aleluia, aleluia.

Esperavam estes pais a redenção de Israel, e o Espírito do Senhor estava sobre eles (Lc 2,25).

 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

13 16 Disse Jesus aos seus discípulos: “Quanto a vós, bem-aventurados os vossos olhos, porque veem! Ditosos os vossos ouvidos, porque ouvem!

17 Eu vos declaro, em verdade: muitos profetas e justos desejaram ver o que vedes e não o viram, ouvir o que ouvis e não ouviram”.

Palavra da Salvação.


Sobre as Oferendas

Aceitai, ó Deus, as oferendas da nossa devoção e fazei-nos dignos de participar da bênção que prometestes a Abraão e sua descendência. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Receberam a bênção do Senhor e a misericórdia de Deus, seu salvador (Sl 23,5).

Depois da Comunhão

Ó Deus, quisestes que vosso Filho nascesse de uma família humana, para que, por desígnio admirável, recebêssemos de vós nova vida; santificai, pelo espírito de adoção, os que alimentastes com o pão dos filhos. Por Cristo, nosso Senhor.

Santo do Dia / Comemoração (SANTA ANA E SÃO JOAQUIM)

Ana e seu marido Joaquim já estavam com idade avançada e ainda não tinham filhos. O que, para os judeus de sua época, era quase um desgosto e uma vergonha também. Os motivos são óbvios, pois os judeus esperavam a chegada do messias, como previam as sagradas profecias.

 

Assim, toda esposa judia esperava que dela nascesse o Salvador e, para tanto, ela tinha de dispor das condições para servir de veículo aos desígnios de Deus, se assim ele o desejasse. Por isso a esterilidade causava sofrimento e vergonha e é nessa situação constrangedora que vamos encontrar o casal.

 

Mas Ana e Joaquim não desistiram. Rezaram por muito e muito tempo até que, quando já estavam quase perdendo a esperança, Ana engravidou. Não se sabe muito sobre a vida deles, pois passaram a ser citados a partir do século II, mas pelos escritos apócrifos, que não são citados na Bíblia, porque se entende que não foram inspirados por Deus. E eles apenas revelam o nome dos pais da Virgem Maria, que seria a Mãe do Messias.

 

No Evangelho, Jesus disse: "Dos frutos conhecereis a planta". Assim, não foram precisos outros elementos para descrever-lhes a santidade, senão pelo exemplo de santidade da filha Maria. Afinal, Deus não escolheria filhos sem princípios ou dignidade para fazer deles o instrumento de sua ação.

 

Maria, ao nascer no dia 8 de setembro de um ano desconhecido, não só tirou dos ombros dos pais o peso de uma vida estéril, mas ainda recompensou-os pela fé, ao ser escolhida para, no futuro, ser a Mãe do Filho de Deus.

 

A princípio, apenas santa Ana era comemorada e, mesmo assim, em dias diferentes no Ocidente e no Oriente. Em 25 de julho pelos gregos e no dia seguinte pelos latinos. A partir de 1584, também são Joaquim passou a ser cultuado, no dia 20 de março. Só em 1913 a Igreja determinou que os avós de Jesus Cristo deviam ser celebrados juntos, no dia 26 de julho.




Reflexão sobre o Evangelho:
(26/07/2022 – Mateus 13,16-17) Jesus proclama que é feliz aquele que escuta e vê o que Ele revela. Antes de Jesus muitos desejaram vê-lo e ouvi-lo e não tiveram esta oportunidade. Nós, porém, podemos tocá-lo e vê-lo na Eucaristia, ouvir a sua Palavra que nos alimenta a alma e o coração, por isso somos felizes. A Palavra do Senhor nos ensina a ser feliz e a desfrutar de tudo quanto o Pai providenciou para que vivamos uma vida promissora. Jesus nos ensina que a verdadeira felicidade é acolher a vontade do Pai expressa em sua Palavra. Não somente acolhê-la, mas vivencia-la. Ver e ouvir significa ter experiência, tocar com o coração, sentir a manifestação do Deus vivo em cada acontecimento. Neste dia peçamos ao Senhor a graça de transmitirmos às próximas gerações aquilo que temos visto e ouvido do Verbo de Deus acontecendo entre nós. Não sejamos omissos em nossa missão. Deus abençoe você! #ParoquiaMissionaria #CatolicoOrante #ParoquiaEvangelizadora #Evangelizar #Discipular #Enviar #PalavradoPadre #PlanoMissionarioePastoral
Reflexão por: Pe. João Manoel Lopes


Outras reflexões sobre o Evangelho:

Reflexão sobre o Evangelho do dia com Dom Cesar Teixeira, bispo diocesano de São José dos Campos, e padres da diocese.

Textos tirados do site Católico Orante: https://www.catolicoorante.com.br/


São Clemente 27/07

Dia 27 de Julho - Quarta-feira

XVII SEMANA DO TEMPO COMUM* (Verde – Ofício do Dia)

Antífona de Entrada

Deus habita em seu templo santo, reúne seus filhos em sua casa; é ele que dá força e poder a seu povo (Sl 67,6s.36)

Oração do dia

Ó Deus, sois o amparo dos que em vós esperam e, sem vosso auxílio, ninguém é forte, ninguém é santo; redobrai de amor para conosco, para que, conduzidos por vós, usemos de tal modo os bens que passam, que possamos abraçar os que não passam. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Jeremias 15,10.16-21)

Leitura do livro do profeta Jeremias.

15 10 “Ai de mim, ó minha mãe, que me geraste, para tornar-se objeto de disputa e de discórdia em toda a terra! Não sou credor nem devedor, e, no entanto, todos me maldizem.

16 Vede: é por vós que sofro ultrajes da parte daqueles que desprezam vossas palavras. Aniquilai-os. Vossa palavra constitui minha alegria e as delícias do meu coração, porque trago o vosso nome, ó Senhor, Deus dos exércitos!

17 Não me assentei entre os escarnecedores, para entre eles encontrar o meu prazer. Apoiado em vossa mão, assentei-me à parte, porque me havíeis enchido de indignação.

18 Por que não tem fim a minha dor, e não cicatriza a minha chaga, rebelde ao tratamento? Ai! Sereis para mim qual riacho enganador, fonte de água com que não se pode contar?

19 Eis a razão pela qual diz o Senhor: Se voltares, farei de ti o servo que está a meu serviço. Se apartares o precioso do que é vil serás como a minha boca. Serão eles, então, que virão a ti, e não tu que irás a eles.

20 Então, erguerei ante esse povo sólida muralha como o bronze. Será atacada, mas não conseguirão vencê-la, pois estarei a teu lado para proteger-te e te livrar - oráculo do Senhor. 21 Arrebatar-te-ei da mão dos maus e te libertarei do poder dos violentos”.

Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 58/59

Sois meu refúgio no dia da aflição.

 

Libertai-me do inimigo, ó meu Deus,

e protegei-me contra os meus perseguidores!

Libertai-me dos obreiros da maldade,

defendei-me desses homens sanguinários!

 

Eis que ficam espreitando a minha vida,

poderosos armam tramas contra mim.

Mas eu, Senhor, não cometi pecado ou crime.

 

Minha força, é a vós que me dirijo,

porque sois o meu refúgio e proteção,

Deus clemente e compassivo, meu amor!

Deus virá com seu amor ao meu encontro,

e hei de ver meus inimigos humilhados.

 

Eu, então, hei de cantar vosso poder

e de manhã celebrarei vossa bondade,

porque fostes para mim o meu abrigo,

o meu refúgio no dia da aflição.

 

Minha força, cantarei vossos louvores,

porque sois o meu refúgio e proteção,

Deus clemente e compassivo, meu amor!

Evangelho (Mateus 13,44-46)

Aleluia, aleluia, aleluia.

Eu vos chamo meus amigos, pois vos dei a conhecer o que o Pai me revelou (Jo 15,15).

 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

Naquele tempo, Jesus disse à multidão: 13 44 “O Reino dos céus é também semelhante a um tesouro escondido num campo. Um homem o encontra, mas o esconde de novo. E, cheio de alegria, vai, vende tudo o que tem para comprar aquele campo.

45 O Reino dos céus é ainda semelhante a um negociante que procura pérolas preciosas.

46 Encontrando uma de grande valor, vai, vende tudo o que possui e a compra".

Palavra da Salvação.


Sobre as Oferendas

Acolhei, ó Pai, os dons que recebemos da vossa bondade e trazemos a este altar. Fazei que estes sagrados mistérios, pela força da vossa graça, nos santifiquem na vida presente e nos conduzam à eterna alegria. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Bendize, ó minha alma, ao Senhor, não esqueças nenhum de seus favores! (Sl 102,2)

Depois da Comunhão

Recebemos, ó Deus, este sacramento, memorial permanente da paixão do vosso filho; fazei que o dom da vossa inefável caridade possa servir à nossa salvação. Por Cristo, nosso Senhor.




Reflexão sobre o Evangelho:
(27/07/2022 – Mateus 13,44-46) Se valorizamos todas as coisas em nossa vida, o tesouro do Reino dos Céus, com muito mais razão é valioso e para possuí-lo deveríamos ter a coragem de dar tudo o que possuímos. Só conseguimos dar este passo com fé e confiança em Deus. Estamos falando de um tesouro único, um presente diante do qual dinheiro, saúde, poder e força perdem intensidade. Para aqueles que tem fé, o único valor que queremos ter e manter é Deus e sua vontade, seus planos e caminhos. O tesouro escondido é a pérola de grande valor, é Deus que sai ao nosso encontro desde nosso próprio ser, e que uma vez descoberto, uma vez que os olhos da fé chegam a experimentá-lo, já nada será bom se não é a Deus a quem encontramos. Só Deus nos basta, este é o tesouro que buscamos e o encontramos se olhamos para dentro de nós mesmos a partir dos olhos de Jesus. Deus abençoe você! #ParoquiaMissionaria #CatolicoOrante #ParoquiaEvangelizadora #Evangelizar #Discipular #Enviar #PalavradoPadre #PlanoMissionarioePastoral
Reflexão por: Pe. João Manoel Lopes


Outras reflexões sobre o Evangelho:

Reflexão sobre o Evangelho do dia com Dom Cesar Teixeira, bispo diocesano de São José dos Campos, e padres da diocese.

Texto tirado do site Católico Orante: https://www.catolicoorante.com.br/


Santo Inocêncio 28/07

Dia 28 de Julho - Quinta-feira

XVII SEMANA DO TEMPO COMUM* (Verde – Ofício do Dia)

Antífona de Entrada

Deus habita em seu templo santo, reúne seus filhos em sua casa; é ele que dá força e poder a seu povo (Sl 67,6s.36)

Oração do dia

Ó Deus, sois o amparo dos que em vós esperam e, sem vosso auxílio, ninguém é forte, ninguém é santo; redobrai de amor para conosco, para que, conduzidos por vós, usemos de tal modo os bens que passam, que possamos abraçar os que não passam. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Jeremias 18,1-6)

Leitura da profecia de Jeremias.

18 1 Foi dirigida a Jeremias a palavra do Senhor nestes termos:

2 “Vai e desce à casa do oleiro, e ali te farei ouvir minha palavra”.

3 Desci, então, à casa do oleiro, e o encontrei ocupado a trabalhar no torno.

4 Quando o vaso que estava a modelar não lhe saía bem, como sói acontecer nos trabalhos de cerâmica, punha-se a trabalhar em outro à sua maneira.

5 Foi esta, então, a linguagem do Senhor: “casa de Israel, não poderei fazer de vós o que faz esse oleiro?” - oráculo do Senhor.

6 “O que é a argila em suas mãos, assim sois vós nas minhas, Casa de Israel”.

Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 145/146

Feliz quem se apoia no Deus de Jacó!

 

Bendize, minha alma, ao Senhor!

Bendize, minha alma, ao Senhor!

Bendirei ao Senhor toda a vida,

Cantarei ao meu Deus sem cessar!

 

Não ponhais vossa fé nos que mandam,

Não há homem que possa salvar.

Ao faltar-lhe o respiro, ele volta

Para a terra de onde saiu;

Nesses dias seus planos perecem.

 

É feliz todo homem que busca

Seu auxílio no Deus de Jacó

E que põe no Senhor a esperança.

O Senhor fez o céu e a terra,

fez o mar e o que neles existe.

Evangelho (Mateus 13,47-53)

Aleluia, aleluia, aleluia.

Abre-nos, ó Senhor, o coração, para ouvirmos a palavra de Jesus! (At 16,14)

 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

13 47 “O Reino dos céus é semelhante ainda a uma rede que, jogada ao mar, recolhe peixes de toda espécie.

48 Quando está repleta, os pescadores puxam-na para a praia, sentam-se e separam nos cestos o que é bom e jogam fora o que não presta.

49 Assim será no fim do mundo: os anjos virão separar os maus do meio dos justos

50 e os arrojarão na fornalha, onde haverá choro e ranger de dentes.

51 Compreendestes tudo isto? Sim, Senhor, responderam eles.

52 Por isso, todo escriba instruído nas coisas do Reino dos céus é comparado a um pai de família que tira de seu tesouro coisas novas e velhas”.

53 Após ter exposto as parábolas, Jesus partiu.

Palavra da Salvação.


Sobre as Oferendas

Acolhei, ó Pai, os dons que recebemos da vossa bondade e trazemos a este altar. Fazei que estes sagrados mistérios, pela força da vossa graça, nos santifiquem na vida presente e nos conduzam à eterna alegria. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Bendize, ó minha alma, ao Senhor, não esqueças nenhum de seus favores! (Sl 102,2)

Depois da Comunhão

Recebemos, ó Deus, este sacramento, memorial permanente da paixão do vosso filho; fazei que o dom da vossa inefável caridade possa servir à nossa salvação. Por Cristo, nosso Senhor.




Reflexão sobre o Evangelho:
(28/07/2022 – Mateus 13,47-53) Todos são chamados a pertencer ao Reino de Deus, mas quando chega o momento da entrada definitiva, só aqueles que buscaram a Deus verdadeiramente poderão dar este passo. O passaporte de entrada para o céu é o amor e quem não o colocar em prática não poderá entrar, não terá direito ao Reino. A decisão final somos nós que estamos dando a partir das escolhas que fazemos agora em nossa vida. O Reino dos céus se parece com uma rede de pesca onde são pescados todo tipo de peixes: bons e maus. Mas no momento final se separam uns dos outros. Todos os membros da Igreja foram batizados e nasceram de novo para uma vida nova, porém muitos desistiram desta herança e vivem afastados de Deus. O Senhor espera por nossa decisão até a última hora. Ele sempre muda os planos do homem para aproximá-lo da luz. Não resistamos à vida nova que se apresenta diante de nós. Deus abençoe você! #ParoquiaMissionaria #CatolicoOrante #ParoquiaEvangelizadora #Evangelizar #Discipular #Enviar #PalavradoPadre #PlanoMissionarioePastoral
Reflexão por: Pe. João Manoel Lopes


Outras reflexões sobre o Evangelho:

Reflexão sobre o Evangelho do dia com Dom Cesar Teixeira, bispo diocesano de São José dos Campos, e padres da diocese.

Texto tirado do site Católico Orante: https://www.catolicoorante.com.br/


Santa Marta 29/07

Santa Marta

Amizade com Jesus

Lázaro e suas duas irmãs, Marta e Maria, eram amigos fraternos de Jesus de Nazaré. Viviam em Betânia, a cerca de três milhas de Jerusalém, e Jesus, muitas vezes, se hospedava na casa deles. A amizade entre Jesus e Lázaro é testemunhada pelas palavras com as quais Maria e Marta tinham mandado dizer-lhe para visitar o irmão doente: “Senhor, aquele que amas está enfermo”. E ainda, depois, com a chegada de Jesus, aparentemente tarde demais para salvá-lo: “Senhor, se tivesses vindo aqui – disse Marta – meu irmão não teria morrido”. As testemunhas do episódio, percebendo a perturbação e as lágrimas de Jesus diante do sepulcro fechado do amigo, murmuravam entre si: “Vejam como ele o amava…” (cf. Jo 11,3.21.36).

Maria e Marta para o Papa Francisco

Marta pode ser comparada àqueles muitos cristãos “que, sim, vão à missa aos domingos, mas estão sempre ocupados”, têm muito o que fazer e não param para ouvir a palavra de Deus.” “A estes carecem de contemplação – afirma o Papa na Missa celebrada em Santa Marta no dia 9 de outubro de 2018. Faltava isso a Marta (…) perder tempo olhando para o Senhor”. Maria, por outro lado, “olhou para o Senhor, porque o Senhor tocou o coração dela; e daí, por inspiração do Senhor, é de onde vem o trabalho que deve ser feito depois”.

E é novamente sobre Maria que Francisco centra a sua reflexão no Angelus de 21 de julho de 2019. “Deixe o que estava fazendo para ficar perto de Jesus – diz o Papa sobre ela – ela não quer perder nenhuma de suas palavras. Tudo deve ser posto de lado – continua Francisco -, porque, quando ele vem nos visitar em nossa vida, Sua presença e Sua palavra vêm antes de tudo. O Senhor sempre nos surpreende: quando o ouvimos realmente, as nuvens se dissipam, as dúvidas dão lugar à verdade, os medos à serenidade e as diferentes situações da vida encontram o lugar certo”.

E sobre a vida cotidiana, o Pontífice argumenta: “Trata-se de fazer uma pausa durante o dia, de reunir-se em silêncio, por alguns minutos, para dar lugar ao Senhor que ‘passa’, e encontrar a coragem de ficar um tempo separado com ele, para depois voltar, com serenidade e eficácia, às coisas cotidianas”. Por isso, para Francisco, “elogiando o comportamento de Maria, que ‘escolheu a melhor parte’, Jesus parece repetir a cada um de nós: para realizar bem as tarefas que a vida lhe atribui’”. No entanto, mesmo Marta deve ser imitada. Para o Papa, “esta mulher tinha o carisma da hospitalidade”, por isso, seguindo o seu exemplo, devemos “assegurar que, nas nossas famílias e nas nossas comunidades, seja vivido o sentido do acolhimento, da fraternidade, para que todos possam sentir-se ’em casa’, sobretudo os pequenos e os pobres quando batem à porta”.

Marta e Maria, então, indicam o caminho, continua Francisco, e por isso é necessário combinar suas duas atitudes: “por um lado, ‘de pé aos pés’ de Jesus, para ouvi-lo enquanto ele revela o segredo de tudo para nós; por outro lado, estar atentos e prontos na hospitalidade, quando Ele passar e bater a nossa porta, com cara de amigo que precisa de um momento de refrigério e fraternidade”. Em todo caso, pela sua louvável dedicação aos preparativos, para oferecer ao hóspede uma confortável permanência na sua casa, Marta é reconhecida pela Igreja como modelo de laboriosidade. Marta e Maria são, respectivamente, exemplos de ação e contemplação, de vida ativa e de vida de oração. Logo, ambos os aspectos jamais devem faltar em um cristão, tampouco contrapor-se, mas completar-se.

Fé na ressurreição

Marta deu-nos um grande testemunho de fé! Das palavras que dirigiu a Jesus, há quatro dias da morte do irmão Lázaro, emerge um credo total sem hesitação nem dúvida. Marta tem uma confiança ilimitada em Deus, mesmo diante daquilo que, aos homens, possa parecer impossível. «Marta, ouvindo que Jesus estava vindo, foi-lhe ao encontro. Maria ficou sentada em casa. Então, Marta disse a Jesus: “Senhor, se você estivesse aqui, meu irmão não teria morrido. Mas, também agora, sei que tudo o que pedir a Deus ele lhe concederá”.

Esta, por si só, é uma extraordinária profissão de fé! “Jesus lhe disse: Seu irmão há de ressuscitar. Disse-lhe Marta: Eu sei que há de ressuscitar na ressurreição do último Dia. Disse-lhe Jesus: Eu sou a Ressurreição e a Vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá; e todo aquele que vive e crê em mim nunca morrerá. Você acredita nisso? Disse-lhe ela: Sim, Senhor, sei que você é o Cristo, o Filho de Deus, que havia de vir ao mundo”» (Jo 11,20-27).

Eis a essência do cristianismo! Marta condensa toda sua fé na sua resposta, porque esta é a fé de todo fiel; uma simples resposta na qual cada cristão encontra o seu propósito de vida. O episódio da ressurreição de Lázaro, narrado apenas no Evangelho de São João, tem um valor profético e simbólico, porque preanuncia a Ressurreição de Cristo. A casa dos amigos de Betânia e o sepulcro vazio de Lázaro tornaram-se, logo, desde os primórdios do cristianismo, meta de peregrinações, às vésperas do Domingo de Ramos.

Testemunha e perseguição

A narração de São João prossegue dizendo que o episódio da ressurreição de Lázaro fez com que muitos dos presentes se convertessem e cressem em Jesus. Isso contribuiu para aumentar ainda mais o clima de suspeita e de ódio em relação a Jesus por parte dos Sumos Sacerdotes e Fariseus, que viam nele um perigoso subornador. Além do mais, quando Lázaro participou de um banquete, oferecido em honra de Jesus, haviam decidido matá-lo também, porque muita gente tinha acorrido para vê-lo, pois pensava-se que Ele, realmente, era o Filho de Deus.

A minha oração

Aos santos irmãos, pedimos a graça da amizade e da união em nossas famílias, para que, a exemplo uns dos outros, possamos ser santos, e nas diferenças de cada um realizarmos o Reino de Deus. Amém!

Santos Lázaro, Maria e Marta , rogai por nós!

Outros santos e beatos celebrados em 29 de Julho:

  • Em Gangra, na Paflagónia, hoje Çankiri, na Turquia, São Calínico, mártir. († s. II-III)
  • Na Via Portuense, a três milhas de Roma, no cemitério dedicado ao seu nome, São Félix, mártir. († s. III-IV)
  • Também em Roma, no cemitério de Generosa, os santos SimplícioFaustinoViadora e Rufo, mártires. († s. III-IV)
  • Em Troyes, na Gália Lionense, na hodierna França, São Lopo, bispo. († c. 478)
  • Em Orleães, também na Gália Lionense, São Próspero, bispo. († s. V)
  • Em Tromdheim, na Noruega, Santo Olavo, mártir. († 1030)
  • Em Roma, o Beato Urbano II, papa. († 1099)
  • Em Saint-Brieuc, cidade da Bretanha Menor, região da atual França, São Guilherme Pinchon, bispo. († 1234)
  • Em Omura, no Japão, os beatos mártires Luís Bertran, presbítero da Ordem dos Pregadores, Mâncio da Santa Cruz e Pedro de Santa Maria. († 1627)
  • Num barco-prisão, na França, o Beato Carlos Nicolau António Ancel, presbítero da Congregação de Jesus e Maria e mártir. († 1794)
  • Em Qingyan, província da China, os santos mártires José Zhang WenlanPaulo Chen Changpin, alunos do seminário, João Baptista Lou Tingyin, administrador do seminário, e Marta Wang Louzhi, viúva. († 1861)
  • Em La Musse, na Bretanha, região da França, São Luís Martin, pai de Santa Teresa do Menino Jesus. († 1894)
    Em Esplugues,, na Espanha, o Beato João Baptista Egozcuezábal Aldaz, da Ordem de São João de Deus e mártir. († 1936)
  • Em Calanda,  também na Espanha, os beatos Lúcio Martínez Mancebo, presbítero da Ordem dos Pregadores, e companheiros mártires. († 1936)
  • Em Valência, também na Espanha, o Beato José de Calasanz Marqués, presbítero da Sociedade Salesiana e mártir. († 1936)
  • Em Clot dels Aubins, na Espanha, os beatos Ângelo Maria Prat Hostench, presbítero da Ordem dos Carmelitas Descalços e companheiros. († 1936)
  • Fontes:
  • Martirológio Romano – liturgia.pt
  • Liturgia das Horas
  • vatican.va e vaticannews.va
  • Livro “Relação dos Santos e Beatos da Igreja” – Prof Felipe Aqui [Cléofas 2007]

– Pesquisa e redação: Rafael Vitto – Comunidade Canção Nova
– Produção e edição: Bianca Vargas



Por: CN


Dia 29 de Julho - Sexta-feira

SANTOS MARTA, MARIA E LÁZARO DISCÍPULOS DE JESUS (Branco, Prefácio Comum, pág. 8, ou dos Santos, pág. 7 – Ofício da Memória)

Antífona de Entrada

Jesus entrou numa aldeia e uma mulher chamada Marta o recebeu em sua casa (Lc 10,38).

Oração do dia

Senhor nosso Deus, cujo Filho chamou de novo Lázaro do sepulcro para a vida e aceitou a hospitalidade que Marta lhe oferecia em sua casa, concedei-nos que, servindo a Cristo em cada um dos nossos irmãos, mereçamos ser alimentados com Maria na meditação da sua Palavra. Por nosso Senhor Jesus Cristo, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (1 João 4,7-16)

Leitura da primeira carta de São João.

4 7 Caríssimos, amemo-nos uns aos outros, porque o amor vem de Deus, e todo o que ama é nascido de Deus e conhece a Deus.

8 Aquele que não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor.

9 Nisto se manifestou o amor de Deus para conosco: em nos ter enviado ao mundo o seu Filho único, para que vivamos por ele.

10 Nisto consiste o amor: não em termos nós amado a Deus, mas em ter-nos ele amado, e enviado o seu Filho para expiar os nossos pecados.

11 Caríssimos, se Deus assim nos amou, também nós nos devemos amar uns aos outros.

12 Ninguém jamais viu a Deus. Se nos amarmos mutuamente, Deus permanece em nós e o seu amor em nós é perfeito.

13 Nisto é que conhecemos que estamos nele e ele em nós, por ele nos ter dado o seu Espírito.

14 E nós vimos e testemunhamos que o Pai enviou seu Filho como Salvador do mundo.

15 Todo aquele que proclama que Jesus é o Filho de Deus, Deus permanece nele e ele em Deus.

16 Nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem para conosco. Deus é amor, e quem permanece no amor permanece em Deus e Deus nele.

Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 33/34

Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo.

 

Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo,

seu louvor estará sempre e minha boca.

Minha alma se gloria no Senhor;

que ouçam os humildes e se alegrem!

 

Comigo engrandecei ao senhor Deus,

exaltemos todos juntos o seu nome!

Todas as vezes que o busquei, ele me ouviu

e de todos os temores me livrou.

 

Contemplai a sua face e alegrai-vos,

E vosso rosto não se cubra de vergonha!

Este infeliz gritou a Deus e foi ouvido,

E o Senhor o libertou de toda angústia.

 

O anjo do Senhor vem acampar

Ao redor dos que o temem e os salva.

Provai e vede quão suave é o Senhor!

Feliz o homem que tem nele o seu refúgio!

 

Respeitai o Senhor Deus, seus santos todos,

Porque nada faltará aos que o temem.

Os ricos empobrecem, passam fome,

Mas aos que buscam o Senhor não falta nada.

Evangelho (João 11,19-27)

Aleluia, aleluia, aleluia.

Eu sou a luz do mundo; aquele que me segue não caminha entre as trevas, mas terá a luz da vida (Jo 8,12).

 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João.

Naquele tempo, 11 19 muitos judeus tinham vindo a Marta e a Maria, para lhes apresentar condolências pela morte de seu irmão.

20 Mal soube Marta da vinda de Jesus, saiu-lhe ao encontro. Maria, porém, estava sentada em casa.

21 Marta disse a Jesus: "Senhor, se tivesses estado aqui, meu irmão não teria morrido!

22 Mas sei também, agora, que tudo o que pedires a Deus, Deus to concederá".

23 Disse-lhe Jesus: "Teu irmão ressurgirá".

24 Respondeu-lhe Marta: "Sei que há de ressurgir na ressurreição no último dia".

25 Disse-lhe Jesus: "Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que esteja morto, viverá.

26 E todo aquele que vive e crê em mim, jamais morrerá. Crês nisto?"

27 Respondeu ela: "Sim, Senhor. Eu creio que tu és o Cristo, o Filho de Deus, aquele que devia vir ao mundo".

Palavra da Salvação.


Sobre as Oferendas

Ao proclamar-vos admirável nos vossos santos, humildemente vos pedimos, Senhor, que aceiteis a oferta do nosso ministério, como aceitastes a sua generosa hospitalidade. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Marta disse a Jesus: Tu és o Cristo, Filho do Deus vivo, que vieste a este mundo (Jo 11,27)

Depois da Comunhão

A sagrada comunhão do corpo e sangue do vosso Unigênito nos afaste de todos as coisas efêmeras, Senhor, para que, a exemplo dos santos Marta, Maria e Lázaro, possamos progredir neste mundo em caridade sincera e rejubilar nos céus na visão eterna do vosso rosto. Por Cristo, nosso Senhor.

Santo do Dia / Comemoração (MARTA, MARIA E LÁZARO)

As Escrituras contam que, em seus poucos momentos de descanso ou lazer, Jesus procurava a casa de amigos em Betânia, local muito agradável há apenas três quilômetros de Jerusalém. Lá moravam Marta, Lázaro e Maria, três irmãos provavelmente filhos de Simão, o leproso. Há poucas mas importantíssimas citações de Marta nas Sagradas Escrituras.

 

É narrado, por exemplo, o primeiro momento em que Jesus pisou em sua casa. Por isso existe a dúvida de que Simão fosse mesmo o pai deles, pois a casa é citada como se fosse de Marta, a mais velha dos irmãos. Mas ali chegando, Jesus conversava com eles e Maria estava aos pés do Senhor, ouvindo sua pregação. Marta, trabalhadora e responsável, reclamou da posição da irmã, que nada fazia, apenas ouvindo o Mestre. Jesus aproveita, então, para ensinar que os valores espirituais são mais importantes do que os materiais, apoiando Maria em sua ocupação de ouvir e aprender.

 

Fala-se dela também quando da ressurreição de Lázaro. É ela quem mais fala com Jesus nesse acontecimento. Marta disse a Jesus: "Senhor, se tivesses estado aqui, o meu irmão não teria morrido. Mas mesmo agora, eu sei que tudo o que pedires a Deus, Deus dará".

 

Trata-se de mais uma passagem importante da Bíblia, pois do evento tira-se um momento em que Jesus chora: "O pranto de Maria provoca o choro de Jesus". E o milagre de reviver Lázaro, já morto e sepultado, solicitado com tamanha simplicidade por Marta, que exemplifica a plena fé na onipotência do Senhor.

 

Outra passagem é a ceia de Betânia, com a presença de Lázaro ressuscitado, uma prévia da última ceia, pois ali Marta serve a mesa e Maria lava os pés de Jesus, gesto que ele imitaria em seu último encontro coletivo com os doze apóstolos.

 

Os primeiros a dedicarem uma festa litúrgica a santa Marta foram os frades franciscanos, em 1262, e o dia escolhido foi 29 de julho. Ela se difundiu e o povo cristão passou a celebrar santa Marta como a Padroeira dos Anfitriões, dos Hospedeiros, dos Cozinheiros, dos Nutricionistas e Dietistas.

(Esta Editoria é de responsabilidade imediata de Paulo Umberto SJ)




Reflexão sobre o Evangelho:
(29/07/2022 – João 11,19-27) O sofrimento e a morte só encontram sentido se são vivenciados na perspectiva da fé em Jesus que é a ressurreição e a vida. Com Ele ressuscitaremos depois da morte, mas nEle também encontramos sentido para a vida presente. A fé em Jesus é o único caminho que leva à verdadeira vida. Crer em Jesus implica ter vida: agora e sempre. Aquele que crê, ainda que morra fisicamente, viverá. Hoje precisamos avaliar como está nossa fé em Jesus Cristo e renovar a nossa confiança naquele que deu a sua vida por amor a nós. Jesus era amigo de Marta, Maria e Lázaro e com eles gastava tempo de convívio e diálogo. Um diálogo de amor com o Senhor nos torna capazes de descobrirmos a nossa identidade mais profunda. Abramos o nosso coração ao Senhor, ao seu amor, à confiança plena em sua ação em nossa vida para sermos felizes. Deus abençoe você! #ParoquiaMissionaria #CatolicoOrante #ParoquiaEvangelizadora #Evangelizar #Discipular #Enviar #PalavradoPadre #PlanoMissionarioePastoral
Reflexão por: Pe. João Manoel Lopes


Outras reflexões sobre o Evangelho:

Reflexão sobre o Evangelho do dia com Dom Cesar Teixeira, bispo diocesano de São José dos Campos, e padres da diocese.

Textos tirados do site Católico Orante: https://www.catolicoorante.com.br/


São Pedro Crisólogo 30/07

[380-450]

Nome e identidade 

Pedro Crisólogo, Pedro “das palavras de ouro”, pois é exatamente esse o significado do seu sobrenome, dado sabiamente pelo povo e pelo qual se tornou conhecido para sempre. Ele nasceu em Ímola, uma província de Ravena, não muito distante de Roma, no ano de 380. Filho de pais cristãos, foi educado na fé e cedo ordenado diácono. 

Conselheiro e pregador

Considerado um dos maiores pregadores da história da Igreja, era assistido, frequentemente, pela imperatriz romana Galla Plácida e seus filhos. Ela o fez seu conselheiro pessoal e, em 424, influenciou para que ele se tornasse o arcediácono de Ravena. Numa época em que a cidade era a capital do Império Romano no Ocidente e, também, a metrópole eclesiástica. Mais tarde, o próprio imperador romano, Valentiniano III, filho de Galla Plácida, indicou-o para ser o bispo de Ravena. 

Bispado e obras

Em 433, Pedro Crisólogo tornou-se o primeiro bispo ocidental a ocupar essa diocese, sendo consagrado pessoalmente pelo Papa Xisto III. Pedro Crisólogo escreveu, no total, cento e setenta e seis homilias de cunho popular, pelas quais dogmas e liturgias foram explicados de forma simples, direta, objetiva e muito atrativa, proporcionando incontáveis conversões. Também defendeu a autoridade do Papa, então, Leão I, o Grande, sobre a questão monofisita, que pregava Cristo em uma só natureza. Essa heresia, vinda do Oriente, propagava-se perigosamente, mas foi resolvida nos concílios de Éfeso e Calcedônia.

Morte e veneração

Pedro Crisólogo morreu na sua cidade natal, numa data incerta. Alguns historiadores dizem que foi em 31 de julho de 451, mas ele é venerado pela Igreja no dia 30 de julho de 450, data mais provável do seu falecimento. A autoria dos seus célebres sermões, ricos em doutrina, conferiu-lhe outro título, o de doutor da Igreja, concedido em 1729 pelo papa Bento XIII. São Pedro Crisólogo, ainda hoje, é considerado um modelo de contato com o povo e um exemplo de amor à pregação do Evangelho, o ideal de pastor para a Igreja.

A minha oração

“Ó glorioso santo, pregador e pastor das ovelhas, intercedei por todo o clero dando a todos a graça da comunicação do Evangelho, segundo a vontade divina. E ajuda-nos a imitar-te no pastoreio daqueles que nos foram confiados.”

São Pedro Crisólogo, rogai por nós!

Outros santos e beatos celebrados em 30 de Julho:

  • Em Roma, no cemitério de Ponciano, junto à Via Portuense, os santos Abdon Sénen, mártires. († c. s. III)
  • Em Cesareia da Capadócia, hoje Kayseri, na Turquia, Santa Julieta, mártir. († c. 303)
  • Em Tuburbo, na África Proconsular, na atual Tunísia, as santas MáximaDonatila Segunda, virgens e mártires. († 304)
  • Em Auxerre, na Gália Lionense, na atual França, Santo Urso, bispo. († s. VI)
  • Em Gistel, na Flandres, hoje na Bélgica, Santa Godeleva, esposa e mártir. († c. 1070)
  • Em Caleruega, localidade de Castela, região da Espanha, a comemoração do Beato Manés de Guzman, presbítero, irmão de São Domingos, seu colaborador na expansão da Ordem dos Pregadores. († c. 1235)
  • Em Londres, na Inglaterra, os beatos Eduardo PowellRicardo Featherstone Tomás Abel, presbíteros e mártires. († 1540)
  • Em Daying, próximo de Zaoqiang, cidade do Hebei, na China, São José Yuan Gengyin, mártir. († 1900)
  • Em Calafell, localidade próxima de Tarragona, no litoral da Espanha, os beatos mártires Bráulio Maria Corres Díaz de Cério (Paulo), presbítero, e catorze companheiros, todos da Ordem de São João de Deus. († 1936)
  • Em Castelserás, localidade próxima de Teruel, também na Espanha, os beatos mártires José Maria Muro Sanmiguel, presbítero, Joaquim Prats Baltueña, religioso, ambos da Ordem dos Pregadores, e Zósimo Izquierdo Gil, presbítero. († 1936)
  • Em Barcelona, também na Espanha, o Beato Sérgio Cid Pazo, presbítero da Sociedade Salesiano. († 1936)
  • Também em Barcelona, o Beato Caetano José (Raimundo Palos Gascón), religioso da Congregação dos Irmãos das Escolas Cristãs e mártir. († 1936)
  • Em Cabañas de la Sagra, próximo de Toledo, também na Espanha, os beatos José Maria de Nossa Senhora das Dores (Vicente José Álamo Jiménez) e Constâncio de São José (José Mata Luís), religiosos da Ordem dos Carmelitas Descalços e mártires. († 1936)
  • Em Toledo, também na Espanha, o Beato Ricardo Plá Espli, presbítero da diocese de Toledo e mártir. († 1936)
  • Em Pádua, na Itália, São Leopoldo (Bogdan) de Castronovo Mandic, presbítero da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos. († 1942)
  • Em Guadalajara, no México, a Beata Maria Vicenta de Santa Doroteia (Doroteia Chávez Orozco), virgem, fundadora do Instituto das Servas dos Pobres. († 1949)
  • Também no México, a Beata Maria de Jesus Sacramentado (Maria da Natividade Venegas de la Torre), virgem que fundou a Congregação das Filhas do Sagrado Coração de Jesus. († 1959)

Fontes:

  • vatican.va e vaticannews.va
  • Martirológio Romano – liturgia.pt
  • Liturgia das Horas
  • Livro “Relação dos Santos e Beatos da Igreja” – Prof Felipe Aqui [Cléofas 2007]

– Pesquisa e redação: Rafael Vitto – Comunidade Canção Nova

– Produção e edição:  Bianca Vargas 



Por: CN


Dia 30 de Julho - Sábado

XVII SEMANA DO TEMPO COMUM* (Verde – Ofício do Dia)

Antífona de Entrada

Deus habita em seu templo santo, reúne seus filhos em sua casa; é ele que dá força e poder a seu povo (Sl 67,6s.36)

Oração do dia

Ó Deus, sois o amparo dos que em vós esperam e, sem vosso auxílio, ninguém é forte, ninguém é santo; redobrai de amor para conosco, para que, conduzidos por vós, usemos de tal modo os bens que passam, que possamos abraçar os que não passam. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Jeremias 26,11-16.24)

Leitura do livro do profeta Jeremias.

Naqueles dias, 26 11 os sacerdotes e os profetas clamaram aos oficiais e à multidão: “Este homem merece a morte porque profetizou contra esta cidade, como todos ouvistes com vossos próprios ouvidos”.

12 Jeremias, porém, retrucou aos oficiais e ao povo: “Foi o Senhor quem me deu o encargo de proferir contra este povo e esta cidade os oráculos que ouvistes.

13 Reformai, portanto, vossa vida e modo de agir, escutando a voz do Senhor, vosso Deus, a fim de que afaste de vós o mal de que vos ameaça.

14 Quanto a mim entrego-me nas vossas mãos. Fazei de mim o que quiserdes e que melhor se vos afigure.

15 Sabei, porém, que se me condenardes à morte, será de sangue inocente que maculareis esta cidade e seus habitantes; pois, na verdade, foi o Senhor quem me ordenou vos transmitisse estes oráculos”.

16 Disseram, então, os oficiais e a multidão aos sacerdotes e profetas: “Este homem não merece a morte! Foi em nome do Senhor, nosso Deus, que nos falou”.

24 Contudo, a influência de Aicã, filho de Safã, protegeu Jeremias, impedindo que fosse entregue ao povo e condenado à morte.

Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 68/69

No tempo favorável, escutai-me, ó Senhor!

 

Retirai-me deste lodo, pois me afundo!

Libertai-me, ó Senhor, dos que me odeiam

e salvai-me destas águas tão profundas!

Que as águas turbulentas não me arrastem,

não me devorem violentos turbilhões

nem a cova feche a boca sobre mim!

 

Pobre de mim, sou infeliz e sofredor!

Que vosso auxílio me levante, Senhor Deus!

Cantando, eu louvarei o vosso nome

e, agradecido, exultarei de alegria!

 

Humildes, vede isto e alegrai-vos:

o vosso coração reviverá

se procurardes o Senhor continuamente!

Pois nosso Deus atende à prece dos seus pobres

e não despreza o clamor de seus cativos.

Evangelho (Mateus 14,1-12)

Aleluia, aleluia, aleluia.

Felizes os que são perseguidos por causa da justiça do Senhor, porque o reino dos céus há de ser deles! (Mt 5,10).

 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

14 1 Por aquela mesma época, o tetrarca Herodes ouviu falar de Jesus.

2 E disse aos seus cortesãos: “É João Batista que ressuscitou. É por isso que ele faz tantos milagres”.

3 Com efeito, Herodes havia mandado prender e acorrentar João, e o tinha mandado meter na prisão por causa de Herodíades, esposa de seu irmão Filipe.

4 João lhe tinha dito: “Não te é permitido tomá-la por mulher!”

5 De boa mente o mandaria matar; temia, porém, o povo que considerava João um profeta.

6 Mas, na festa de aniversário de nascimento de Herodes, a filha de Herodíades dançou no meio dos convidados e agradou a Herodes.

7 Por isso, ele prometeu com juramento dar-lhe tudo o que lhe pedisse.

8 Por instigação de sua mãe, ela respondeu: “Dá-me aqui, neste prato, a cabeça de João Batista”.

9 O rei entristeceu-se, mas como havia jurado diante dos convidados, ordenou que lha dessem;

10 e mandou decapitar João na sua prisão.

11 A cabeça foi trazida num prato e dada à moça, que a entregou à sua mãe.

12 Vieram, então, os discípulos de João transladar seu corpo, e o enterraram. Depois foram dar a notícia a Jesus.

Palavra da Salvação.


Sobre as Oferendas

Acolhei, ó Pai, os dons que recebemos da vossa bondade e trazemos a este altar. Fazei que estes sagrados mistérios, pela força da vossa graça, nos santifiquem na vida presente e nos conduzam à eterna alegria. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Bendize, ó minha alma, ao Senhor, não esqueças nenhum de seus favores! (Sl 102,2)

Depois da Comunhão

Recebemos, ó Deus, este sacramento, memorial permanente da paixão do vosso filho; fazei que o dom da vossa inefável caridade possa servir à nossa salvação. Por Cristo, nosso Senhor.




Reflexão sobre o Evangelho:
(30/07/2022 – Mateus 14,1-12) A figura de João Batista é forte e admirável por causa de sua coerência nas denúncias e lucidez de sua pregação. Nisso também ele é um precursor de Jesus. Ele é corajoso e comprometido. Ele diz a verdade, mesmo que isso o desagrade. O profeta é figura de tantos cristãos que morreram vítimas de intolerância pelo testemunho que deram contra situações insuportáveis. Jesus nos disse que devemos ser luz, sal e fermento deste mundo, isso significa sermos profetas. Os profetas são aqueles que interpretam e vivem as realidades deste mundo na perspectiva de Deus. É por isso que muitas vezes eles têm que denunciar o desacordo entre o que deveria ser e o que é, entre o que Deus quer e o que querem os interesses de certas pessoas ou grupos. Pelo batismo somos chamados a sermos profetas testemunhando o evangelho de Jesus em nossos dias para construirmos um mundo melhor. Deus abençoe você! #ParoquiaMissionaria #CatolicoOrante #ParoquiaEvangelizadora #Evangelizar #Discipular #Enviar #PalavradoPadre #PlanoMissionarioePastoral
Reflexão por: Pe. João Manoel Lopes


Outras reflexões sobre o Evangelho:

Reflexão sobre o Evangelho do dia com Dom Cesar Teixeira, bispo diocesano de São José dos Campos, e padres da diocese.

Textos tirados do site Católico Orante: https://www.catolicoorante.com.br/


Santo Inácio de Loyola 31/07

[1491 – 1556]

Origens

Iñigo Lopez de Loyola, nasceu em 1491, na Espanha, em uma família nobre, rica e cristã. Ele era o mais novo de treze filhos e cresceu voltado para os luxos da corte.

Cavaleiro do rei

Iñigo optou pela carreira militar e era um exímio cavaleiro: desde muito cedo se empenhava ao defender o que acreditava e não se importava nem de perder a própria vida dessa forma.

Batalha final

Em uma luta para defender Pamplona, o santo de Loyola foi ferido por uma bala de canhão que lhe fez ficar em convalescença para se recuperar.

Por que não eu?

Essa era a pergunta que Inácio se fez quando, no tempo em que estava repousando e não tendo livros de seu gosto para passar o tempo, ele se deparou com os livros que lhe deram, os quais narravam a vida de santos que deram tudo de si pela causa que acreditavam: o Reino de Cristo.

Cavaleiro do Rei dos Reis

A partir disso, viveu para defender o Reino. E trocou as coisas dessa terra pelas do Alto. Curado, foi à capela do santuário de Nossa Senhora de Montserrat, pendurou sua espada no altar e deu as costas ao mundo da corte.

Peregrino de Cristo

Santo Inácio foi um grande peregrino nessa terra. Viveu a mendicância e grandes batalhas espirituais, mas vivia a santa indiferença: “da nossa parte, não queiramos mais saúde que enfermidade, riqueza que pobreza, honra que desonra, vida longa que vida breve e, assim por diante em tudo o mais, desejando e escolhendo somente aquilo que mais nos conduz ao fim para o qual somos criados”.

Fundador

Em Paris, em 1534, junto à Francisco Xavier e outros companheiros, fundou a Companhia de Jesus. Alguns membros foram enviados para evangelizar o Brasil. Ele preparou e enviou os missionários jesuítas ao mundo todo para espalhar o cristianismo.

Páscoa

Morreu no dia 31 de julho de 1556, em Roma, na Itália. Foi canonizado em 1622.

Padroeiro dos Retiros Espirituais

A sua incessante busca interior e as suas revelações o fizeram escrever os Exercícios Espirituais e ser considerado o santo do discernimento dos espíritos. Foi declarado Padroeiro de Todos os Retiros Espirituais pelo Papa Pio XI em 1922.

A minha oração

“Meu querido Santo Inácio, ensinai-me a viver nesta terra como peregrina: entendendo que aqui tudo passa e que o que vale é a conquista do Reino dos Céus! Amém.”

Santo Inácio de Loyola, rogai por nós!

Outros santos e beatos celebrados em de 31 de julho:

  • Em Milão, na Transpadânia, região da Itália, São Calímero, bispo.  († s. II f.)
  • Em Sínada, na Frígia, hoje Çifitkasaba, na Turquia, os santos DemócritoSegundo Dionísio, mártires. († s. III)
  • Em Cesareia, hoje Cherchell, na Argélia, São Fábio, mártir. († 303-304)
  • Em Roma, junto à Via Latina, São Tertuliano, mártir. († c. s. IV)
  • Em Ravena, na Flamínia, região da Itália, o passamento de São Germano, bispo de Auxerre. († 448)
  • Em Ímola, também na Flamínia, o passamento de São Pedro Crisólogo, bispo de Ravena. († c. 450)
  • Em Skövde, na Suécia, Santa Helena, viúva, que, injustamente assassinada, é considerada mártir. († c. 1160)
  • Em Acquapendente, na Toscana, região da Itália, o passamento do Beato João Colombíni, rico comerciante de vestuário que se converteu à pobreza. († 1307)
  • Em Londres, na Inglaterra, o Beato Everardo Hanse, presbítero e mártir. († 1581)
  • Em Nishizaka, no Japão, o Beato Nicolau Fukunaga Keian, religioso da Companhia de Jesus e mártir. († 1633)
  • Num barco-prisão ancorado ao largo de Rochefort, na França, o Beato João Francisco Jarrige de la Morelie du Breuil, presbítero e mártir. († 1794)
  • Em Cay Met, na Cochinchina, hoje no Vietnam, os santos Pedro Doan Cong Quy, presbítero, e Manuel Phung, mártires. († 1859)
  • No vale de Alighede, na Etiópia, São Justino De Jacobis, bispo, da Congregação da Missão. († 1860)
  • Em Granollers, na Espanha, os beatos mártires Dionísio Vicente Ramos, presbítero, e Francisco Remon Játiva, religioso da Ordem dos Frades Menores Conventuais. († 1936)
  • Em Valência, também na Espanha, o Beato Jaime Buch Canals, religioso da Sociedade Salesiana. († 1936)
  • Em La Arrabassada, também na Espanha, as beatas Esperança da Cruz (Teresa Subirá Sanjaume) e Companheiras, virgens da Congregação das Irmãs Carmelitas Missionárias e mártires. († 1936)
  • Em Toledo, também na Espanha, os beatos Nazário do Sagrado Coração (Nazário del Valle González), presbítero da Ordem dos Carmelitas Descalços e companheiros mártires. († 1936)
  • Em Andújar, localidade da província de Jaen, também na Espanha, os beatos Prudêncio da Cruz (Prudêncio Gueréquiz Guezuraga) e Segundo de Santa Teresa (Segundo Garcia Cabezas), presbíteros da Ordem da Santíssima Trindade e mártires. († 1936)
  • Em Paracuellos del Jarama, também na Espanha, o Beato Vítório (Martinho Anglés Oliveras), religioso da Congregação dos Irmãos das Escolas Cristãs e mártir. († 1936)
  • Em Dachau, cidade da Baviera, na Alemanha, o Beato Miguel Ozieblowski, presbítero e mártir. († 1942)
  • Em Kalisz, na Polónia, o Beato Francisco Stryjas, mártir. († 1944)
  • Em Trnava, na Eslováquia, a Beata Sidónia, virgem da Congregação das Irmãs da Caridade da Santa Cruz e mártir.
  • Fontes:
  •  Arquisp.org.br
  • Martirológio Romano

– Pesquisa e redação: Catarina Xavier – Comunidade Canção Nova

– Produção e edição: Bianca Vargas



Por: CN


Dia 31 de Julho - Domingo

XVIII DOMINGO DO TEMPO COMUM(Verde, Glória, Creio – II Semana do Saltério) - Santo Inácio de Loyola

Antífona de Entrada

Meus Deus, vinde libertar-me, apressai-vos, Senhor, em socorrer-me. Vós sois o meu socorro e o meu libertador; Senhor, não tardeis mais (Sl 69,2.6).

Oração do dia

Manifestais, ó Deus, vossa inesgotável bondade para com os filhos e filhas que vos imploram e se gloriam de vos ter como criador e guia, restaurando para eles a vossa criação e conservando-a renovada. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Eclesiastes 1,2; 2,21-23)

Leitura do livro do Eclesiastes.

2″Vaidade das vaidades, diz o Eclesiastes, vaidade das vaidades! Tudo é vaidade.” 2,21Por exemplo, um homem que trabalhou com inteligência, competência e sucesso vê-se obrigado a deixar tudo em herança a outro que em nada colaborou. Também isso é vaidade e grande desgraça. 22De fato, que resta ao homem de todos os trabalhos e preocupações que o desgastam debaixo do sol? 23Toda a sua vida é sofrimento; sua ocupação, um tormento. Nem mesmo de noite repousa o seu coração. Também isso é vaidade.

Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 89/90

Vós fostes, ó Senhor, um refúgio para nós.

 

Vós fazeis voltar ao pó todo mortal

quando dizeis: “Voltai ao pó, filhos de Adão!”

Pois mil anos para vós são como ontem,

qual vigília de uma noite que passou.

 

Eles passam como o sono da manhã,

são iguais à erva verde pelos campos:

de manhã ela floresce vicejante,

mas à tarde é cortada e logo seca.

 

Ensinai-nos a contar os nossos dias

e dai ao nosso coração sabedoria!

Senhor, voltai-vos! Até quando tardareis?

Tende piedade e compaixão de vossos servos!

 

Saciai-nos de manhã com vosso amor,

e exultaremos de alegria todo o dia!

Que a bondade do Senhor e nosso Deus

† repouse sobre nós e nos conduza!

Tornai fecundo, ó Senhor, nosso trabalho.

Leitura (Colossenses 3,1-5.9-11)

Leitura da carta de São Paulo aos Colossenses.

Irmãos, 1se ressuscitastes com Cristo, esforçai-vos por alcançar as coisas do alto, onde está Cristo, sentado à direita de Deus; 2aspirai às coisas celestes e não às coisas terrestres. 3Pois vós morrestes e a vossa vida está escondida, com Cristo, em Deus. 4Quando Cristo, vossa vida, aparecer em seu triunfo, então vós aparecereis também com ele, revestidos de glória. 5Portanto, fazei morrer o que em vós pertence à terra: imoralidade, impureza, paixão, maus desejos e a cobiça, que é idolatria. 9Não mintais uns aos outros. Já vos despojastes do homem velho e da sua maneira de agir 10e vos revestistes do homem novo, que se renova segundo a imagem do seu Criador, em ordem ao conhecimento. 11Aí não se faz distinção entre grego e judeu, circunciso e incircunciso, inculto, selvagem, escravo e livre, mas Cristo é tudo em todos

Palavra do Senhor.

Evangelho (Lucas 12,13-21)

Aleluia, aleluia, aleluia.

Felizes os humildes de espírito, / porque deles é o Reino dos céus (Mt 5,3)

 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.

Naquele tempo, 13alguém, do meio da multidão, disse a Jesus: “Mestre, dize ao meu irmão que reparta a herança comigo”. 14Jesus respondeu: “Homem, quem me encarregou de julgar ou de dividir vossos bens?” 15E disse-lhes: “Atenção! Tomai cuidado contra todo tipo de ganância, porque, mesmo que alguém tenha muitas coisas, a vida de um homem não consiste na abundância de bens”. 16E contou-lhes uma parábola: “A terra de um homem rico deu uma grande colheita. 17Ele pensava consigo mesmo: ‘O que vou fazer? Não tenho onde guardar minha colheita’. 18Então resolveu: ‘Já sei o que fazer! Vou derrubar meus celeiros e construir maiores; neles vou guardar todo o meu trigo, junto com os meus bens. 19Então poderei dizer a mim mesmo: Meu caro, tu tens uma boa reserva para muitos anos. Descansa, come, bebe, aproveita!’ 20Mas Deus lhe disse: ‘Louco! Ainda nesta noite, pedirão de volta a tua vida. E para quem ficará o que tu acumulaste?’ 21Assim acontece com quem ajunta tesouros para si mesmo, mas não é rico diante de Deus”.

Palavra da salvação.


Sobre as Oferendas

Dignai-vos, ó Deus, santificar estas oferendas e, aceitando este sacrifício espiritual, fazei de nós uma oferenda eterna para vós. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Vós nos destes, Senhor, o pão do céu, que contém todo sabor e satisfaz todo paladar (Sb 16,20).

Depois da Comunhão

Acompanhai, ó Deus, com proteção constante os que renovastes com o pão do céu e, como não cessais de alimentá-los, tornai-os dignos da salvação eterna. Por Cristo, nosso Senhor.

Santo do Dia / Comemoração (Santo Inácio de Loyola)

(Branco, Prefácio Comum ou dos Pastores – Ofício da Memória)

 

Iñigo Lopez de Loyola, este era o seu nome de batismo, nasceu numa família cristã, nobre e muito rica, na cidade de Azpeitia, da província basca de Guipuzcoa, na Espanha, no ano de 1491. O mais novo de treze filhos, foi educado, com todo cuidado, para tornar-se um perfeito fidalgo. Cresceu apreciando os luxos da corte, praticando esportes, principalmente os eqüestres, seus preferidos.

 

Em 1506, a família Lopez de Loyola estava a serviço de João Velásquez de Cuellar, tesoureiro do reino de Castela, do qual era aparentada. No ano seguinte, Iñigo tornou-se pagem e cortesão no castelo desse senhor. Lá, aprimorou sua cultura, fez-se um exímio cavaleiro e tomou gosto pelas aventuras militares. Era um homem que valorizava mais o orgulho do que a luxúria.

 

Dez anos depois, em 1517, optou pela carreira militar. Por isso foi prestar serviços a um outro parente, não menos importante, o duque de Najera e vice-rei de Navarra, o qual defendeu em várias batalhas, militares e diplomáticas.

 

Mas, em 20 de maio de 1521, uma bala de canhão mudou sua vida. Ferido por ela na tíbia da perna esquerda, durante a defesa da cidade de Pamplona, ficou um longo tempo em convalescença. Nesse meio tempo, meio por acaso, trocou a leitura dos romances de infantaria e guerra, por livros sobre a vida dos santos e a Paixão de Cristo. E assim foi tocado pela graça. Incentivado por uma de suas irmãs, que cuidava dele, não voltou mais aos livros que antes adorava, passando a ler somente livros religiosos. Já curado, trocou a vida de militar por uma vida de dedicação a Deus. Foi, então, à capela do santuário de Nossa Senhora de Montserrat, pendurou sua espada no altar e deu as costas ao mundo da corte e das pompas.

 

Durante um ano, de 1522 a 1523, viveu retirado numa caverna em Manresa, como eremita e mendigo, o tempo todo em penitência, na solidão e passando as mais duras necessidades. Lá, durante esse período, preparou a base do seu livro mais importante: "Exercícios espirituais". E sua vida mudou tanto que do campo de batalhas passou a transitar no campo das idéias, indo estudar filosofia e teologia em Paris e Veneza.

 

Em Paris, em 15 de agosto de 1534, juntaram-se a ele mais seis companheiros, e fundaram a Companhia de Jesus. Entre eles estava Francisco Xavier, que se tornou um dos maiores missionários da Ordem e também santo da Igreja. Mas todos só se ordenaram sacerdotes em 1537, quando concluíram os estudos, ocasião em que Iñigo tomou o nome de Inácio. Três anos depois, o papa Paulo III aprovou a nova Ordem e Inácio de Loyola foi escolhido para o cargo de superior-geral.

 

Ele preparou e enviou os missionários jesuítas ao mundo todo, para fixarem o cristianismo, especialmente aos nativos pagãos das terras do novo continente. Entretanto, desde que esteve no cargo de geral da Ordem, Inácio nunca gozou de boa saúde. Muito debilitado, morreu no dia 31 de julho de 1556, em Roma, na Itália.

 

A sua contribuição para a Igreja e para a humanidade foi a sua visão do catolicismo, que veio de sua incessante busca interior e que resultou em definições e obras cada vez mais atuais e presentes nos nossos dias. Foi canonizado pelo papa Gregório XV em 1622. A sua festa é celebrada, na data de sua morte, nos quatro cantos do planeta onde os jesuítas atuam. Santo Inácio de Loyola foi declarado Padroeiro de Todos os Retiros Espirituais pelo papa Pio XI em 1922.

 

ORAÇÃO DO DIA

Ó Deus, que suscitastes em vossa Igreja santo Inácio de Loyola para propagar a maior glória do vosso nome, fazei que, auxiliados por ele, imitemos seu combate na terra, para partilharmos no céu sua vitória. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

SOBRE AS OFERENDAS

Sejam do vosso agrado, Senhor nosso Deus, as oferendas que apresentamos na festa de santo Inácio, para que os sagrados mistérios, fonte de toda santidade, nos tornem verdadeiramente santos. Por Cristo, nosso Senhor.

 

ANTÍFONA DA COMUNHÃO

Disse o Senhor: Vim trazer o fogo à terra; só desejo que se acenda! (Lc 12,49)

 

DEPOIS DA COMUNHÃO

Ó Deus, que este sacrifício de louvor, que vos oferecemos em ação de graças na festa de santo Inácio, nos leve a glorificar-vos eternamente. Por Cristo, nosso Senhor.




Reflexão sobre o Evangelho:
(31/07/2022 – Lucas 12,13-21) A parábola do rico que acumula uma grande colheita e amplia seus celeiros, em vez de partilha-la entre os que não têm o que comer, é uma lição de como Jesus vê as coisas nesta vida. Quem acumula riqueza e vive apegado, portanto, não entende nada do que Jesus propõe no mundo. Aqueles que seguem Jesus devem colocar a sua confiança no Senhor e não nas riquezas acumuladas. O discípulo de Jesus não pode viver pensando apenas em si mesmo ou nas coisas que estão à sua volta. A sensatez, a justiça, a solidariedade, e em último extremo a caridade, serão razão de felicidade para um autêntico discípulo de Cristo. A verdadeira riqueza nasce da experiência de Deus em cada um. As riquezas endurecem o coração e separam os homens. Neste dia peçamos ao Senhor a graça de confiarmos em sua providência em nossa vida para sermos felizes. Deus abençoe você! #ParoquiaMissionaria #CatolicoOrante #ParoquiaEvangelizadora #Evangelizar #Discipular #Enviar #PalavradoPadre #PlanoMissionarioePastoral
Reflexão por: Pe. João Manoel Lopes


Outras reflexões sobre o Evangelho:

Reflexão sobre o Evangelho do dia com Dom Cesar Teixeira, bispo diocesano de São José dos Campos, e padres da diocese.

Textos tirados do site Católico Orante: https://www.catolicoorante.com.br/


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Oração Forte e Poderosa das 4 Cruzes Milagrosas

Oração Forte e Poderosa a São Judas Tadeu para ganhar dinheiro urgente!

Oração Milagrosa de Santa Irmã Dulce